Pandemia aumenta procura por serviços de armazenamento em nuvem

Blog SerMídia,

Devido a pandemia do novo coronavírus, as empresas tiveram que correr para se adaptar ainda mais aos recursos tecnológicos. Com a maioria de seus profissionais atuando por home office, as organizações precisaram migrar seus arquivos para o armazenamento em nuvem, de modo que suas equipes pudessem acessar de onde estivessem. 

Segundo estudo realizado pela empresa de consultoria Gartner Group, até 2025, 80% das empresas migrarão para essa tecnologia. Consequentemente, a procura por profissionais especializados será maior no mercado de trabalho. 

O profissional que atende a essa demanda é o arquiteto de nuvem ou arquiteto de cloud, responsável por realizar a transferência dos arquivos, serviços e sistemas empresariais das empresas para o armazenamento digital. 

Apesar da demanda, o mercado de trabalho ainda sofre com a escassez de profissionais habilitados e especializados nessa nova profissão. Os salários podem variar de R$ 4 mil a R$ 25 mil reais e as ofertas por postos de trabalho só aumentam.

De acordo com o coordenador dos cursos de Tecnologia da Estácio Natal, Emmanoel Monteiro, este tipo de tecnologia já vem crescendo nos últimos dez anos e a tendência é que siga em ascensão no pós-pandemia. “A pandemia alertou para a necessidade de redesenhar os ambientes de computação”, pontuou.

A plataforma de recrutamento GeekHunter, que reúne profissionais de tecnologia de todo o mundo, aponta um aumento de 50% na procura por esses profissionais e mais de 90% das empresas já possuem algum serviço em nuvem. 

A+ A-