Direitos LGBT+ é tema central de fórum em junho

Blog SerMídia,

Evento organizado pelo Governo do Canadá, em parceria com a ONG APOLGBT-SP, traz especialistas de Argentina, Brasil, Canadá e Chile para discutir tema

O Governo do Canadá realiza, por meio de suas representações diplomáticas no Brasil, Argentina e Chile, o Fórum Virtual de Direitos LGBTQ2+. O evento tem a curadoria da Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo (APOLGBT-SP), responsável pela realização da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo.

Ativistas, políticos e estudiosos dos quatro países discutem a evolução dos direitos LGBT+, o aumento da presença de pessoas LGBT+ no cenário político, além de falar sobre a invisibilização de pessoas LGBT+ negras, deficientes e indígenas. Também será debatida a força de trabalho e contribuição do público LGBT+ na economia local.

Dentre os palestrantes estão J’net Ayayqwayaksheelth, pessoa indígena e dois espíritos, responsável pelo Royal Ontario Museum em Toronto, no Canadá; Kihmali Powell, diretor executivo da ONG Rainbow Railroad que acolhe refugiados LGBT+ no Canadá; Daniela Castro, primeira pessoa trans a ocupar um cargo público na Argentina como diretora da área de Política para Diversidade Sexual do Ministério da Mulher e Diversidade da Província de Buenos Aires; Glen Murray, ex-prefeito assumidamente gay da cidade de Winnipeg, no Canadá; Karen Atala, renomada ativista chilena e referência para o movimento LGBT+ no país; Paulo Iotti, militante LGBT e um dos responsáveis pela criminalização da homofobia no Brasil; deputada Erica Malunguinho, responsável pela articulação política contra o PL 504 que censurava publicidade com temática ligada à diversidade; Juão Nyn, multiartista, indigena e escritor; a vereadora Bia Caminha, eleita nas últimas eleições; Ricardo Gomes, da Câmara de Comércio e Turismo LGBT do Brasil, e Márcia Rocha, fundadora do Transempregos, entre outras pessoas.

A moderação das mesas contará ainda com a Drag Queen Dindry Buck, que é ativista LGBT+ e integrante do Esquadrão das Drags, a colunista do portal Mídia NINJA Leandrinha Du Art, a apresentadora do podcast Biscoito Babu Carreira e o jornalista e ex-editor da Revista Exame João Pedro Caleiro.

O Canadá é reconhecido mundialmente como um dos países mais ativos em relação aos direitos das pessoas LGBTQ2+ e considera o fórum uma oportunidade de ampliar a discussão com países da região que, muitas vezes, enfrentam questões similares em diferentes esferas de suas sociedades, seja no âmbito político, econômico ou social. 

Para a Embaixadora do Canadá no Brasil, Jennifer May, “o fórum será um importante mecanismo para a reflexão dos avanços, ou mesmo retrocessos, dos direitos LGBTQ2+ em nossos países e nos ajudará  a avaliar as medidas necessárias para ampliarmos nossas ações e discussões referentes aos direitos das pessoas LGBTQ2+ e buscar uma sociedade mais justa e igualitária. É necessário refletir sobre o passado e olhar para o futuro com diferentes perspectivas para melhor direcionar nossas ações em busca do respeito e igualdade. Discutir isso com países parceiros será extremamente importante para entendermos os desafios que nos cercam e avançar com o diálogo pela igualdade em toda a nossa região hemisférica.”, conclui. 

“Nosso país está vivendo um momento de ataques à democracia, ao respeito à diversidade, e ter esse intercâmbio de experiências neste Fórum de Direitos LGBT+ fortalece o movimento social. As pessoas precisam se unir pela causa e este Fórum é a prova que é possível diferentes países, culturas, idiomas e histórias se unirem em prol de uma sociedade para todas as pessoas.” afirma Cláudia Regina Garcia, presidente da APOLGBT-SP.

A abertura será às 10h do dia 16/06 e contará com a presença da Embaixadora do Canadá no Brasil, Jennifer May, do Embaixador do Canadá na Argentina,  David Usher, do Embaixador do Canadá no Chile, Michael Gort, da presidente da APOLGBT-SP, Cláudia Garcia, e da Secretária de Direitos Humanos da Cidade de São Paulo, Claudia Carletto.

O evento conta com o apoio institucional da Secretaria Municipal de Direitos Humanos de São Paulo e será transmitido ao vivo no canal do YouTube da ParadaSP www.youtube.com/ParadaSP,  com tradução simultânea em português, inglês e espanhol, além de tradução em libras. 

Para escutar em inglês acessae aqui: 

EN: https://youtube.com/playlist?list=PLA5znzbeP2kkTVxLP0G1LAiJaPrgYLrBT


Para escutar em espanhol acesse aqui: 

ESP: https://youtube.com/playlist?list=PLA5znzbeP2kmkzLjlvy4gi4AKMFKvL9FW


Para escutar em português acesse aqui: 

PT: https://youtube.com/playlist?list=PLA5znzbeP2kkTVxLP0G1LAiJaPrgYLrBT



Dia 2 - 17 de junho

Painel 1: LGBTs na política

Horário: 10h – 11h30

Participantes:

  • Daniela Castro - Diretora da área de Política para Diversidade Sexual do Ministério da Mulher e Diversidade da Província de Buenos Aires (Argentina).

  • Glen Murray  - Ex-prefeito de Winnipeg (Canadá).

  • Lorena Olavarría Baeza – Prefeita recém-eleita de Melipilla (Chile).

  • Vereadora Bia Caminha (Brasil).

  • Deputada Erica Malunguinhos (Brasil).


Moderação: Babu Carreira


Painel 2: Pink Money

Horário: 14h – 15h30

Participantes:

  • Martina Ansardi -  ONG Contratá Trans (Argentina)

  • Márcia Rocha - TransEmpregos (Brasil)

  • Ricardo Gomes – Câmara de Comércio LGBT+ (Brasil)

  • Darrell Schuurman – Câmara de Comércio LGBT+ (Canadá)

Moderação: João Pedro Caleiro


*LGBTQ2+: No Canadá, usa-se a sigla LGBTQ2+, que se refere às lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais, queer e dois espíritos. Two-spirited ou Dois Espíritos é uma denominação indígena de gênero. Além do LGBT que já conhecemos aqui, o Q é usado para queer - termo inglês para estranho, excêntrico, que foge aos padrões - e o 2S para two-spirited, que deriva da tradição indígena da América do Norte, onde em vários povos indígenas, há registros de tradições e termos usados para pessoas transgênero, variação de gênero ou identidade de gênero. Com a colonização religiosa europeia, muitas dessas crenças deixaram de existir, mas no começo da década de 1990, grupos indígenas LGBT+ começaram a recuperar seus costumes e tradições. Eles propuseram o termo two-spirited para se referir ao “terceiro gênero”, baseado nas crenças de que o corpo pode abrigar os dois espíritos (masculino e feminino).






Festival MPBJazz realiza edição virtual com grandes nomes da música potiguar

Blog SerMídia,

O Festival MPBJazz estreou em 2010 e ficou consagrado por realizar um intercâmbio cultural e musical entre o Brasil e os Estados Unidos da América: Ao longo das seis edições o projeto passou por diversos espaços culturais de Natal e trouxe grandes nomes do Blues e do Jazz - direto de New Orleans - para se apresentar nos palcos potiguares, oportunizando uma conexão entre os artistas locais e os artistas americanos, que trocaram diversas experiências culturais e realizaram apresentações memoráveis.

Este ano o MPBJAZZ celebra os seus 10 anos de existência e traz uma edição especial em formato virtual, que acontecerá nos dias 01, 02 e 03 de julho, com exibição no canal da Green Point Produções no YouTube. Os amantes da música brasileira e do JAZZ poderão vivenciar, no conforto de suas casas, um pouco da cultura brasileira e da cultura americana, sentindo a mesma energia e a mesma essência musical vividas nas edições presenciais dos festivais anteriores.

Nas atrações deste ano teremos, mais uma vez, grandes nomes do Jazz de New Orleanstais como: John Boutté; Shannon Powell; Gregg Stafford & The Jazz Hounds e Topsy Chapman & Solid Harmony. Além dos artistas potiguares Caio Padilha; Chico Bethoven; Priscila Matos; Josy Ribeiro; Khrystal e Valéria Oliveira, que realizarão homenagens a  nomes consagrados da MPB.

O Festival MPBJazz 2021 promoverá também, durante os meses de junho e julho, uma retrospectiva das edições anteriores que será exibida na Rádio Universitária FM (88.9 FM), todas as quintas-feiras, a partir de hoje (10/06), das 12h30 às 13h; e na TV Universitária (Canal aberto digital 5.1/Cabo Natal 802 HD) nos dias 19 e 26 de junho e 10 e 17 de julho, às 18h30. As retrospectivas contarão com um repertório especial, selecionado cuidadosamente, com destaque para os melhores momentos, com a finalidade de evidenciar e destacar os grandes clássicos americanos e potiguares que se apresentaram nos palcos natalenses, e que, deixaram suas assinaturas musicais e suas identidades culturais na memória das edições anteriores do Festival MPBJazz.

O MPBJazz é uma realização da Green Point Produções, em parceria com o 504 Experience de New Orleans e Valéria Oliveira Produções e conta com o Patrocínio da Prefeitura do Natal, Lei Djalma Maranhão, Unimed Natal, HC Cardio, Lei Aldir Blanc, Fundação José Augusto, Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal e com o apoio da TV e Rádio Universitária.

SERVIÇO

Festival MPB Jazz - 7ª edição

- Retrospectiva Universitária FM (88.9 FM)

Todas as quintas-feiras, a partir de 10/06 até o final de julho, das 12h30, às 13h

- Retrospectiva TV Universitária - (Canal aberto digital 5.1/Cabo Natal 802 HD)

Dias 19 e 26 de junho e 10 e 17 de julho, às 18h30.

- Apresentações Inéditas da 7ª edição:

01, 02 e 03 de julho às 21h30

Canal do Youtube da Green Point Produções



Filme potiguar é indicado ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

Blog SerMídia,

"Vai Melhorar", do cineasta Pedro Fiuza, foi indicado a Melhor Curta Metragem de Ficção

  O curta-metragem "Vai Melhorar", escrito e dirigido pelo cineasta potiguar Pedro Fiuza, estreou em 2020 no 31º Curta Kinofórum e desde então tem feito uma frutífera carreira. Em menos de um ano, o filme reúne 28 seleções oficiais em festivais e 18 prêmios. A novidade agora é a indicação ao 20º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. O filme concorre à edição 2021 do prêmio na categoria Curta Metragem Ficção ao lado de 21 filmes para o primeiro turno. As obras serão votadas pelos membros da Academia Brasileira de Cinema que escolherão cinco para concorrer ao Troféu Grande Otelo. 

  Cássia Damasceno, atriz paranaense que protagoniza o filme interpretando a jornalista Luísa, já recebeu por cinco vezes a honraria de Melhor Atriz (nos festivais: Cine PE, Comunicurtas, Curta Taquary, Curta-SE e Cine Tamoio). Ao ser questionada sobre os motivos do sucesso do filme, Cássia reflete: "Vai Melhorar é uma experiência instigante pelo tema: é um filme que fala sobre nossas escolhas. E apesar das semelhanças com o presente, foi uma história escrita em 2016, antes da última eleição, quando não sabíamos que iríamos passar pela crise política que estamos vivenciando no Brasil. Mas o que me deixa muito incentivada e motivada é o fato do filme propôr uma mudança de visão e ângulo na fala e na ação de uma mulher, que além de tudo é uma mulher preta. O filme apresenta duas camadas de percepção e acredito que faz isso muito bem. Talvez por isso o público se identifique tanto". 

  O filme narra a história de Luísa, uma jornalista sudestina que é contratada para apresentar os programas televisivos da campanha de um candidato a prefeito buscando a reeleição numa capital nordestina. Durante o filme acompanhamos as relações profissionais e pessoais de Luísa até que uma descoberta de bastidores obriga a jornalista a tomar uma séria decisão com consequências éticas e políticas. 

A obra foi idealizada por Pedro Fiuza a partir de experiências suas e de colegas em equipes de produção audiovisual de campanhas políticas. O diretor, que também é graduado em Comunicação Social e Especialista em Cinema, quis lançar um olhar aos profissionais que trabalham atrás das câmeras e também dar voz àquelas e aqueles que enxergam os meandros do fazer político sob outros ângulos. Para Fiuza: "O filme é uma oportunidade para olharmos para os profissionais do audiovisual, mas também entendermos um pouco mais dos bastidores dessa indústria. Passamos quatro anos desde o desenvolvimento do roteiro até a estreia do filme, eu queria que o público pudesse sentir um pouco de como é estar por trás das câmeras."

"Vai Melhorar" é um filme contemplado pelo edital público Cine Natal 2016 e teve seu financiamento através da Prefeitura de Natal, BRDE, FSA - Fundo Setorial do Audiovisual e ANCINE. O filme contou com o trabalho de mais de 80 profissionais durante seus quatro anos de produção. A indicação ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro consagra e celebra artistas e técnicos que trabalharam na obra e também atesta a crescente qualidade da produção cinematográfica do estado do Rio Grande do Norte. 

"Vai Melhorar" é uma produção da Casa da Praia Filmes.

SERVIÇO

"Vai Melhorar"

Local de produção: Brasil/RN

Ano de produção: 2020

Gênero: ficção

Duração: 17 minutos

Classificação indicativa: 12 anos

Direção: Pedro Fiuza

Trailer:https://vimeo.com/384596644

Cartaz, stills e foto de bastidores: https://drive.google.com/drive/u/0/folders/1sVCtQZicC2gUIYVqUy9qSHG6P3kRmFNQ


SINOPSE

Nos bastidores de uma campanha política para prefeito, a apresentadora Luísa sofre com a difícil convivência entre os colegas de trabalho. É a última semana antes do primeiro turno e Luísa, longe de sua cidade e sua família, descobre um escândalo que pode comprometer toda a eleição. Agora ela precisa decidir não só o seu destino, mas o de uma cidade inteira.


REDES SOCIAIS DO FILME

Instagram: instagram.com/vaimelhorarfilme

Twitter: twitter.com/vaimelhorarfilm

Facebook: facebook.com/vaimelhorarfilme



Campanha a favor das comunidades indígenas do RN recebe doações

Blog SerMídia,

Projeto “Nós somos essa terra”, da Coletiva Nísia Floresta (RN), visa angariar alimentos não perecíveis, álcool em gel e máscaras de proteção para população indígena de Rio dos Índios.
Karenina Hentz da Cunha Lima é arquiteta e urbanista potiguar, referência em pensar as temáticas de sua área com os vieses de gênero e interseccional. À frente da Coletiva Nísia Floresta – Mulheres pela Equidade, Dignidade e Cidadania (RN), enquanto coordenadora das pasta de Arquitetura, Urbanismo e Sustentabilidade, Karenina desenvolve ações voltadas para as Mulheres. 
Desta vez, o projeto “Nós somos essa terra” idealizado por ela, visa angariar alimentos não perecíveis, álcool em gel e máscaras de proteção, bem como alimentos para crianças, destinados à população de mulheres indígenas da comunidade “Rio dos índios’’ os Indígenas do Vale, localizada em Ceará Mirim, que está passando por inúmeras dificuldades, em virtude das consequência arrasadoras da Covid-19, que já estava necessitando de um olhar social mais atento. 
“Estamos angariando o que é mais urgente e necessário para voltarem ser manter, com suas práticas integrais – tanto de sua cultura, quanto na maneira de sua própria subsistência. Este é um recado efetivo para a sociedade de que precisamos nos unir para colaborar com a campanha”, encerra. 
A entrega será realizada após o dia 31/05, com apoio da publicidade, para a que a comunidade se conscientize e exerça sua solidariedade. 
Para doações, dúvidas ou esclarecimentos, entrar em contato com: karen[email protected]


Invasão Geek do Sesc RN acontece a partir de 25 de maio

Blog SerMídia,

Elementos dos quadrinhos, mangás, cinema, ficção científica, séries, RPG e games invadirão a programação cultural do Sesc RN, entidade do Sistema Fecomércio RN, entre os dias 25 de maio e 4 de junho, quando acontece a Invasão Geek 2021. As atrações fazem parte da Ação Sesc de Literatura e serão todas on-lines transmitidas nas redes sociais da entidade.

O objetivo é integrar o segmento literário e desenvolver ações em arte educação direcionadas a todos os públicos, com foco na leitura. A cultura pop está entre as que mais crescem no planeta e no Sesc, o tema é abordado todos anos desde 2017, com ações na capital e no interior. A expectativa é que em 2021 o evento tenha grande público e participação, tendo em vista a qualidade da programação e dos convidados desta edição.

O Cronograma de atividades do evento é intenso, iniciando com uma introdução ao universo geek, com uma mesa redonda com a participação de Wendel Bezerra, um ícone do segmento e dublador dos personagens Goku do Dragon Ball, Jackie Chan e Bob Esponja. Os demais convidados no debate são, Gabriel Andrade (RN) e Gleice Medeiros (PE), com mediação de Thiago Santiago (RN).

Nos demais dias, os participantes conhecerão um pouco mais dos temas selecionados, com oficinas de leitura e desenho de quadrinhos, espaço para os jogos eletrônicos e RPG. Uma atração bem aguardada será a temática do K-pop, com aulas de dança, no dia 2 de junho, quando também acontece o confronto de cosplay. A programação é extensa e contempla convidados do Rio Grande do Norte, São Paulo, Bahia, Rio de Janeiro e até do Chile.

O 25 de maio, data escolhida para começar as apresentações, tem um significado importante, sendo considerado o Dia do Orgulho Geek, em memória ao lançamento do primeiro filme da série Star Wars, no ano de 1977.

Serviço

O que? Invasão Geek Sesc 2021

Quando? 25 de maio a 4 de junho

Onde? Redes sociais Sesc RN



Projeto Ecopraça promove bate-papos com convidados especiais

Blog SerMídia,

O Projeto Ecopraça vem há oito anos desenvolvendo um movimento sociocultural de ocupação e ressignificação criativa de praças e espaços públicos sob a perspectiva de ações culturais, lúdicas, sustentáveis e colaborativas. Diante da pandemia e do necessário isolamento social, o projeto realiza, de 17 a 21 de Maio, a sua edição virtual.

Além de shows musicais de artistas potiguares, a programação contará com a “Ecoprosa” - conversas, mediadas por Geraldo Gondim (idealizador e produtor do projeto Ecopraça), com convidados especiais ligados a projetos socioculturais, meio ambiente, criatividade, inovação e sustentabilidade. As prosas acontecerão de segunda a quinta (17 a 20 de maio), sempre às 11h, no canal do projeto no Youtube.

Entre os convidados estão Maurício Panella, antropólogo e artista multimídia (Estúdio e Instituto Casadágua - instituição que tem como objetivo promover iniciativas por meio de projetos de pesquisas transdisciplinares); Henrique Fontes, dramaturgo, diretor, ator e gestor cultural, integrante do Grupo Carmin e sócio fundador do espaço cultural Casa da Ribeira; Fernanda Rabelo (arquiteta e urbanista) e Thiago Frizon (arquiteto paisagista), sócios diretores do Quintau - Ateliê de arquitetura paisagística; e a equipe do projeto Cidade dos Sonhos – projeto que visa contribuir para um melhor entendimento dos cidadãos acerca da vida urbana e cotidiana.

A edição online do projeto Ecopraça tem realização do Instituto Ancestral, com patrocínio da Lei Aldir Blanc, Fundação José Augusto, Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal. 

SERVIÇO

FESTIVAL ECOPRAÇA – Ecoprosa

De 17 a 20 de maio, às 11h

Exibição: https://www.youtube.com/channel/UCDduw1cp2yrxthXtpmXg5kQ  

Mais informações: https://www.ecopraca.org/



Estudantes de Natal exercem pleno protagonismo com cultura maker em sala de aula

Blog SerMídia,

Quando o assunto é educação, a expressão cultura maker é um movimento que está em alta. Em Natal, estudantes já exercem o pleno protagonismo com a sua prática, que se baseia na ideia de que é possível fazer tudo com as próprias mãos.
Trata-se do DIY, sigla para “do it yourself”. No bom português, “faça você mesmo”. A premissa avança sobre diversas áreas e na educação não é diferente. O Complexo Educacional Contemporâneo fez inclusive ajustes estruturais para que conhecimentos fossem postos em prática na capital potiguar.
A partir de uma sala maker, com mesas largas bem no meio e ferramentas espalhadas pelas paredes, cria-se um ambiente instigante para os trabalhos manuais e em grupo. No rol de equipamentos, estreantes em ambiente escolar como as impressoras 3D. Com elas, os alunos podem criar qualquer coisa, eles mesmos.
Marianny Andrade Arcanjo, que dirige a escola, explica que os experimentos e a busca por soluções ajudam e muito na formação e para desempenhos acima da média. “Eles se engajam mais e vão poder desenvolver a criatividade e o pensamento crítico. A cultura maker fomenta o empreendedorismo e abre portas futuras do mercado de trabalho”, comenta ela.
Para o professor Roberto Peixoto, o espaço é o cenário da nova revolução tecnológica e educacional e tem relação direta com a formação de cidadãos do mundo. “Há a transformação total do estudante em protagonista, com o uso de habilidades para participar da construção de projetos coletivos e de resolver problemas complexos”, acredita o educador.
O aluno Vinícius Araújo aprovou a novidade posta em prática pelo Contemporâneo. “Temos a oportunidade de criar o que quisermos. É diferente de tudo o que já vi na escola”, diz ele, que aos dez anos, já sabe que além de divertida, a sala maker oferece outras vantagens: “É muito tecnológica e tecnologia é a chave do futuro”.


Divulgada a programação do II AFRONTE - Festival de Cinema LGBTQIAP+

Blog SerMídia,

segunda edição do AFRONTE - Festival de Cinema LGBTQIAP+ acontecerá de 05 a 09 de maio em formato virtual no site www.afrontefestival.com.br. O Festival teve o cuidado em representar a pluralidade da sigla LGBTQIAP+ na frente e atrás das telas, desta vez não apenas por profissionais que ocupam o cargo de direção, mas ampliando a representação para outros cargos chaves.

Foram 227 filmes inscritos, das cinco regiões do Brasil, e 26 selecionados divididos em quatro mostras competitivas: Mostra Trajetórias - Encruza (RJ); Joãosinho da Goméa – O Rei do Candomblé (RJ); Canudos em Minha Pele (PE); Pátria (CE);  Espírito que Caminha (AC); Perifericu (SP). Mostra O Que Não Somos - Tenebrosas? (SP); Sangro (SP); Piu Piu (PE); Primavera de Fernanda (PR);  Agachem, Segurem, Formem, Arrasem (SP); Você Já Tentou Olhar nos Meus Olhos? (PR); Véu (RN). Mostra Devires - Abjetas 288 (SE); Ada (BA); Aliena (RS); Os Últimos Românticos do Mundo (PE);  Onde a Fé Tem Nos Levado (SE); Etruska Waters em: O Tombamento da Republiqueta (PR). Mostra Afetos - Acesso (SP); Marie (PE); Aonde Vão Pés (PR); Meninos Rimam (SP);  Fotos Privadas (SP/RJ); O Que Pode um Corpo? (RS) e À Beira do Planeta Mainha Soprou a Gente (BA).

"Os filmes que compõem as quatro mostras reverberam de uma forma potente em nosso imaginário, e com suas temáticas e personagens marcantes nos mostram representações que nos fazem confirmar que é possível nos vermos em nossa amplitude e diversidade.  As obras, cada uma com sua singularidade, nos fizeram rir, nos emocionar, ter medo, e sentir esperança ao nos possibilitarem acessar outra realidade possível, seja ela do presente, futuro ou passado." (André Santos - Diretor Geral)

O Festival tem caráter competitivo e serão concedidos 8 Prêmios Livres e 3 prêmios de Melhor Filme (premiação no valor de R$500,00) pela Comissão Julgadora, além de 4 prêmios do Júri Popular, com votação por meio do site do Festival. Os filmes estarão disponíveis no site durante todos os dias do Festival.

Além de filmes, a programação do Festival conta com oficinas, e bate-papos com os realizadores dos filmes, que serão mediados por Franco Fonseca e Rosy Nascimento. Eles serão transmitidos no canal do YouTube do Festival, assim como a cerimônia de encerramento e premiação. Acesso ao canal: https://abre.ai/afronte-festival

O II AFRONTE - Festival de Cinema LGBTQIAP+ é uma realização da Caboré Audiovisual e tem patrocínio do Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Fundação José Augusto, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal, através da Lei Aldir Blanc.

SERVIÇO

II AFRONTE - Festival de Cinema LGBTQIAP+

De 05 a 09 de maio, no site www.afrontefestival.com.br

PROGRAMAÇÃO


Quarta-Feira (05/05)

  • BATE-PAPO - MOSTRA "O QUE NÃO SOMOS" (15h às 16h)
  • BATE-PAPO - MOSTRA "AFETOS" (16h30 às 17h30)
  • OFICINA - AUTOMAQUIAGEM DRAG, com JUDSON ANDRADE (18h30 às 20h30)

Quinta-Feira (06/05)

  • OFICINA - FICÇÃO COMO ARMA DE GUERRA, com ANTI RIBEIRO (15h às 17h30)
  • OFICINA - AUTOMAQUIAGEM DRAG, com JUDSON ANDRADE (18h30 às 20h30)

Sexta-Feira (07/05)

  • BATE-PAPO - MOSTRA "DEVIRES" (15h às 16h)
  • BATE-PAPO - MOSTRA "TRAJETÓRIAS" (16h30 às 17h30)
  • OFICINA - GÊNERO E REPRESENTATIVIDADE LGBTQIAP+ NO AUDIOVISUAL, com GERMANA BELO (18h30 às 20h30)

Sábado (08/05)

  • OFICINA - GÊNERO E REPRESENTATIVIDADE LGBTQIAP+ NO AUDIOVISUAL, com GERMANA BELO (18h30 às 20h30)

Domingo (09/05)

  • CERIMÔNIA DE ENCERRAMENTO E PREMIAÇÃO (19h)

Mais informações: 

https://www.afrontefestival.com.br 

https://www.instagram.com/afrontefestival 

https://www.twitter.com/afrontefestival 



Startups da Inova Metrópole abrem 9 oportunidades de trabalho no Jerimum Jobs

Blog SerMídia,

As startups Hubbi, EasyMed, Game Mind e WayABA – empresas vinculadas à Inova Metrópole, incubadora de empresas do Parque Tecnológico Metrópole Digital – estão com nove vagas de trabalho abertas pela plataforma Jerimum Jobs. As oportunidades são para estágios e empregos (PJ), com remunerações de R$ 700 a R$ 2,2 mil.

Dentre os cargos ofertados, encontram-se: desenvolvedor web, desenvolvedor backend, desenvolvedor fron-tend, designer UX e SDR marketing. Para candidatar-se a uma das vagas, o interessado deve se cadastrar ou fazer login, por meio da conta SIGAA-UFRN, na plataforma Jerimum Jobs.

O oferecimento das vagas de emprego são reflexo do aquecimento do mercado de tecnologia, presenciado mesmo durante a pandemia de Covid-19, e da expansão de novos negócios de TI fomentados pela Inova Metrópole. Com 19 startups vinculadas a seu programa, a incubadora está com seleção aberta para pré-incubação remota.

Jerimum Jobs

A plataforma Jerimum Jobs é um portal que visa conectar empreendimentos de TI vinculados ao Parque Tecnológico, bem como a outras iniciativas, como projetos de pesquisa.

Com oportunidades destinadas a profissionais de diversas áreas e formações, a plataforma também reúne anúncios de empresas externas ao Parque, ou inseridas em áreas fora da TI, desde que as vagas ou a empresa sejam do setor tecnológico e os locais de trabalho estejam situados no Rio Grande do Norte.

Oportunidades

1 vaga – EasyMed (Estágio)

3 vagas- Gamemind (Emprego)

4 vagas – Hubbi (Emprego e estágio)

1 vaga – Wayaba (Emprego)



Cabo Telecom prorroga ação para quem precisa de agilidade na conexão home office

Blog SerMídia,

Antenada com a grande demanda do mercado por uma internet veloz nos dias de hoje, em que vivemos cada vez mais conectados para o trabalho e o lazer, a Cabo Telecom decidiu prorrogar a promoção “Chama no precinho”. Até o dia 24 de abril, são 400MB de velocidade oferecidos aos novos assinantes por R$49,95 por seis meses. Após o período, o valor fica por R$99,90 ao mês. 

O gerente comercial da Cabo Telecom, Cleuto Martins, afirma que a campanha até agora foi um sucesso por ter sido pensada de acordo com as atuais necessidades sociais. “Com muitos em home office e diante da realidade em que resolver tudo online é a forma mais segura, a nossa ação teve uma resposta extremamente positiva por parte do público e, assim, conseguimos movimentar o mercado”, afirma. 

De acordo com pesquisa realizada com 1.127 pessoas pela Nielsen, que faz um comparativo entre os hábitos dos brasileiros em junho de 2020 com janeiro de 2021, atualmente o tempo gasto na internet com lazer diminuiu e o com trabalho aumentou, trazendo à tona a indispensabilidade de uma rede que seja de excelente qualidade.

A Cabo Telecom, que tem DNA local, oferece conexão e tecnologia de ponta aos potiguares há mais de 20 anos e, atualmente, tem apostado na reestruturação de redes, com previsão de cerca de 85% de substituição por fibra óptica, incrementando o serviço oferecido pela empresa. 

Atualmente, são mais de 1.000 km de rede com essa tecnologia atendendo a Natal, Parnamirim, São Gonçalo do Amarante, Extremoz e Macaíba, sendo que nessas duas últimas apenas clientes corporativos.

A Cabo Telecom (RN/PB) faz parte do Grupo Conexão, também composto pelas empresas Cortez Online (RN), Conexão Telecom (SP/MG), Direta (MG), Mega Sistemas (SP), Multiplay Telecom (CE), Tecnet (CE), Outcenter (MG e BA) e StarWeb Internet (MG). Todas ofertam serviços de internet banda larga, TV por assinatura e telefonia fixa. 

Juntas, essas empresas contam com mais de 8.500 quilômetros de redes de fibra óptica e estão presentes em mais de 50 cidades brasileiras, prestando serviços a 410 mil lares, 20 mil clientes empresariais e empregando 1.920 pessoas. Em 2021, o Grupo Conexão segue com projeto de expansão e inovação no mercado brasileiro: “neste ano, chegaremos a 600 mil lares, gerando cerca de 2.223 empregos”, projeta Gilbert Minionis, CEO do Grupo.



Geekie debate práticas ativas e intencionalidade pedagógica nas aulas presenciais e remotas

Blog SerMídia,

Para capacitar educadores, coordenadores e gestores a atuar na chamada Nova Era da Educação - que demanda abordagens mais ativas, personalizadas, visíveis e conectadas -, a Geekie criou uma série de palestras e formações gratuitas. O Circuito Geekie conta com sete encontros quinzenais, on-line, sempre às quintas-feiras, às 15 horas. O primeiro tema escolhido foi "Práticas ativas e intencionalidade pedagógica nas aulas presenciais e remotas", ministrado por Glaucileide Oliveira, designer pedagógica da empresa.

“A aprendizagem ativa está relacionada à aquisição de novos saberes que possibilitam a quem aprende construir ideias, oportunidades, relações éticas e ações que o transformam e lhe permitem modificar a sociedade em que vive. É aquela aprendizagem que provoca a reflexão e estimula o processo cognitivo. Ela envolve troca de informações, compartilhamento de ideias e a valorização das opiniões e dos conhecimentos prévios dos alunos”, defende Glaucileide Oliveira, designer pedagógica da Geekie, a primeira palestrante do Circuito Geekie, evento gratuito destinado a capacitar educadores, coordenadores e gestores a atuar na chamada Nova Era da Educação. Com o tema Práticas ativas e intencionalidade pedagógica, a primeira palestra contou com uma audiência atenta e ávida por assimilar conceitos e práticas que dialogam com as demandas educacionais do século XXI.

Segundo Glaucileide, outra característica importante da aprendizagem ativa é a necessidade de que, pelo menos, alguns pontos da jornada de conhecimento dos alunos sejam tangíveis ao docente para que, de alguma forma, esse profissional possa planejar ações futuras com base nesses conhecimentos adquiridos. “Mas, essas evidências de aprendizagem não precisam, necessariamente, de registro físico ou digital. Essa visibilidade pode acontecer no diálogo, na troca com os colegas e em momentos em que o professor pede para os estudantes falarem sobre o que aprenderam ou justificarem uma ideia”, aponta. 

Metodologias, pensamentos e práticas

No contexto da aprendizagem ativa, as metodologias ativas, rotinas de pensamento e práticas ativas – de acordo com a especialista – diferem entre si em relação a três características: preparação prévia que o docente precisa ter em relação ao espaço físico e à utilização de materiais, por exemplo; o tempo em que essa metodologia, rotina ou prática vai acontecer; e o grau de autonomia dos estudantes. Metodologias, rotinas de pensamento e práticas ativas vão, nesta ordem, de um modelo mais estruturado – complexo e que demanda mais independência dos alunos – para um menos estruturado e que exige menos autonomia dos estudantes. 

De acordo com a análise de Glaucileide, o trabalho com metodologias ativas necessita de uma preparação prévia por parte do professor, pois possui uma determinada estrutura a ser seguida – como a organização da turma em grupos e a divisão de atividades. “Também demanda mais tempo para a realização e requer maior autonomia dos alunos. Posso citar como exemplos a rotação por estações (em que a turma é dividida em grupos, cada um com uma tarefa diferente, e rotacionam pelas atividades) e a sala de aula invertida (estudantes acessam os conteúdos em casa e vêm para a aula para debatê-los)”, pontua, acrescentando que, no outro extremo, as práticas ativas são ações menos estruturadas, que demandam menos tempo e exigem menos autonomia dos alunos. “Entretanto, ainda assim, são formas de levar o estudante à reflexão. Um exemplo é quando o professor propõe discussões e faz questionamentos à turma. É quando perguntamos para o estudante por que ele fez determinada colocação ou se entendeu uma explicação”, exemplifica Glaucileide.

Rotinas de pensamento: uma forma de estruturar o raciocínio

As rotinas de pensamento – temática também debatida na palestra – ficam no meio termo. Elas têm menos passos do que as metodologias ativas, mas são fundamentais para ajudar o estudante a estruturar o pensamento. Um exemplo é a técnica “Ver-Pensar-Perguntar”, que envolve observar uma imagem ou situação (ver), interpretar o que se vê (pensar) e fazer indagações (perguntar). Glaucileide salienta que as rotinas de pensamento são resultado do Project Zero – projeto com mais de 50 anos desenvolvido pela Universidade Harvard. “Elas se caracterizam por sequências simples de pensamento, como o ‘Ver-Pensar-Perguntar’, e têm uma intencionalidade pedagógica muito clara. Quando aplicadas e praticadas com frequência em situações apropriadas, elas estimulam padrões de pensamento que se expandem para outros contextos”, detalha.

A especialista aponta que se usarmos essas rotinas em determinada disciplina, aquele padrão de pensamento acaba sendo internalizado pelo aluno; vai acontecendo de forma natural em outras disciplinas e até mesmo fora da sala de aula. Por exemplo, quando os estudantes leem uma notícia no jornal ou uma mensagem no WhatsApp, vão se perguntar se aquilo faz sentido. “Por isso, é uma ótima forma de criar nos estudantes estruturas de pensamento úteis para diversas situações”, defende, esclarecendo que as rotinas de pensamento são formas de pensar que podem ser aplicadas em todos os segmentos, da educação infantil ao ensino superior, com as devidas adequações, e nas diferentes áreas do conhecimento, tanto no ensino presencial quanto no remoto.

Como exemplos de rotinas de pensamento – que permitem levantar conhecimentos prévios dos estudantes, aprofundar a aprendizagem e trazer evidências de que ela de fato aconteceu –, a especialista citou duas atividades: “Conversa de papel” e “3-2-1 Ponte”. Na primeira, que pode ser realizada tanto no formato remoto como no presencial, o professor lança uma provocação, pergunta ou palavra-chave para a classe sobre um determinado tema. Os alunos, divididos em três grupos, vão escrever as ideias que tiveram e o que pensaram sobre o assunto. As respostas de cada grupo vão sendo passadas para os demais, de modo que todos interajam com as três frentes, seja complementando as ideias, concordando, discordando ou levantando novos questionamentos. Ao final, o professor expõe os três grupos de respostas, com as conexões que foram feitas. A exploração da temática pelo professor pode partir dessas interações e das dúvidas que os alunos trouxeram. 

“Além de possibilitar levantar ideias, construir hipóteses, incentivar o questionamento e considerar outras perspectivas, a ‘Conversa de papel’ considera também o desenvolvimento de habilidades socioemocionais, como a colaboração, a participação, a escuta empática e empatia de forma geral”, ressaltou a especialista. No 3-2-1 Ponte, a partir de um determinado tema ou uma determinada pergunta, os alunos devem escrever o que sabem sobre o assunto em três palavras, duas perguntas e uma metáfora (comparação). Após os estudantes fazerem os registros, o professor disponibiliza materiais para consulta, reflexão e aprofundamento do tema. Com isso, eles escrevem novamente as três palavras, duas perguntas e uma metáfora. O objetivo é comparar as respostas e levar os estudantes a refletirem sobre o que mudou em relação às suas percepções e o porquê.

A rotina de pensamento na prática

Glaucileide contou que, em um determinado projeto, trabalhou com uma turma a frase “escreva tudo o que você sabe sobre vida humana fora da Terra e vida extraterrestre”. Após os alunos fazerem seus registros, ela exibiu um vídeo sobre o tema, propôs a leitura de um artigo e discutiu os dois com a turma. Os alunos fizeram, então, a reescrita.

“A ponte acontece quando os estudantes começam a refletir sobre as respostas e analisar se as perguntas que fizeram mudaram a partir dos novos conhecimentos e se aprenderam algo de novo e de interessante. Essa troca entre eles é maravilhosa e interessantíssima. Na atividade que fiz, pude ver a evolução do pensamento deles e delas em apenas uma aula, como aprofundaram o conhecimento, passaram a ter um domínio maior sobre aquele conteúdo e trouxeram reflexões mais ricas e de forma muito mais clara e visível”, detalha. Segundo a especialista, no contexto atual das aulas remotas, essas rotinas de pensamento têm sido um bom trunfo. “Às vezes, é angustiante e desafiador estar com os alunos com as câmeras fechadas e sem abrir o microfone. Nesses momentos, as rotinas de pensamento têm sido a salvação das aulas a distância”, finaliza.

CIRCUITO GEEKIE

Gratuito e on-line, o Circuito Geekie conta com mais de 30 horas de formações pedagógicas práticas e palestras para escolas voltadas à educação básica. Com a iniciativa, a Geekie espera auxiliar a comunidade escolar brasileira a se aprimorar e a requalificar os conhecimentos e as experiências de aprendizagem. A próxima formação – Dados e evidências para potencializar o desempenho acadêmico de estudantes – acontece em 22 de abril e será ministrada por Camila Karino, diretora pedagógica da Geekie. Inscrições gratuitas pelo site: http://os.geeki.es/Circuito_Geekie.

| PROGRAMAÇÃO COMPLETA

22 de abril | Formação Geekie

Dados e evidências para potencializar o desempenho acadêmico de estudantes, ministrada por Camila Karino, diretora pedagógica da Geekie.

6 de maio | Palestra

Neurociência e inteligências múltiplas para não deixar nenhum estudante para trás, ministrada por Carla Tieppo, doutora em Neurofarmacologia, docente e pesquisadora.

20 de maio | Formação

Aprendizagem baseada em projetos: benefícios, planejamento e avaliação, ministrada por Carol Brant, líder pedagógica da Geekie.

3 de junho | Palestra

Ensino Híbrido em 2020 e 2021: quais oportunidades a pandemia trouxe para as escolas?, ministrada por José Moran, doutor em Comunicação e designer de ecossistemas inovadores na educação.

17 de junho | Formação

Personalização e Ensino Híbrido: como é possível impulsionar a aprendizagem sem custos adicionais para a escola, ministrada por Christie Sototuka, designer pedagógica da Geekie.

SOBRE A GEEKIE | Referência em educação com apoio de inovação no Brasil e no mundo, a Geekie foi fundada em 2011 – pelos empreendedores Claudio Sassaki e Eduardo Bontempo – com a missão de transformar a educação do país. Em uma década, a empresa tem desenvolvido soluções inovadoras que potencializam a aprendizagem. Com foco no Ensino Básico, a edtech alia tecnologia de ponta a metodologias pedagógicas inovadoras. Única plataforma brasileira de ensino adaptativo credenciada pelo Ministério da Educação (MEC) para o Guia de Tecnologias Educacionais – que identifica soluções tecnológicas capazes de melhorar a qualidade do ensino brasileiro –, em sua trajetória a Geekie alcançou mais de 5 mil escolas públicas e privadas de todo o país, impactando cerca de 12 milhões de estudantes. 

Entre as certificações mais relevantes, a empresa destaca: WISE 2016 (Qatar Foundation), TOP Educação (Revista Educação, categoria software educacional mais lembrado do mercado), Empreendedor Social Brasil (Folha de S. Paulo e Fundação Schwab), Empreendedor Social Mundial (Fundação Schwab), Trip Transformadores e Empresas Mais Conscientes (Revista IstoÉ). A Geekie já contou com aporte de investidores de tradição na área educacional como família Gradin (por meio do fundo Virtuose), Fundação Lemann, Jorge Paulo Lemann (por meio do Fundo Gera), Arco Educação, além dos fundos, o norte-americano Omidyar Network e o japonês Mitsui & Co. *Fonte: Assessoria de imprensa 



LabMEDEIAS inicia edição virtual

Blog SerMídia,

LabMEDEIAS - projeto de realização de laboratório de desenvolvimento de roteiros para mulheres - que tem como objetivo aprimorar e/ou desenvolver argumentos e sinopses através de mentoria com roteiristas - iniciou na segunda-feira (05 de abril) a programação de sua segunda edição, primeira no formato virtual, através da plataforma Google Meet.

Esta edição contou com quase 50 inscrições, de 05 estados do Nordeste, e foram selecionados, via curadoria, 11 argumentos/sinopses, escritos por autoras mulheres. O laboratório terá 6 encontros virtuais com a mentoria de quatro mulheres com presença forte no audiovisual potiguar: Michelle Ferret (roteirista, jornalista e escritora), Márcia Lohss (atriz, diretora, roteirista e produtora), Roberta Rangel (artista, produtora, dramaturga e roteirista) e Paula Vanina (diretora de arte, atriz, animadora e roteirista).

A programação contará com um conteúdo especialmente preparado para que as selecionadas possam maturar e/ou aprofundar os seus projetos: Elementos de roteiro, arco dramático, construção de personagens, possibilidades de narrativas, argumento, além de atividades.

O LabMEDEIAS é uma coprodução da Casa de Zoé e Caboré Audiovisual. A 2ª edição do projeto conta com recursos da Lei Aldir Blanc Rio Grande do Norte, Fundação José Augusto, Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal.

SERVIÇO

2º LabMEDEIAS - Laboratório de desenvolvimento de roteiro para mulheres

De 05 a 17 de abril – Através da plataforma Google Meet

Mais informações:

@projetomedeias

@casadezoe

@caboreaudiovisual



Projeto Som sem Plugs abre Temporada 2021 com realização de Festival online

Blog SerMídia,

Lançamento de videoclipes, edital, ações sociais também fazem parte da programação para este ano.

No ano passado, o projeto Som sem Plugs – assim como milhares espalhados pelo país – precisou moldar suas atividades em respeito às exigências sanitárias devido a COVID 19, e adentrou ainda mais ao ambiente virtual, colocando em prática e expandindo para o mundo, ações e trabalhos com significativos impactos socioculturais, como lançamentos de videoclipes, especial de São João Tributo a Elino Julião, edital “Música Transforma” e a ação social “Narrativas Musicais”. De forma remota, o Som sem Plugs chegou aos quatro cantos do Rio Grande do Norte e, além das fronteiras estaduais, com o melhor da arte e da música potiguar. 

Para 2021 os desafios continuam, como: seguir com a propagação dos artistas do RN, a promoção de emprego para classe artística, profissionais da música, audiovisual, eventos e comunicação. Portanto, para dar continuidade a todas as atividades e objetivos desse projeto genuinamente potiguar, o Som sem Plugs anuncia as novidades da Temporada 2021 e,para iniciar com “chave de ouro”, uma super novidade, a realização da primeira edição do Festival Som sem Plugs, viabilizado pela Lei Aldir Blanc.

Festival Som sem Plugs nasce com base no lindo histórico traçado pelo projeto como o principal canal de divulgação da música produzida no RN e, com sua característica de sempre destacar a pluralidade da nossa música, aliado a extrema necessidade de dar suporte e visibilidade aos inúmeros profissionais envolvidos neste âmbito. O evento, que acontecerá de forma online, com duas datas de exibição no mês de abril, irá promover encontros musicais originais entre nomes da música potiguar, acompanhados por grandes musicistas locais, com captação e transmissão de alta qualidade. Tudo isso produzido e conduzido por profissionais que são referência na cena do audiovisual e, transmitido de forma totalmente gratuita através da internet. Em breve, o SSP divulgará os nomes de todos os artistas envolvidos.

Para que a produção seja possível, a organização seguirá todo o protocolo de segurança exigido pelas instituições de saúde no combate ao coronavírus. A equipe e artistas convidados passarão pelo teste da Covid; o uso da máscara é obrigatório; o álcool em gel 70% estará à disposição no local; será exigido o distanciamento entre as pessoas presentes e, todos os demais cuidados que possam garantir a integridade dos participantes do evento. O Festival Som sem Plugs é realizado pela Betapro Foto & Vídeo com recursos da Lei Aldir Blanc Rio Grande do Norte. Fundação José Augusto, Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal. Conta ainda com os apoios do Senac/RN e Hotel Barreira Roxa, Grupo Dunas, Arte Musical, O Padeiro, Studio Arena, Letah e InterTV.

O evento será responsável por abrir o ano de belos e significativos trabalhos do Som sem Plugs e o diretor geral do projeto dá detalhes da ação. “Ano passado realizamos uma série de adaptações nos trabalhos para seguirmos com a nossa missão que é promover a riquíssima música potiguar para o mundo. Este ano não será diferente e, já abriremos a temporada com a realização online da primeira edição do Festival Som sem Plugs, no qual contaremos com um time de artistas renomados que farão apresentações exclusivas e outro time com os melhores profissionais do audiovisual do RN. O resultado disso será a entrega de um material de alta qualidade para o público, transmitido via web e, uma movimentação positiva da cadeia de produção cultural do estado”, comenta Felipe Campos Chaves, diretor geral do SSP.

Clipes, Especial Junino, Edital e muito mais

Vem muita coisa boa por aí! Logo após o Festival, tem o lançamento, em maio, do SSPCLIPOU!, que sempre entregará ao público um clipe musical de alta qualidade, com estética e estilo cinematográfico. Em junho, o Especial Junino e mais SSPCLIPOU! e, já em julho, abertura de mais uma publicação do Edital Música Transforma, tudo isso apresentado pela Cosern e Instituto Neoenergia, com o patrocínio do Governo do Rio Grande do Norte através da Fundação José Augusto via Lei Câmara Cascudo de Incentivo à Cultura.

Com anos de existência e a atuação no RN, o Som sem Plugs está presente nas plataformas digitais ao alcance de todos. Acompanhe as novidades e participe junto com o projeto. Siga, curta e compartilhe com o mundo, o melhor da arte e da musicalidade potiguar!

Site - www.somsemplugs.com.br / YouTube www.youtube.com/somsemplugs e redes sociais @somsemplugs.



Festival de Cinema LGBTQIAP+ abre inscrições para filmes e oficinas

Blog SerMídia,

A violência contra a população LGBTQIAP+ está diretamente conectada com a discriminação que transpassa a nossa sociedade. Em 2013, o Rio Grande do Norte foi considerado um dos estados mais violentos para LGBTQIAP+’s no Brasil. Recentemente, em 2018, um mapeamento inédito, feito no estado pela ativista Rebecka de França (Atransparência-RN), mostra um cenário de violência moral, física e de exclusão sobre a população LGBTQIAP+. Quando olhamos a nível internacional, o Brasil ocupa o primeiro lugar nas Américas em quantidade de homicídios de pessoas LGBTs e também é o líder em assassinato de pessoas trans no mundo.

Sabendo que os filmes podem exercer um papel reafirmador de estigmas e preconceitos, surge A AFRONTE – Festival de Cinema LGBTQIAP+, que desde sua criação tem o objetivo de dar voz para os LGBTQIAP+’s que queiram ser os contadores de suas próprias histórias, se colocando como uma importante ferramenta para combater a intolerância, o preconceito e a exclusão. 

Em sua primeira edição, em dezembro de 2019, o Festival se preocupou em ser o primeiro festival de cinema do RN a trazer em sua programação apenas filmes dirigidos por profissionais LGBTQIAP+’s, priorizando as narrativas que dessem destaque ao protagonismo desse nicho, com uma curadoria que buscou representar todas as letras da sigla, além de se atentar a importância do recorte racial e de gênero nos filmes selecionados. Entre os destaques da primeira edição estão os filmes “Bixa Travesty”, “Rafiki”, “Negrum3”, “Quebramar” e “Estamos Todos Aqui”. 

Nesta segunda edição, que acontecerá de 05 a 09 de maio em formato virtual, o cuidado em representar a pluralidade da sigla LGBTQIAP+ se mantém, na frente e atrás das telas, desta vez não apenas por profissionais que ocupem o cargo de direção, mas ampliando a representação para outros cargos chaves, tendo em vista que um filme não se faz apenas pelo olhar da direção.

O festival será de caráter competitivo e, além do júri popular, com votação por meio do site, haverá também o júri técnico, que premiará diferentes categorias por mostras.  As inscrições para filmes estão abertas, até o dia 16 de abril de 2021, através do formulário de inscrição. A lista de selecionades será divulgada no dia 26 de abril nas redes sociais do Festival. 

Além dos filmes, a programação contará também com as oficinas: Ficção Como Arma de Guerra, com Anti Ribeiro – que se dedica a estudar e elaborar torções de mundo (im)possíveis a partir da imaginação; Automaquiagem Drag, com Judson Andrade - a ideia da oficina é conhecer as possibilidades e potências da arte drag, praticar a pintura facial e desenvolver o corpo como tela através da maquiagem criativa, usando materiais que temos no nosso cotidiano; e Gênero e Representatividade LGBTQIAP+ no Audiovisual, com Germana Belo - a proposta da oficina é discutir a representatividade LGBTQIAP+ na indústria e narrativas audiovisuais, e debater como a intersecção de gênero e orientação sexual impõe problemáticas específicas que refletem na maneira como mulheres desse grupo vêm sendo representadas nas produções de cinema e TV. As oficinas estão com inscrições abertas até o dia 17 de abril. 

A II AFRONTE – Festival de Cinema LGBTQIAP+ tem patrocínio do Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Fundação José Augusto, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal, através da Lei Aldir Blanc.

FICHA TÉCNICA

Direção Geral: André Santos

Produção Executiva: Babi Baracho

Coordenação Geral: Vitória Real

Assistentes de Produção: Renata dos Passos e Ilana Vasco

Estagiário de Produção: Ricardo Nunes

Curadoria: Tereza Duarte, Ron Melo, Rosy Nascimento, Vitória Real e André Santos

Making Of: Mylena Souza

Designer Gráfico / Social Media / Webdesigner: AKA Club Mídia

Assessoria de Imprensa: Luciana Oliveira – Sollar Comunicação
Realização: Caboré Audiovisual

SERVIÇO: 

II AFRONTE – Festival de Cinema LGBTQIAP+

05 a 09 de maio de 2021

Inscrições para filmes: 26 de março a 16 de abril de 2021

https://forms.gle/BcjoBaJRXLJjkPPB9



Inovativa Brasil vai acelerar 400 startups neste primeiro semestre

Blog SerMídia,

Em 2021, o maior programa de aceleração de startups da América Latina deve atender até 800 negócios.

O programa InovAtiva Brasil vai selecionar 400 startups tecnológicas com soluções inovadoras de todo o país para o ciclo de aceleração 2021.1, que acontecerá de forma virtual e gratuita entre abril e agosto deste ano. As inscrições para participar do ciclo foram abertas nesta segunda-feira, 08/03.

A partir deste ano, as edições do InovAtiva Brasil serão mais abrangentes. A meta é que, até o final de 2021, o programa acelere até 800 startups dos estágios de validação, operação e tração. As empresas escolhidas serão capacitadas por meio de mentorias (individuais e coletivas) com especialistas do mercado e de treinamento de pitch. Além disso, terão a oportunidade de interagir com outros empreendedores.

O aumento na capacidade de atendimento do programa – que, até então, aceitava até 160 startups por ciclo de aceleração - é uma das novidades do InovAtiva Brasil para apoiar o fortalecimento do ecossistema de empreendedorismo inovador nos próximos anos.

“O InovAtiva Brasil foi eleito o principal fomentador do ecossistema de inovação do país pelo ranking da 100 Open Startups por dois anos consecutivos, em 2019 e 2020. Entendemos que existe espaço para ampliar a nossa capacidade de atendimento e apoiar ainda mais empreendedores a alavancarem suas soluções”, explica o Secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Da Costa. “Queremos que o Brasil seja um dos três principais ecossistemas de empreendedorismo inovador do mundo”, completa. 

Durante a aceleração, os empreendedores poderão participar de mentorias com executivos de grandes empresas, além de seminários e atividades de conexão com os principais agentes do ecossistema. Para o Sebrae, “o Inovativa Brasil oferece uma oportunidade única de capacitação e de conexão com o mercado. Um programa 100% gratuito, com reconhecimento mundial, e que eleva a startup a um nível mais competitivo e mais preparado para lidar com as diversas situações apresentadas pelo mercado”, afirma o presidente do Sebrae, Carlos Melles.

Para se inscrever, as startups devem desenvolver soluções inovadoras em produtos ou serviços com ao menos um MVP (Produto Mínimo Viável), a versão simplificada do produto de uma startup. 

As inscrições permanecem abertas até o dia 05 de abril no site https://www.inovativabrasil.com.br/. O resultado será divulgado neste mesmo canal no dia 26 de abril.

Sobre o InovAtiva Brasil

O programa InovAtiva Brasil é voltado para a aceleração de startups brasileiras de qualquer setor e região do Brasil em estágio de validação, operação e tração. O programa conta com uma rede de mais de mil mentores voluntários, entre executivos e empreendedores experientes de grandes empresas como Google, Microsoft, Samsung, Siemens, Vale, Natura e Embraer. De 2013 a 2020, mais de 2,3 mil empreendimentos já foram acelerados pelo InovAtiva Brasil. 

O programa é uma iniciativa do hub InovAtiva. Realizado pela Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia (Sepec/ME) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o hub de inovação promove um conjunto de iniciativas de apoio ao desenvolvimento do empreendedorismo inovador no Brasil.



Caruru Produções realiza Oficina de Produção de Conteúdo dentro do projeto "E agora, Produção?"

Blog SerMídia,

O projeto “E agora, Produção?” surgiu da ideia da produtora Carol Queiroz (Caruru Produções) de compartilhar conhecimento e experiências sobre produção cultural. A primeira fase aconteceu em formato de podcast e a segunda no formato de  vídeos, sempre abordando temáticas relacionadas à produção de conteúdo online.

A nova etapa do projeto acontecerá no mês de abril em formato de oficina: Carol convida novamente a cantora e compositora Dani Cruz para juntas ministrarem encontros abordando temas sobre produção de conteúdo, com participação da produtora cultural Nathália Santana e de Erika Zuza - Empresária e Diretora criativa da Papo de Mídias.

Sobre a escolha dos nomes, Carol explica: “como trabalho com Dani no planejamento de mídias dela há uns anos, sempre recebemos algumas dúvidas sobre o trabalho que desenvolvemos. Pelo retorno positivo que tivemos depois do podcast, achamos interessante chegar ainda mais junto das pessoas interessadas e intensificar essa troca. De cara, pensei em trazer Nathalia e Erika por já conhecer o trabalho delas há tanto tempo e admirá-las demais, nada melhor que juntar pessoas que sabem muito e estão sempre interessadas e antenadas nas novidades, em um meio que muda a cada dia.”

Ao todo, serão oito encontros de 60 minutos, ao vivo, via plataforma Zoom, de segunda a quinta-feira, entre os dias 5 e 15 de abril. Os temas abordados serão: 1) De onde surgem as ideias? Falando sobre criatividade; 2) Propósito, público-alvo e identidade visual; 3) Estratégias digitais (convidada: Nathalia Santana); 4) Roda de conversa sobre a primeira semana; 5) Recursos técnicos para produção de conteúdo; 6) Instagram e YouTube; 7) Como falar bem em público (convidada: Erika Zuza); 8) Roda de conversa sobre a segunda semana. As inscrições serão gratuitas e podem ser realizadas, de 22 a 29 de março, através do site Sympla, com vagas limitadas.

A Oficina “E agora, Produção?” é uma realização da Caruru Produções, com recursos da Lei Aldir Blanc Rio Grande do Norte, Fundação José Augusto (@culturarn), Governo do Estado do Rio Grande do Norte (@governodorn), Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal.



Potiguares usam aplicativo de celular pra comprar peixes e ovos de chocolate para a Páscoa

Blog SerMídia,

Em tempos de segunda onda de Coronavírus, as compras para a ceia da Páscoa precisam ser adaptadas em 2021. Para garantir que o peixe e os ovos de chocolate cheguem à mesa com segurança sem que seja preciso sair de casa, a internet é a solução com seus aplicativos de compras.


No Bask, o cliente tem mais de 25 supermercados e peixarias com entrega rápida. Entre as peixarias, a Produmar, Casa do Peixe e Potiguar Prime são alguns destaques. Já para garantir os ovos de Páscoa, o cliente pode optar por lojas como RedeMais e SuperShow, entre outros. Todos os produtos têm o mesmo preço do supermercado. Além disso, as promoções das lojas são atualizadas no aplicativo em tempo real.


Desenvolvido por potiguares, o Bask está presente em Natal, Macaíba, São Gonçalo, Ceará Mirim, Extremoz, Parnamirim, João Câmara, Macau, Nova Cruz e Currais Novos, além de municípios da Paraíba. O app está em crescente expansão, com operações previstas para iniciar em breve em outras cidades do estado e fora dele.


Mais informações:


O aplicativo conta com mais de 100 mil produtos e alcançou a marca de 6 mil pedidos por mês. Mais de 50 mil pessoas já fazem as compras pelo celular.


Para comprar pelo aplicativo, o usuário entra com o seu endereço e a partir dele o sistema localiza quais lojas atendem àquela região. Depois, basta escolher o estabelecimento disponível e fazer as compras.


Além do pagamento por link, o usuário pode repetir a feira do mês em apenas 15 segundos. Algumas lojas aceitam vale-alimentação. Para mais informações o site é o www.bask.com.br/ e o Instagram @basknatal.




Em formato online, 7ª Mostra de Cinema de Gostoso começa nesta quarta-feira

Blog SerMídia,

Mostra de Cinema de Gostoso que, normalmente, acontece a céu aberto e próximo ao mar, nas areias da Praia de Maceió, em São Miguel do Gostoso-RN, neste ano, devido a Covid-19, a sua sétima edição leva a magia para dentro dos lares, em suas telas virtuais. A partir desta quarta-feira (10) a domingo (14), o público vai poder conferir em formato online e gratuitamente34 filmes brasileiros.

Todas as películas da Mostra podem ser acessadas através do site www.mostradecinemadegostoso.com.br e também hospedadas na plataforma de streaming Innsaei.TV (https://innsaei.tv/) durante os cinco dias de evento.

Com direção geral e curadoria de Eugenio Puppo e Matheus Sundfeld, o eixo temático proposto para esta edição é centrado no debate a respeito da memória, em suas diversas facetas, enveredando por roteiros que abordem e valorizem a memória audiovisual brasileira. Esse eixo leva em consideração o estado de crise que se encontram os órgãos de preservação desse material. A Cinemateca Brasileira, maior acervo audiovisual da América do Sul, por exemplo, zela por mais de 250 mil rolos de filmes e, atualmente, passa por uma das piores dificuldades de sua história.

Com filmes raros na grade, a programação está dividida em: Mostra NacionalMostra AcervoSessões Especiais, compostas por dois programas - Sessão Xanadu e Sessão Boi de PrataSessão CineLimite; Mostra Coletivo Nós do Audiovisual. Nessas sessões, longas e curtas-metragens como Açucena, 4 Bilhões de Infinitos, De Vez em Quando eu Ardo, Vidas Secas, Copacabana Mon Amour, Bicho de Sete Cabeças, Cinemateca Brasileira, As Libertinas, Audácia, e muito mais.

Além da exibição de filmes brasileiros contemporâneos, a Mostra traz masterclasseslaboratório de projetos (Gostoso Lab), vídeos pré-gravados com cineastas e desconto nos livros de cinema na Loja Virtual da Edições SESC durante os cinco dias de festival.

A Mostra de Cinema de Gostoso é uma realização da Heco Produções, CDHEC – Coletivo de Direitos Humanos, Ecologia, Cultura e Cidadania e Guajirú Produções; com patrocínio da Lei Aldir Blanc Rio Grande do Norte, Fundação José Augusto, Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Secretaria Especial da Cultura, Ministério da Cidadania e Governo Federal. Apoio: Sebrae RN, BrLab, Edições SESC e Prefeitura do Município de São Miguel do Gostoso.

Mais informações e lista completa dos filmes: http://mostradecinemadegostoso.com.br

Siga nossas redes sociais: Facebook e Instagram: @mostradecinemadegostoso



Arquiteta potiguar aponta as tendências e transformações do morar motivadas pela pandemia

Blog SerMídia,

O que muda no morar após a pandemia da Covid-19? O confinamento trouxe a necessidade de adaptar o lar para acomodar todas as atividades que passaram a ser realizadas em casa: trabalho, estudos, lazer, refeições e exercícios físicos. Como será que o lar se adaptará para os próximos desafios? Como lidaremos com a limpeza e a organização da morada após o controle do vírus? Como será a nossa interação social, diante de novas medidas de distanciamento e de higiene? E a tecnologia, que nos forçou a migrar para o universo on? A arquiteta potiguar Karenina Hentz da Cunha Lima aponta as tendências e transformações que estão ganhando força com a pandemia da Covid-19.

"O tempo maior que estamos passando em casa está evidenciando os cuidados que devemos ter em relação a como nos sentimos em nossas residências. A relação com o espaço que a gente ocupa ganhou uma importância ainda maior. A pandemia trouxe novas tendências para projetos residenciais, assim como acelerou outras que já vinham em crescimento como, por exemplo, a preocupação de espaços cada vez mais aconchegantes em nossas próprias residências,” explica Karenina.

O trabalho remoto vinha em crescimento nas empresas e algumas casas já estavam adaptadas para isso. No entanto, de acordo com a arquiteta, a pandemia acelerou a tendência do home office — e não apenas com uma bancada para o computador, mas também com preocupações com os condicionamentos do conforto térmico, acústico e lumínico. "É importante termos um espaço reservado para o home office, bem como é imprescindível um local adequado para aulas remotas, no caso das famílias que têm crianças, além de espaços destinados para momentos de interação, que agora se adequam aos novos hobbies como a jardinagem ou a tendência crescente do ‘faça você mesmo’ ", indica ela.

De acordo com Karenina, os novos hábitos de higiene vieram para ficar. O hall de entrada, por exemplo, que é uma área de transição entre a rua e a casa, ganha importância. "É um espaço para higienização, onde se pode deixar bolsas, sapatos, sem levar a sujeira da rua para dentro de casa. Ele pode ser complementado com ganchos e mancebos para pendurar os itens recém-retirados, sapateira, banquinho e mesinha. Tudo para tornar mais prático o tira-põe ao chegar e sair de casa ", diz ela.

A bancada de estudos no quarto dos filhos tinha caído em desuso, mas voltou com tudo nos novos projetos durante a pandemia. Segundo a arquiteta, os estudos e o trabalho em casa também elevam a preocupação com a distribuição da internet pelos cômodos. "A experiência da quarentena, com a família toda em casa em tempo integral, vai refletir nos layouts daqui para frente", avalia. Para a profissional, as pessoas voltaram a dar bom uso também aos espaços sociais do lar com foco no lazer. "A valorização de espaços de entretenimento em casa passou a ser ainda maior. Desde o início da pandemia, as pessoas passaram a prestar mais atenção em suas casas e como ela pode oferecer, além de abrigo, diversão em família", acrescenta.

O isolamento social também fez com que as pessoas fizessem a maioria das refeições em casa e, consequentemente, passassem mais tempo na cozinha. "A cozinha foi mais valorizada neste período. Assim como os outros cômodos da casa, ela precisa ser agradável e funcional", diz Karenina. Áreas verdes em casa são cada vez mais desejadas e trazem vários benefícios: o contato com a natureza promove bem-estar e traz conforto térmico e alívio visual. "O cultivo das plantas também vira um momento de descompressão" finaliza.



Laboratório de desenvolvimento de roteiros abre inscrições para segunda edição

Blog SerMídia,

O projeto realiza um laboratório de desenvolvimento de roteiro para mulheres

As estatísticas da violência contra as mulheres no Brasil são alarmantes:  A cada 11 minutos uma mulher é estuprada no país (Fonte: Associação Nacional das Defensoras e Defensores Públicos); A cada duas horas uma mulher é assassinada no país, a maioria mortas por seus companheiros ou por parentes próximos ( Fonte: Monitor da Violência – G1 em parceria com o núcleo de estudos da violência da USP e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública); O Brasil é considerado o quinto país do mundo com maior número de feminicídios. Durante a pandemia os índices são ainda mais preocupantes : Um levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública mostrou que os casos de feminicídio cresceram 22,2% em março e abril/2020, em relação ao mesmo período de 2019.

LabMEDEIAS - projeto de realização de um laboratório de desenvolvimento de roteiros para mulheres –  chega não só para denunciar, como também para ajudar a quebrar esses números.  O projeto é feito por uma equipe majoritariamente feminina e aborda histórias de mulheres contemporâneas que escolhem seu próprio destino. A 1ª edição do laboratório aconteceu em 2019, com apoio do Sebrae/RN, onde foram selecionadas 11 autoras, dentre 80 inscrições. Em virtude da pandemia do coronavírus (COVID-19) e dos necessários protocolos de segurança, o 2º LabMEDEIAS será realizado no formato on-line.

O LabMEDEIAS tem como objetivo aprimorar e/ou desenvolver argumentos e sinopses através de mentoria com roteiristas. Ao todo, serão 6 encontros virtuais, realizados através da plataforma Google Meet. As inscrições para esta segunda edição estão abertas do dia 04 a 14 de marçoatravés de formulário eletrônico. Poderão concorrer argumentos e/ou sinopses escritos por autoras mulheres, estreantes ou não estreantes, maiores de 18 anos, residentes e domiciliadas na região Nordeste. Serão selecionados 11 argumentos e/ou sinopses, cujas autoras participarão do laboratório no mês de abril. O resultado da seleção será divulgado no dia 25 de março, no perfil @projetomedeias no Instagram.

O LabMEDEIAS é uma coprodução da Casa de Zoé e Caboré Audiovisual. A 2ª edição do projeto conta com recursos da Lei Aldir Blanc Rio Grande do Norte, Fundação José Augusto, Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal.

SERVIÇO

2º LabMEDEIAS - Laboratório de desenvolvimento de roteiro para mulheres

Inscrições: 04 a 14 de março

https://abre.ai/labmedeias-2021

Mais informações:

@projetomedeias

@casadezoe

@caboreaudiovisual



1-20 de 479