Sintro descumpre liminar e ônibus da empresa Conceição são impedidos de sair da garagem

Decisão judicial foi expedida na terça-feira pela juíza do trabalho Lilian Matos Pessoa da Cunha Lima.

Da redação,

O Sindicato dos Trabalhadores e Transportadores Rodoviários do Rio Grande do Norte (Sintro) descumpriu nesta quarta-feira (24) a medida liminar expedida pela juíza do trabalho Lilian Matos Pessoa da Cunha Lima, na tarde de ontem (23), que determina que os representantes do sindicato “se abstenham de impedir a circulação” dos ônibus da Empresa Nossa Senhora da Conceição. Membros do sindicato voltaram a impedir a saída dos veículos da garagem nas primeiras horas de hoje.

A decisão judicial também proíbe os sindicalistas de se aproximarem a uma distância menor que 500 metros da garagem da empresa, sob pena de pagamento de multa diária de R$ 20 mil. A decisão atendeu a um pedido impetrado pela empresa, que pretende evitar a paralisação total das atividades, como vem impondo a entidade sindical.

“Infelizmente, atitudes como esta, frutos de um sindicalismo retrógrado e personalista, nos desanimam ainda mais. Vivemos um momento em que todos deveriam firmar um pacto para sairmos da crise juntos. Mas, diante desta atitude do sindicato, ficamos mais um dia sem poder circular nossos ônibus. E aí eu pergunto: como vamos poder pagar os salários e manter os empregos deste jeito?’, desabafou o empresário Marcelo Passo, diretor da Empresa Conceição.

Normalmente, a Conceição opera com 100 ônibus em Natal. Durante a pandemia, em virtude da redução de frota imposta pelo Decreto Estadual, tem operado com 40 veículos, em 12 linhas da capital.

Multa

O presidente em exercício do Sintro, Júnior Bacurau, chegou a afirmar nesta quarta-feira que o sindicato não irá cumprir a decisão judicial e continuará a impedir a saída dos ônibus das garagens, mesmo que tenham de pagar multa diária de R$ 20 mil por essa atitude. Ele disse que os veículos da empresa Cidade do Natal estão em circulação porque são os únicos que possuem cobradores, uma das reivindicações do sindicato.

Tags: decisão judicial descumprimento greve dos rodoviários Sintro
A+ A-