Natalenses buscam alternativas para reduzir efeitos da greve dos rodoviários

Passageiros utilizaram outros transportes para compensar circulação de apenas 30% da frota de ônibus.

Rafael Araújo,
Ricardo Júnior/Nominuto
Mesmo com greve dos rodoviários, algumas paradas estavam com fluxo normal de passageiros enquanto alternativos circularam lotados.
A paralisação dos ônibus fez o natalense buscar alternativas para se deslocar na manhã desta terça-feira (7). A equipe do Nominuto.com passou por algumas paradas da cidade e observou que a movimentação nas paradas tem transcorrido dentro da normalidade. Apesar da baixa movimentação nos pontos, a maioria dos coletivos que estão circulando se encontram lotados.

Com a paralisação dos coletivos, a Prefeitura do Natal, através da Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU), autorizou que táxis e transportes escolares realizassem o transporte de passageiros – cobrando o mesmo valor da passagem inteira, no preço de R$ 2,90.

Além disso, já sabendo da paralisação, algumas pessoas optaram pela utilização do transporte ferroviário. Vans com linhas alternativas também tiveram um aumento no número de passageiros.

A greve dos rodoviários acontece desde às 0h de hoje e por causa disso, apenas 30% da frota de veículos está circulando pelas ruas da cidade. A suspensão parcial das atividades para hoje já estava prevista desde o dia 31, quando o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado (Sintro) deflagraram a paralisação.

Com a greve, a equipe do portal passou por algumas das principais paradas da cidade e observou a normalidade de fluxo de passageiros. Nos pontos de ônibus do Midway Mall, da faculdade de Odontologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, da Igreja Universal, ambas na avenida Salgado Filho, e na passarela de Potilândia, a movimentação de passageiros estava dentro da normalidade por volta das 7h45.  

Na zona Norte de Natal, as paradas de ônibus da avenida João Medeiros Filho também estavam com o fluxo de pessoas dentro do esperado para um dia normal. No início da manhã, paradas de ônibus da avenida Tomaz Landim foram observadas com grande quantidade de passageiros.

Impasse nas negociações

Empresários e o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários (Sintro) vêm realizando negociações há cerca de dois meses sem chegar em um consenso sobre o reajuste salarial.

A proposta do Sintro é que ocorra uma correção de 14,28%, 9,28% relativo à inflação mais 5% de ganhos reais. Além de garantir que 80% das linhas tenham cobradores, estabelecer valor unificado de R$ 350 reais para vale alimentação e o fim do banco de horas.

Contudo o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros (Seturn) apresentou uma contraproposta de aumento de 9,28% dividida em duas parcelas.

Tags: Cidades Natal Transportes
A+ A-