Empresas reconsideram demissões após protesto de rodoviários

Frotas da Guanabara e Via Sul voltam a operar após paralisação dos profissionais.

Rafael Araújo,
Arquivo/Nominuto
Frotas de ônibus foram impedidas de sair no início da manhã de hoje devido a um protesto de rodoviários por causa das demissões.

As empresas de ônibus de Natal começaram a reconsiderar as demissões após um protesto dos rodoviários no início da manhã desta quinta-feira (2), onde os trabalhadores impediram a saída dos veículos no horário – a situação foi normalizada na sequência após a Guanabara e Via Sul suspenderem o desligamento de funcionários.

Segundo a assessoria de comunicação do Sindicato dos Trabalhadores e Transportadores Rodoviários (Sintro), as demissões foram anunciadas ontem pela Trampolim, Guanabara e Via Sul.

Após o protesto realizado pelos rodoviários no início da manhã de hoje, a Guanabara – que havia anunciado desligamento de 50 funcionários voltou atrás e reconsiderou as demissões, assim como a Via Sul – que havia sinalizado a demissão de 10 profissionais.

A única empresa que ainda não suspendeu os desligamentos foi a Trampolim, que já anunciou a demissão de 120 funcionários nesta quarta-feira. Por ainda não ter reconsiderado a situação dos trabalhadores, a companhia ainda está sem operar por causa do protesto dos rodoviários.

Nessa quarta-feira (1º), 600 demissões no setor chegaram a ser anunciadas pelas empresas de ônibus de Natal.
A informação foi confirmada pelo consultor técnico do Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros do Município do Natal (Seturn), Nilson Queiroga, ao portal Nominuto,com em entrevista no dia de ontem.
Tags: Natal Ônibus Transportes
A+ A-