CCJ do Senado faz sabatina de André Mendonça, segundo indicado de Bolsonaro ao STF

Mensagem com a indicação de Mendonça chegou à CCJ no dia 18 de agosto. Ao longo de quase quatro meses, senadores cobraram a sabatina do indicado.

Da redação, Agência Senado,
Agência Senado
Caso sua indicação seja aprovada pelo Senado, ele deverá ocupar o cargo de ministro do STF na vaga deixada por Marco Aurélio Mello.

Começou na manhã desta quarta-feira (1°), na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) a sabatina de André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). A reunião deve começar pela leitura do relatório da senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA). Ela destacou que André Mendonça preenche os requisitos constitucionais e que seu parecer não foi pautado por nenhum preconceito político, ideológico ou religioso.

A mensagem com a indicação de Mendonça chegou à CCJ no dia 18 de agosto. Ao longo de quase quatro meses, senadores cobraram a sabatina do indicado, que só foi marcada em novembro. Caso sua indicação seja aprovada pelo Senado, ele deverá ocupar o cargo de ministro do STF na vaga deixada por Marco Aurélio Mello, que se aposentou em 12 de julho.

A relatora da indicação, Eliziane Gama (Cidadania-MA), disse acreditar que o nome será aprovado pelo Senado. Eliziane apresentou voto pela aprovação da indicação de André Mendonça ao STF. Em seu parecer, a senadora considera a sabatina um momento importante para afirmar princípios republicanos e também para superar, segundo ela, preconceitos, muitos deles, “artificiais e reforçados por falas enviesadas do próprio presidente da República". Ela se refere à fala de Jair Bolsonaro de que o indicado seria “terrivelmente evangélico”.

Acompanhe ao vivo:

Tags: CCJ Senado STF
A+ A-