Walfredo Gurgel inicia porta regulada e secretário diz que momento é de união

George Antunes destacou que o principal impacto é disciplinar o atendimento.

Da redação, Sesap,
Ascom/Sesap

O sucesso do regime de porta regulada, implantado a partir desta segunda-feira (15) no Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, como um importante passo na melhoria da qualidade da assistência, precisa caminhar junto com a união de esforços entre municípios e Governo do Estado. Aliado a esta medida, a Secretaria de Estado da Saúde Pública do Estado (Sesap) está montando estratégias para que os municípios consigam melhorar o prontoatendimento e ter mais resolutividade. Sobre este e outros temas o secretário de Saúde, George Antunes, concedeu hoje entrevista ao Jornal do Dia, anunciando outras medidas em benefício da assistência básica.

“Uma das estratégias é o trabalho de regionalização que já começou pela região Seridó e que já avançou. Estamos estruturando melhor os hospitais de Caicó e Currais Novos e temos agora uma parceria com o município de Angicos e aí é preciso que os municípios do entorno se unam para consorciar e fortalecer esse hospital”, disse George Antunes.

O secretário anunciou medidas para a melhoria da assistência no RN, como o investimento em novos leitos de UTI. De imediato, dentro de 30 dias, a Sesap irá apresentar um contrato para 30 leitos de UTI e após essa quantidade inicial, implantar mais 100 leitos. Esse montante será possível com as reformas do Hospital de Caicó, Currais Novos e Pau dos Ferros, já para este ano. Além destes, George informou que a Sesap pretende implantar mais 16 leitos de UTI.

Uma das formas de melhorar a assistência no Walfredo Gurgel é o investimento na infraestrutura de hospitais de retaguarda, como o Ruy Pereira e na sequência as unidades de Macaíba, São José de Mipibu e Pau dos Ferros, para diminuir a superlotação. “Precisamos buscar alternativas, o Estado sozinho não tem condições de bancar 23 hospitais e nem é o seu papel, atender a média e baixa complexidade”, afirmou o secretário.

Com relação à porta regulada do Walfredo, o principal impacto é disciplinar o atendimento. Atualmente há um volume de mais de 200 pacientes diários e de acordo com o secretário, mais de 60% dos casos deveriam ser direcionados às unidades de prontoatendimento ou postos de saúde, como, por exemplo, pacientes com lombalgia, hipoglicemia leve, torções, que tomam a vaga das vítimas de AVC ou traumatismo grave, demandas que estão no perfil da unidade.

O secretário reforçou que o momento pede a união de esforços: “O Governo e os municípios não tem interesses divergentes, esta é a hora de união. Temos estratégias muito bem montadas para que os municípios consigam melhorar a parte do prontoatendimento”, ressaltou. Uma das consequências benéficas, já aguardadas com a mudança do sistema do Walfredo, é a disponibilidade de pessoal. Ao invés de uma equipe para recepcionar 200 pessoas por dia na emergência, estes profissionais estarão dentro do hospital reforçando o atendimento do público alvo.

Ao final da entrevista, o secretário afirmou que está otimista e que as perspectivas são positivas. “O cenário tem mudado, estou confiante e acredito muito na boa vontade do governador Robinson Faria de acertar e fazer o melhor para o povo do Rio Grande do Norte”, disse.
Tags: regulada Walfredo
A+ A-