Sesap alerta sobre acidentes com animais aquáticos

Período do ano é de reprodução das caravelas e águas-vivas, o que ocasiona risco aos banhistas.

Da redação, Sesap,
Adriana Lúcia Mendes

O Rio Grande do Norte é o décimo estado brasileiro em extensão litorânea, com uma faixa marítima de 410 km. No verão, aumenta a frequência de banhistas em todo o litoral e também a ocorrência de acidentes ocasionados por caravelas e águas-vivas, já que esse período do ano é o de reprodução desses animais, devido ao crescimento da oferta de alimento e da temperatura da água. Diante disso, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) alerta sobre os cuidados a serem tomados em caso de acidentes dessa natureza.

De acordo com o técnico do Programa de Vigilância de Acidentes por Animais Peçonhentos da Subcoordenadoria de Vigilância Ambiental da Sesap, Amauri Brito, esses acidentes na maioria das vezes não são informados para as autoridades de saúde, porque as vítimas não costumam procurar atendimento médico.

No entanto, alerta o técnico, as caravelas e águas-vivas possuem substâncias urticantes (que queimam) e, por isso, podem promover lesões graves. Os acidentes podem causar ardências, dores intensas, lesões elevadas (pápulas) e, às vezes, bolhas. “Em caso de contato com os animais, o que pode ser feito é: lavar o local com água do mar, sem esfregar as mãos na área afetada. Nunca se deve lavar com água doce (da torneira), nem usar álcool ou qualquer outra substância, inclusive urina, como apregoam as crendices populares. Deve-se remover os filamentos do animal com cuidado, sem pressionar o local atingido e pode-se aplicar uma pasta de vinagre com farinha de trigo, para neutralizar a toxina”, explica Amauri Brito.

O técnico ressalta também que as pessoas não devem tocar em caravelas e águas-vivas, mesmo que aparentem estar mortas na areia, pois os animais ainda podem causar queimaduras. Pessoas alérgicas ou que apresentem outros sintomas ou, ainda, que tiverem grande área corporal atingida devem procurar atendimento médico o mais rápido possível. Em caso de dúvidas ou outras informações, pode-se entrar em contato com o Centro de Assistência Toxicológica do RN (CEATOX), por meio do número 3232-7969.

Tags: animais aquáticos Saúde Sesap
A+ A-