Secretário de Saúde do Estado alerta sobre os cuidados durante período eleitoral

RN soma um total de 2.377 óbitos pela covid-19 e 68.765 casos confirmados da doença.

Da redação, Sesap,
Reprodução
Secretário de Saúde do RN, Cipriano Maia, durante coletiva para atualização dos dados da covid-19.

SELO-CORONA-100O Secretário de Saúde do Rio Grande do Norte, Cipriano Maia, alertou sobre a importância de seguir medidas de segurança contra a covid-19 durante processo eleitoral no estado, em entrevista coletiva desta segunda-feira (28).

O chefe da pasta reforçou que tanto os eleitores quanto os candidatos e seus respectivos partidos devem respeitar todas as recomendações feitas pelo comitê de especialistas da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) para que o estado não viva uma nova alta no número de casos da doença.

Para isso, a Secretaria de Saúde divulgou uma série de recomendações direcionadas para o momento de campanha e eleições, com o intuito de reforçar a importância das práticas e manter a população protegida. De acordo com o Cipriano, os partidos foram alertados sobre as medidas de segurança.

Em seu discurso, o secretário de Saúde reforçou que a pandemia não acabou e a forma com que vamos viver esse período eleitoral vai influenciar no desenvolvimento ou retrocesso da síndrome no estado.

Entre a série de recomendações, Cipriano destacou as seguintes:

* Haverá a possibilidade de realização de comícios, passeatas e convenções presenciais desde que estejam dentro da fase do protocolo de retomada do setor de eventos, respeitando as regras de distanciamento social e proteção individual, e com autorização da Vigilância Sanitária municipal;

* O município deve ser o responsável pelo monitoramento dos eventos e garantia da implementação das medidas de biossegurança;

* Os eventos partidários e eleitorais devem seguir o protocolo de biossegurança conforme as recomendações do presente documento e conforme o “Plano Básico de Segurança Sanitária de condutas para a retomada do setor de eventos no Rio Grande do Norte”, desde que realize os ajustes indicados;

* Evitar o uso e compartilhamento de materiais de campanha impressos como cartilhas, jornais, santinhos, dando preferência sempre que possível ao marketing digital;

* As medidas de biossegurança e distanciamento social durante os atos de campanha e no dia da eleição deverão estar de acordo também com o preconizado no Plano de Segurança Sanitária do Tribunal Superior Eleitoral, disponível em: http://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/arquivos/plano-de-seguranca-sanitaria-eleicoes-2020/rybena_pdf?file=http://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/arquivos/plano-de-seguranca-sanitaria-eleicoes-2020/at_download/file.

Por fim, Cipriano Maia reafirmou que “a campanha é um momento rico de debate, mas precisamos manter o distanciamento social, as medidas de higiene e o uso correto da máscara. Não podemos deixar que o nosso momento de exercer a democracia se transforme em um espaço para o contágio do coronavírus, o qual pode acarretar em um cenário de novas perdas”.

Dados epidemiológicos

Durante a coletiva, Cipriano Maia também atualizou os dados epidemiológicos que ilustram o cenário da Covid-19 no estado. Conforme as informações fornecidas pela Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica e apresentadas por ele, a taxa de ocupação dos leitos covid do Rio Grande do Norte, até a manhã desta segunda-feira (21), é de 36%. São 244 pacientes internados em leitos críticos e clínicos, confirmados ou suspeitos com a doença respiratória, em instalações públicas e privadas no estado.

O estado soma um total de 2.377 óbitos (nenhum nas últimas 24 horas)  pela doença e investiga outras 312 mortes. A Sesap soma um total de 68.765 casos confirmados da covid-19, além de 34.861 suspeitos e 140.119 descartados.

Quanto à ocupação dos leitos por Regiões de Saúde, a lotação das unidades está distribuída da seguinte maneira: o Oeste com 48%, apresentando a maior taxa; seguido pelo Alto Oeste com 40%; Trairi/Potengi com 36%; as regiões Metropolitana e do Mato Grande estão com 33%; o Seridó soma 28% dos leitos ocupados; e o Agreste é a única zona do estado que não possui pacientes internados com a doença.

Em relação ao índice R(t) - que determina o potencial de propagação do vírus – segundo os dados do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), está em 0,88 para o RN como um todo, valor menor quando comparado ao índice de sexta-feira (25) de 1,09. Entretanto, mesmo com a queda, a taxa de transmissibilidade está acima e igual a 1,0 em cinco das oito regiões de saúde do estado, o que o secretário de saúde apontou como preocupante.

A taxa de transmissibilidade ficou dividida da seguinte maneira no RN: Mato Grande (1,31), Seridó (1,02), Trairi Potengi (01,15), Oeste (1,00), e RM (1,07), com os valores mais críticos. E as demais regiões apresentando índices um pouco menores: Agreste (0,85), Alto Oeste (0,90) e Vale do Açu (0,99).

Conforme apontava o Regula RN - Sistema de Regulação do Acesso à Assistência em Saúde do estado -, até o meio-dia, havia na fila de espera para leito crítico quatro pacientes (1 na lista e 3 aguardando prestado); mais 7 pessoas aguardavam por um leito clínico; e outras seis esperavam transporte para serem removidos.

Tags: covid-19 dados epidemiológicos novo coronavírus pandemia RN Sesap
A+ A-