RN registra sete transplantes nos últimos três dias

Entre os doadores estão o procurador-geral do RN, Miguel Josino e um jovem de 19 anos.

Kyberli Gois,
Divulgação

Em meio a dor, uma atitude de amor. Somente nas últimas 36h, o Rio Grande do Norte registrou sete doações de órgãos. Quatro deles vieram do procurador-geral do Estado, Miguel Josino, 48 anos, que teve a morte cerebral confirmada pelos médicos na última segunda-feira (19), após uma queda do primeiro andar do prédio onde morava.

No caso do jurista foram captados as duas córneas e os dois rins. Além dele, um jovem de 19 anos que estava internado no Hospital Walfredo Gurgel também ajudou uma nova família doando os dois rins. O RN ainda registrou a captação de um coração vindo de Sergipe.

Os números que podem aumentar com a desmistificação do processo de doação, explica a coordenadora da Central de Transplantes do RN, Artenise Revoredo. “Essa história de dizer que matam as pessoas não existe, até porque se houvesse essa má fé na grande maioria das vezes esses órgãos não seriam viáveis”.

Atualmente 68 pessoas aguardam por um transplante de córnea no Rio Grande do Norte. O número de pessoas na fila de espera por novos rins é um pouco maior e somam 89 pacientes. 

No Rio Grande do Norte cinco hospitais públicos e particulares tem equipamentos e médicos para o processo de transplante e estão habilitados na rede nacional para doar e receber órgãos. 

Estatísticas

No período de 1º de janeiro a 16 de abril, o Rio Grande do Norte registrou 13 doadores de órgãos (rins e fígado), 38 doadores de córneas e sete doadores de coração para processamento de válvulas cardíacas. No mesmo período foram realizados no Estado 18 transplantes de rim, 53 transplantes de córneas e um transplante de fígado.

Tags: RN saúde transplantes
A+ A-