Pfizer confirma que EUA vão comprar 500 milhões de doses de vacinas para doação

Comunicado deve ser feito hoje pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, em discurso antes do início da cúpula do G7.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Divulgação/Ministério da Saúde
Vacinas da Pfizer serão vendidas a preço de custo, sendo 200 milhões de doses entregues a partir de agosto de 2021.

SELO-CORONA-100A Pfizer confirmou nesta madrugada de quinta-feira (10) que os Estados Unidos vão comprar 500 milhões de doses da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela farmacêutica em parceria com a BioNTech para doação a outros países. A informação foi adiantada ontem pela imprensa americana e deve ser confirmada ainda hoje pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, em discurso antes do início da cúpula do G7.

De acordo com o comunicado publicado pela Pfizer, essas vacinas serão vendidas a preço de custo, sendo 200 milhões de doses entregues a partir de agosto de 2021 e 300 milhões no primeiro semestre de 2022. Os EUA devem distribuí-las ao mundo por meio do mecanismo Covax Facility, consórcio criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para diminuir a desigualdade no acesso a imunizantes contra o novo coronavírus.

"Nossa parceria com o governo dos EUA ajudará a levar centenas de milhões de doses de nossa vacina aos países mais pobres do mundo o mais rápido possível", diz o CEO da Pfizer, Albert Bourla, na nota. "A covid-10 impactou a todos, em todos os lugares, e para vencer a batalha contra esta pandemia, devemos garantir o acesso rápido às vacinas para todos", acrescenta.

Tags: Covax Facility doação de vacinas EUA OMS Pfizer/BioNTech
A+ A-