Paciente com suspeita de ebola pode receber alta na segunda

Médicos da Fundação Oswaldo Cruz informaram que Soullymane Bah passa bem.

Da redação, Portal Band,

Os médicos da Fundação Oswaldo Cruz informaram neste sábado (11) que passa bem o paciente com suspeita de ebola, internado no Rio de Janeiro. Soullymane Bah, de 47 anos,  continua sob observação e pode receber alta na segunda-feira (13), após o resultado do segundo exame. Ele recebeu com alívio o laudo negativo do primeiro teste, divulgado mais cedo. Amanhã (13) ele repetirá o exame, que pode descartar definitivamente o diagnóstico de ebola.

“Dando negativo, ele passa a ser um paciente viajante, que veio da África e que teve um quadro febril. Clinicamente, se não houvesse a suspeita do ebola, ele não precisaria ficar internado”, explicou o médico infectologista da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Jorge Cerbini. De acordo com o diretor do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI), Alejandro Hasslocher, onde Soullymane recebe os cuidados médicos, todo paciente com suspeita de qualquer doença infecciosa grave, é submetido a dois exames para confirmar a doença. No caso do paciente da Guiné, no entanto, os médicos acreditam que o ebola não deve ser confirmado.

“Ele não teve nem febre desde que chegou, então, o risco é baixíssimo”, avaliou a infectologista do INI, Marília Santini. “O que acontece no ebola é que quanto mais doente, maior a quantidade de vírus no sangue. Então, se você colheu [o sangue] no primeiro dia e a pessoa não está muito doente, [o exame] pode dar negativo. Em dois dias, se a pessoa tem o vírus, dá positivo. Por isso, não podemos dizer ainda que a chance de dar negativo é zero”, ponderou.

Caso receba a alta, a liberação do paciente dependerá da logística para transportá-lo de volta ao Paraná, de onde veio ao Rio em avião da Força Aérea Brasileira. O esquema especial na Fiocruz será mantido até o resultado do segundo exame, que sai na segunda-feira.

Os especialistas informaram que todo o protocolo de atendimento e segurança para o ebola foi seguido à risca na Fiocruz, que é a unidade de referência para os casos suspeitos no Brasil. Dois quartos do INI estão preparados desde junho e os profissionais foram treinados em vários simulados. Ao todo, a unidade tem 32 leitos que podem atender pacientes suspeitos.

Soullymane Bah foi notificado na quinta-feira (9) em uma Unidade de Pronto-Atendimento em Cascavel (PR). O paciente saiu da Guiné, na África Ocidental, no dia 18 de setembro, e chegou ao Brasil em 19 de setembro. Por apresentar febre e ter vindo de um dos países com a doença, foi classificado como suspeito e encaminhado à unidade de referência no Rio de Janeiro.

Tags: ebola
A+ A-