OMS vai avaliar segurança da vacina russa contra covid-19, diz Opas

Diretor-assistente da Organização Pan-Americana de Saúde disse que não é possível colocar uma imunização em uso sem que todas as fases de teste sejam concluídas.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Anton Vaganov/Reuters
No caso de vacinas em teste contra covid, pesquisadores estimam que possam estar licenciadas menos de 6 meses após início da fase 3.

SELO-CORONA-100O diretor-assistente da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), Jarbas Barbosa, afirmou nesta terça-feira (11), que a Organização Mundial da Saúde (OMS) está em contato com autoridades russas para obter e checar os dados de eficácia e segurança da vacina contra covid-19.

“A princípio, o produtor tem que realizar ensaios clínicos de fase 1, 2 e 3”, afirmou o diretor durante coletiva da Opas, o braço das Américas da OMS. “Não se pode usar uma vacina sem que todas as fases estejam concluídas".

 O presidente da Rússia, Vladimir Putin, anunciou que o imunizante desenvolvido pelo Instituto Gamaleya foi o primeiro a ter regulamentação aprovada no mundo, mesmo sem conclusão da fase 3 de testes em humanos. Com isso, já pode ter aplicação em massa no país europeu.

Barbosa explicou que, através da metodologia aplicada para qualquer imunização desenvolvida no mundo, é possível atestar o valor da eficácia e se é segura para uso. Ele acrescentou que a Opas só irá se posicionar sobre a vacina russa após a checagem dos dados das autoridades regulatórias do país serem revisadas pela OMS.

O imunizante russo tem causado desconfiança e dúvidas em cientistas brasileiros pela possibilidade de “pular” etapas e pela falta de divulgação dos resultados. Dados e detalhes das fases anteriores dos testes clínicos, por exemplo, não foram publicados em nenhuma revista científica.

Tags: Covid-19 Vacina
A+ A-