Natal registra quase 1.600 casos de arboviroses no 1º trimestre de 2020

Planalto, Felipe Camarão e Lagoa Azul são áreas com maior incidência desses casos.

Da redação, Prefeitura do Natal,
Paulo Whitaker
Situação atual e preocupante das arboviroses no Brasil reflete um complexo contexto.

De acordo com o último boletim Entomoepidemiológico das Arboviroses disponibilizado pela Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS - Natal), através do Centro de Controle de Zoonoses, Natal registrou 1.580 casos de arboviroses no primeiro trimestre de 2020.

Os números relacionados à dengue somam 1.285 notificações, o que corresponde a 280 casos a mais do que os registrados no mesmo período ano passado  Além da dengue, outras arboviroses apresentam números crescentes na capital, como a Chikungunya, que contabilizou 278 casos, e a Zika, com 17 casos confirmados.

Os bairros do Planalto, Felipe Camarão e Lagoa Azul são áreas com maior incidência desses casos. “Definimos que vamos manter os trabalhos em áreas de alto risco. E o serviço do UBV (carro fumacê), seja na forma portátil ou pesada, vai ser utilizado nessas áreas”, diz Alessandre Medeiros Tavares, coordenador do Centro de Controle de Zoonoses de Natal.

Nesse período de pandemia, o CCZ- Natal ressalta que apenas os serviços de visitas domiciliares realizados pela equipes serão suspensas. “Vamos fazer apenas o tratamento da parte externa das residências, e vamos estar realizando também a contagem dos imóveis e atualizando o nosso reconhecimento geográfico”. O CCZ-Natal pede que a população ajude no combate ao mosquito mantendo os ambientes limpos e evitando o acúmulo de água parada.

Tags: arboviroses Natal notificações Prefeitura do Natal
A+ A-