Índia libera exportação da vacina de Oxford para o Brasil; envio começará amanhã

Governo indiano havia suspendido a exportação de doses até iniciar a própria campanha de imunização, o que ocorreu no último fim de semana.

Da redação, Estadão Conteúdo,
AFP
Índia vai enviar para o Brasil na sexta-feira doses da vacina contra covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford e pela AstraZeneca.

SELO-CORONA-100O governo da Índia liberou a exportação comercial de vacinas contra a covid-19. As primeiras remessas de doses serão enviadas para o Brasil e Marrocos nesta sexta-feira (22), segundo declaração do secretário de Relações Exteriores do País à agência Reuters.

As doses são do imunizante contra o coronavírus desenvolvido pela Universidade de Oxford com a farmacêutica AstraZeneca e foram fabricadas no Instituto Serum da Índia, o maior produtor de vacinas do mundo e que recebe pedidos de diversos continentes.

O governo indiano havia suspendido a exportação de doses até iniciar a campanha de imunização dentro do país, o que ocorreu no último fim de semana. Logo depois, ele enviou vacinas para países vizinhos, como Butão, Maldivas, Bangladesh, Nepal, Mianmar e o arquipélago de Seicheles.

O secretário de Relações Exteriores do País, Harsh Vardhan Shringla, afirmou que a distribuição comercial do imunizante começará a partir desta sexta-feira, de acordo com o compromisso do primeiro-ministro do País, Narendra Modi, de que a capacidade de produção indiana serviria à toda humanidade para combater a pandemia.

“Eu sigo com essa visão. Nós respondemos positivamente aos pedidos por fornecimento de vacinas feitas na Índia de países de todo o mundo, começando pelos nossos vizinhos”, disse. “O fornecimento de quantidades comercialmente contratadas  começará a partir de amanhã, começando pelo Brasil e Marrocos, que serão seguidos pela África do Sul e a Arábia Saudita.”

O governo brasileiro aguarda o envio de 2 milhões de doses de vacinas adquiridas pela Fiocruz. Na semana passada, um avião chegou a ser enviado para buscar o material, mas parou em Recife antes de cruzar o Atlântico, diante da falta de confirmação por parte do governo indiano que o produto seria fornecido.

Tags: AstraZeneca covid-19 exportação de vacina Índia novo coronavírus Universidade de Oxford
A+ A-