Comitê Científico desenvolve indicador que auxilia municípios no controle da covid-19

Isso permitirá a tomada de decisões para evitar que crescimento de casos tenha como resultado um surto local ou o aumento da taxa de ocupação de leitos.

Da redação, Governo do Estado,
Assecom/RN
Segundo o secretário de Saúde, Cipriano Maia, o indicador permitirá mapeamento da evolução semanal de casos por município.

SELO-CORONA-100O secretário estadual da Saúde, Cipriano Maia, anunciou, na coletiva de imprensa desta sexta-feira (23), a criação do “indicador composto” que permitirá mapeamento da evolução semanal de casos por município.

“A partir de hoje, começamos a disponibilizar para todos os entes responsáveis pelo monitoramento da pandemia no Estado, o “indicador composto” desenvolvido pelo Comitê Científico, com a participação decisiva do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da UFRN, que se soma aos indicadores que já vínhamos utilizando, como a taxa de ocupação de leitos e o índice de transmissibilidade”, disse.

O indicador reúne nove variáveis que traçam um olhar mais acurado sobre a situação de cada município e um escore que mostra a evolução a cada semana. Isso permitirá a tomada de decisões para evitar que o crescimento de casos tenha como resultado um surto local ou em aumento de casos de taxas de ocupação de leitos.

“Um importante instrumento com contribuição decisiva da ciência, como vem sendo desde o início, sob a coordenação da professora Fátima Bezerra, para ter o melhor resultado em salvar vidas, que é o objetivo do SUS e da ação governamental”, ressaltou o secretário.

O professor da UFRN e membro do Comitê Científico da Sesap, Ângelo Roncalli, explicou o estudo que resultou na criação do indicador composto. “O Comitê percebeu que, para entender melhor a situação da covid no estado, havia necessidade de usarmos diferentes variáveis, de características assistenciais e epidemiológicas. A partir de um longo processo acadêmico de validação, foram estabelecidas nove variáveis, sendo duas relativas aos leitos, outras seis de características epidemiológicas e uma relativa à cobertura de testagem.”

O indicador vai de 1 a 5, onde 1 é a melhor situação e 5 a pior. Foram usadas cores alusivas aos semáforos de trânsito, sendo o 1 e 2 em dois tons de verde, o 3 e 4 em dois tons de amarelo e o cinco em vermelho. “Como ele é calculado a cada semana, temos condições de monitorar a evolução de cada município”, explicou.

Ele lembra que o indicador terá diversas possibilidades de embasar as ações nos municípios. “É importante fazer também a leitura específica de cada variável, o que vai permitir uma tomada de decisão mais eficiente e eficaz no enfrentamento da covid no estado”.

O detalhamento do indicador estará disponível no portalcovid19.saude.rn.gov.br e será enviado ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Ministério Público do RN (MPE) e Ministério Público Federal para desenvolvimento de eventuais ações, a critério dessas instituições.

Covid-19 no RN

Em relação aos dados epidemiológicos da covid-19 no Estado, o secretário informou que há 79.501 casos confirmados e 29.888 casos suspeitos. Em relação aos óbitos, os dados apontam 2.558 óbitos confirmados por covid-19, sendo nenhum nas últimas 24 horas. Ainda há 353 óbitos em investigação.

O índice que indica o potencial de transmissão da covid 19, a Rt, está em 0,70 no estado como um todo. As regiões Mato Grande (0,56), Seridó (0,91), Trairi/Potengi (0,80) e Metropolitana (0,76), o Agreste potiguar está com Rt de 0,62, o Oeste com 0,87, o Alto Oeste com 0,68 e o Vale do Açu com 0,70.

Quanto à taxa de ocupação das unidades de saúde, a Região Metropolitana está com 35% dos leitos ocupados, o Oeste com 47%, Alto Oeste com 77%, Seridó com 32% de ocupação. A região do Mato Grande tem 50% de ocupação dos leitos covid, a região Trairi/Potengi tem 18%, e na região Agreste não há pacientes internados com sintomas da doença em leitos críticos.

Tags: controle da covid-19 covid-19 indicador novo coronavírus pandemia RN Sesap
A+ A-