Associação de laboratórios teme escassez e pede critério em teste de covid

Espalhamento da variante Ômicron fez demanda explodir nas últimas semanas. Rede D´Or e Dasa priorizam casos mais urgentes e RaiaDrogasil suspende agendamentos para testes.

Da redação, Estadão Conteúdo ,
Reuters
A Abramed diz não saber até quando os laboratórios conseguirão atender a demanda por exames, que cresceu principalmente por causa da Ômicron.

A Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed) alerta para a possibilidade de falta de testes de antígeno e PCR (o molecular, tipo mais preciso), se estoques de insumos necessários para a realização de exames laboratoriais para o diagnóstico da covid-19 não forem repostos “rapidamente”. A Abramed diz não saber até quando os laboratórios conseguirão atender a demanda por exames, que cresceu principalmente por causa da alta transmissibilidade da variante Ômicron, e recomenda parar de testar casos leves da doença.

A Rede D'Or, de hospitais privados, disse que já tem priorizado pacientes com indicação clínica, internados e profissionais de saúde, diante da alta demanda de exames. A testagem dos casos não graves será retomada "tão logo haja um reequilíbrio entre a demanda e os insumos disponíveis". A Dasa, grupo brasileiro dono de dezenas de redes de laboratórios de medicina diagnóstica, afirmou priorizar casos graves e profissionais de saúde. Já a Rede de farmácias RaiaDrogasil suspendeu o agendamento online para testes de covid. 

“Quando avaliamos as notícias que vêm de outros países, de que já estão sem insumos, é certo que o problema chegará ao Brasil”, informou o presidente do Conselho de Administração da Abramed, Wilson Shcolnik, em nota. “Não é possível mensurar nesse momento até quando poderemos atender, pois os estoques são variados dependendo do laboratório e da região, mas há um risco real de desabastecimento”, alerta.

Segundo a Abramed, seus associados respondem por mais de 65% de todos os exames realizados pela saúde suplementar no País. Para eles, a associação emitiu nota técnica pedindo pela priorização de pacientes a serem testados.  A escala de gravidade se dá na seguinte ordem: pacientes que tenham maior gravidade de sintomas; doentes hospitalizados e cirúrgicos; pessoas no  grupo de risco; gestantes; trabalhadores assistenciais da área da saúde; e colaboradores de serviços essenciais.

Nesse sentido, a Abramed pede que testes não sejam aplicados em “assintomáticos e pessoas com sintomas leves”. Aqueles com quadro leve devem permanecer em isolamento. A entidade disse que informou que entrará em contato com outras entidades do setor de saúde, como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa),  a Agência Nacional de Saúde Suplementar  (ANS),  o Ministério da Saúde,  a Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp) e a Associação Médica Brasileira (AMB) para falar sobre a necessidade de otimizar o uso dos testes.

A associação disse que entre 3 e 8 de janeiro foram mais de 240 mil exames para detecção de infecção pelo coronavírus feitos. A alta é de 98% no número de testes realizados em comparação a semana do Natal, entre 20 a 26. O volume de exames com resultados positivos para covid passou de uma média de 7,6% para mais de 40%. 

Rede D'or e Dasa priorizam casos graves e profissionais de saúde

A Rede D’Or diz que prioriza a realização dos testes em “pacientes com indicação clínica para definição de tratamento e isolamento, pacientes internados e em profissionais de saúde”, limitando a “realização dos exames eletivos ou em pacientes com bom estado geral”.

A rede de hospitais privados ainda destaca que todos os exames coletados estão sendo entregues nos prazos combinados e todos os agendamentos eletivos já confirmados estão mantidos. “Tão logo haja reequilíbrio entre a demanda e os insumos disponíveis, retomaremos a testagem de pacientes que não estejam nos critérios de prioridade”, completa.

Em nota, a Dasa diz ter reorganizado temporariamente o estoque a fim de priorizar os atendimentos dos “pacientes internados e dos profissionais da área de saúde e de serviços essenciais”. “Estamos trabalhando incansavelmente para normalizar as nossas operações”, informa.

O Grupo Fleury diz estar do "expressivo aumento de demanda por testes" e o "potencial para impactar o mercado de insumos”. Informa tem atendido os clientes “com rigorosa gestão de suprimentos e da sua capacidade de processamento, a fim de evitar desabastecimento.

Rede RaiaDrogasil suspende agendamento online

Farmácias da Rede RaiaDrogasil suspenderam temporariamente o agendamento online de testes de covid-19. Em nota, a empresa informa que “está atuando na reposição dos estoques para o abastecimento de suas lojas o mais breve possível”. A retomada no serviço deve se dar quando o abastecimento for “normalizado”. 

Tanto a Droga Raia quanto a Drogasil oferecem testes de quatro tipos: PCR-LAMP, antígeno nasal, antígeno oral e de sorologia. Para fazer o agendamento on-line é preciso fornecer CPF, e-mail e nome. 

Em nota enviada ao Estadão, a empresa diz que “a demanda por testes de covid-19 cresceu consideravelmente e há falta de testes no mercado como um todo”. A Rede RaiaDrogasil reúne mais de 2,3 mil lojas em 24 Estados.

Tags: covid pandemia teste
A+ A-