12 dicas para preservar sua saúde física e mental

Equilíbrio é o caminho para manter ambos saudáveis, dizem os especialistas.

Da redação,
Divulgação
Aproveitar o maior tempo em casa com a família para desenvolver atividades criativas, que deixou de lado por algum tempo, é uma boa dica.

SELO-CORONA-100Os dias de isolamento avançam pelo calendário e com eles aumentam o medo em relação ao presente e as preocupações com o futuro. Esse período de estresse exacerbado pode se refletir na saúde física, e relatos de unhas quebradiças, cabelos caindo e balança subindo ficaram mais frequentes nas consultas à distância.

Esse "pacote" invadiu as sessões de terapia, que se tornaram quase monotemáticas e passaram a abordar os diferentes efeitos da pandemia - cada um sente o peso do momento de uma forma e é natural que seja assim. Falar sobre os sentimentos faz bem e é uma das recomendações dos especialistas, que sugerem também um esforço para mudar o foco quando a angústia e a ansiedade derem sinais.

O que comemos também pode ter impacto na saúde mental. Quer um exemplo? Consumir verduras e legumes para garantir ao organismo uma quantidade adequada de fibras ajuda no melhor funcionamento do intestino, interferindo positivamente no humor.

Veja 12 dicas úteis para cuidar do corpo e da mente neste período de quarentena:

Preste atenção ao pensamento que está escolhendo ter. “Todo mundo está sentindo alguma coisa, e isso vai repercutir na pele, no estômago, no coração”, diz a médica Márcia Senra, coordenadora do Departamento de Psicodermatologia da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

●  Tente retomar atividades criativas que gostava de fazer e deixou de lado por algum motivo - e que podem ser feitas dentro de casa, é claro. Veja filmes alegres, leia um bom livro.

técnicas-respiratórias-H

●  Reserve um tempo diário para ficar em um ambiente tranquilo e colocar em práticas técnicas respiratórias e fazer meditação guiada antes de dormir, para relaxar cada área do corpo. “Toda atividade que você coloca mente e corpo funcionando de forma integrada é excelente”, afirma a médica Márcia Senra.

Faça exercícios de forma moderada, escolhendo algo que dê prazer. Dance, faça tai-chi-chuan ou ioga, por exemplo.

Hidrate a pele, principalmente agora que as temperaturas estão mais baixas e a água do banho, mais quente. Aproveite para fazer uma automassagem.

 Tire o foco da comida. Tenha horários e rotina, mantenha as refeições principais - café da manhã, almoço e jantar - e estabeleça alguns horários para lanches saudáveis, como fruta ou uma barrinha de cereal, no meio da manhã e da tarde. “E, fora desses horários, se achou que está com fome, espere dar o horário de comer”, sugere o médico Madson Queiroz, professor da Faculdade de Medicina da USP e membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

●  Mude o foco quando perceber que a vontade de comer for uma compulsão, para compensar o estresse. “Respire fundo, vá ao banheiro, tome um banho. Depois de um tempo a pessoa vai ver se ela realmente precisava do doce”, diz Angélica. A vontade de um doce também pode ser sede. “Tome água e espere um tempo. Pode ser que melhore.” Saiba quando parar de comer: não espere estar totalmente saciado.

●  Evite alimentos com muita gordura, que têm digestão mais difícil. “Outra coisa que interfere no nosso bom humor é o funcionamento intestinal, e uma alimentação rica em frutas, legumes e verduras vai ajudar nisso também”, diz a nutricionista Angélica Marques de Pina Freitas. É melhor ingerir legumes congelados, se essa for a única opção, do que não comer nenhum tipo de legume. E, se o seu fraco for pães, preste atenção nos recheios.

frutas-H

●  Tente consumir frutas mais doces, como banana bem madura, mamão e manga, se a vontade de comer aquele docinho no final das refeições for irresistível. Se o desejo for de chocolate, opte por aqueles com menos gordura hidrogenada e açúcar, como o meio-amargo ou amargo.

●  Fique atento: se a vontade de ingerir açúcar vier sempre no fim do dia, pode ser um indício de que a alimentação está desequilibrada. “Pode ser que faltem vitaminas, minerais e carboidrato”, afirma Angélica Marques de Pina Freitas, presidente da Associação Paulista de Nutrição.

 Beba muito líquido, de preferência água. Evite suco natural em excesso. É saudável, mas calórico. Não tome refrigerante, suco de caixinha. E reduza a bebida alcoólica ao mínimo possível. “Assim como algumas pessoas vão canalizar a ansiedade para a comida, que vira uma válvula de escape, outras podem fazer isso aumentando a ingestão de álcool. Está todo mundo em casa. O sábado passou a ser igual à segunda, à terça, quarta… Essa é uma preocupação extremamente relevante. Temos de controlar a ingestão de álcool”, afirma o endocrinologista Madson Queiroz.

●  Café, chá preto e chá mate ajudam a piorar a ansiedade. O ideal é tomar de 2 a 3 xícaras (pequenas) por dia.

Tags: dicas pandemia saúde física saúde mental
A+ A-