Fernando Freitas cobra participação de Fátima Bezerra na discussão sobre a Previdência

Diretor do Sindicato dos Auditores Fiscais diz que 'debate está muito ainda no nível da equipe econômica'.

Flávio Oliveira,
Fladson Soares/Nominuto.com
Diretor do Sindifern, Fernando Freitas, em entrevista para o RN Acontece, defendeu mais diálogo do governo com servidores sobre a Previdência.

O diretor do Sindicato dos Auditores Fiscais do estado (Sindifern), Fernando Freitas, cobrou na tarde desta segunda-feira (20) uma participação mais efetiva da governadora Fátima Bezerra na discussão com os servidores sobre a proposta de reforma da Previdência no âmbito estadual. A expectativa é que o projeto seja encaminhado para Assembleia Legislativa no dia 4 de fevereiro.

Em entrevista para o jornalista Diógenes Dantas, no RN Acontece, da Band, Freitas disse que a chefe do Executivo irá trabalhar para buscar um entendimento com as categorias. “O debate está muito ainda no nível da equipe econômica, a governadora tem que participar disso. Porque ela com a sensibilidade política dela e a sensibilidade social, que ela vai modular a nível de proposta, uma saída”, disse.

O auditor fiscal disse ainda que ainda existe espaço para negociação e que em alguns pontos, a proposta no do governo estadual é mais severa do que foi aprovado pelo governo federal. “Acho que há margem sim. Por exemplo, essa proposta do governo de iniciar, de taxar a isenção dos atuais aposentados e pensionistas para um salário mínimo está errado. O governo Bolsonaro, do ministro Paulo Guedes, de uma origem completamente diferente da origem da professora Fátima Bezerra, fez a sua reforma e manteve a isenção dos seis salários mínimos. Por que a governadora Fátima Bezerra, de origem popular, ela vai fazer uma coisa pior do que isso? Está errado, nós vamos negociar sim”, cobrou.

RN-h2

“Uma outra situação: a alíquota 18%. Você sair de 11% para 18%? 70% de aumento na contribuição? De jeito nenhum. Vamos negociar. Pode ser progressiva. Legal que seja progressiva, mas vamos com uma alíquota efetiva máxima de 14%. O governo federal criou uma tabela orientadora, as pegadinhas políticas. Eles aprovaram, mas eles próprios para os servidores federais não estão utilizando. Está utilizando a alíquota única de 14%”, pontua Fernando Freitas.

A próxima reunião do Fórum dos Servidores está agendada para quarta-feira (22). O diretor do Sindifern acredita que o debate terá avanços, mas que a discussão irá se estender até à votação na Casa Legislativa, com negociação também com os deputados. “Consenso, não vai ter. Agora o que vai ter é muito diálogo e que pode sair, a proposta do governo ser melhorada, e o projeto de Lei que vai para Assembleia já vai com parte do processo de negociação. Eu não tenho dúvida, vamos negociar muito com o governo até o envio da mensagem no dia 4 e depois vamos negociar muito na Assembleia Legislativa”, afirma Freitas.


Confira a entrevista na íntegra:


Tags: Reforma da Previdência RN Acontece Sindifern
A+ A-