Campanha de 2020 sofrerá esvaziamento, avalia Bruno Oliveira

Para o consultor em marketing digital, palanque eletrônico será o mais utilizado pelos candidatos.

Fátima Elena Albuquerque,
Reprodução/TV
Segundo o consultor Brulo Oliveira, País está vivendo um momento de amadurecimento em relação às "fake news".

Devido às mudanças na Lei Eleitoral, já havia uma expectativa para que as eleições municipais deste ano trouxessem novidades para candidatos e eleitores, especialmente na maneira de fazer pré-campanha e campanha, utilizando a internet, seja pelas mídias sociais (Instagram, Facebook, Watsapp, Twitter) ou virtuais (sites, blogs).

Porém, com a pandemia do novo coronavírus, que perdura no Brasil desde o mês de março, o pleito de 2020 passou a ser ainda mais atípico, havendo uma confirmação de que as plataformas digitais e a propaganda gratuita de rádio e TV serão as mais utilizadas pelos pré-candidatos, candidatos e partidos, para manterem o relacionamento com os filiados e eleitores.

De acordo com o consultor em marketing digital Bruno Oliveira, a campanha deste ano sofrerá um grande esvaziamento, como a ausência de grandes movimentações, comícios e o tradicional corpo a corpo. “Mesmo que as coisas voltem aos poucos ao normal, a campanha já está muito em cima”, avalia.

RN-h2

Durante entrevista nesta quinta-feira (9) ao programa RN Acontece, o consultor disse que o palanque digital ganha um forte peso diante desse cenário de pandemia. Na avaliação de Bruno Oliveira, essa será uma campanha em rede e os pré-candidatos precisam já começar de agora a arregimentar o público para fazer uma multiplicação de conteúdo.

Questionado sobre a disseminação de fake news no processo eleitoral, Bruno Oliveira acredita que o País está vivendo um momento de amadurecimento. “Em 2018 houve um pico das fake news, mas, na medida em que a justiça e o próprio mercado vão atuando e as plataformas vão entendendo que as notícias falsas são nocivas para elas próprias, há uma tendência de evolução. Torço para que este ano não sejamos inundados com tantas fake news como fomos na eleição passada”, afirma.

O consultor também explicou que as notícias falsas têm várias formatações e é preciso que haja uma regulação não só jurídica, mas especialmente por parte da população. Bruno Oliveira destacou ainda que não vê a regulamentação em discussão no Congresso Nacional como cerceadora da liberdade de expressão.


Confira a entrevista:


AMS

Tags: Bruno Oliveira Eleições 2020 eleições municipais RN Acontece
A+ A-