Abav lança campanha de incentivo ao adiamento de viagens

Ideia é estimular as pessoas a adiarem seus planos de viagens para se protegerem da Covid-19.

Fátima Elena Albuquerque,
Reprodução/TV
Segundo Michele, as companhias aéreas estão isentando de multa os consumidores que queiram remarcar suas passagens.

Os agentes de viagens de todo o País decidiram lançar uma campanha para tentar minimizar os efeitos da pandemia do coronavírus para o setor do turismo. Intitulada “Adia”, a campanha visa estimular as pessoas a adiarem seus planos de viagens para se protegerem da Covid-19 durante esse período de crise na saúde pública e de isolamento social.

De acordo com a presidente da Agência Brasileira de Agências de Viagens (Abav) no Rio Grande do Norte, Michele Pereira, o consumidor que adia sua programação para o futuro garante sua segurança e ainda colabora com essa indústria, que tem grande peso na economia nacional e mundial. No Rio Grande do Norte, explicou, cerca de 52 atividades dependem diretamente do turismo. Muitos outros setores devem sofrer os impactos da pandemia, porém o turismo é um dos primeiros a apresentar queda, especialmente pelo fechamento das fronteiras.

Durante entrevista nesta quinta-feira (19) ao programa RN Acontece, a presidente da Abav explicou que o movimento junto às agências no sentido de cancelar viagens já contratadas cresceu consideravelmente após o carnaval. “A propagação do vírus se alastrou de uma maneira tal, que as pessoas correram para cancelar os pacotes”, disse. E acrescentou: “Estamos sugerindo que as pessoas adiem suas viagens pelos próximos 60 dias”.

ABAV-H2

Para Michele Pereira, a hora é de unir forças. Ela disse que os setores aéreo e marítimos estão sendo os mais afetados pela pandemia do coronovírus. “O segmento do turismo, que gera milhões para o País, está todo parado. Daí a nossa campanha para que as pessoas não cancelem suas viagens e sim as adie para o segundo semestre, por exemplo. Isso vai ajudar o setor e fazer o turismo voltar a respirar. Precisamos da ajuda de todos”, destacou.

Michele frisou ainda que todas as companhias aéreas estão isentando de multa os consumidores que queiram remarcar suas passagens. Quanto aos custos adicionais, como por exemplo para quem comprou viagens na baixa estação e agora opte pela alta estação, ela esclareceu que pode haver uma diferença de tarifa. “É aí que entra o trabalho de uma agência de viagens. Ela vai buscar o melhor período para o cliente e uma tarifa semelhante à que foi comprada anteriormente”, afirmou.

Segundo dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) o setor de Viagens e Turismo gerou um faturamento de R$238,6 bilhões em 2019 e emprega formalmente cerca de 2,9 milhões de pessoas no Brasil.


Confira a entrevista:


AMS

Tags: Michele Pereira RN Acontece
A+ A-