Veja revela que o Ministério Público irá denunciar o ex-presidente Lula

Segundo a revista, o MP confirmou que o tríplex no Guarujá pertence ao ex-presidente, que usou a OAS como "laranja".

Da redação,

VEJA1Veja

O tríplex de Lula: a hora da verdade

O Ministério Público decide denunciar o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva pelo crime de ocultação de patrimônio no caso do apartamento no Guarujá reformado e mobiliado por umas das empreiteiras punidas na operação Lava-Jato.

Depois de confirmar que ele é dono de um tríplex reformado e mobiliado pela OAS, empreiteira punida no escândalo do petrolão, promotores enquadram o ex-presidente numa das modalidades clássicas do crime de lavagem de dinheiro.

A OAS desempenhou ainda o papel de "laranja" de Lula, passando-se por dona do tríplex. A manobra foi cuidadosamente apurada pelos promotores do Ministério Público de São Paulo. Durante seis meses, eles se dedicaram a esquadrinhar a relação entre a OAS e o patrimônio imobiliário dos chefes petistas.


ISTOEIstoé

Um mosquito cada vez mais perigoso

A incapacidade do governo em conter a epidemia transformou o Aedes aegypti em um supermosquito que ultrapassou fronteiras, se espalhou pela América Latina, amedrontou o mundo e irá comprometer a próxima geração de brasileiros.

Diante dessa vergonhosa situação, que ameaça toda a população e compromete as futuras gerações, vide as centenas de bebês nascendo com microcefalia, o País enfrenta também mais um revés econômico, às vésperas do Carnaval e de sediar o maior evento esportivo do planeta, a Olimpíada, em agosto, no Rio de Janeiro. Muita gente está desistindo de vir para cá, principalmente as mulheres grávidas.

O GPS da Dilma

A presidente da República dá sinais de mudança de rota na política econômica, mas para não parecer desorientação ou uma mera tentativa de atender aos interesses eleitorais do PT, o governo promete anunciar um plano para tirar o Brasil da crise. Será que agora vai?


EPOCA1Época

No submundo das gangues virtuais

Experiências digitais: a revista se infiltrou no universo desconhecido em que jovens promovem ataques racistas e homofóbicos em busca da fama no Facebook.

Ao longo do último mês, Época conversou longamente com dezenas de participantes e organizadores desses grupos virtuais, além de se infiltrar nessas comunidades fechadas com um perfil falso. Encontrou ali uma terra sem lei, desconhecida para grande parte dos 99 milhões de usuários do Facebook no Brasil. Num rápido passeio virtual, não é difícil encontrar conteúdos ilegais dos mais variados tipos – de racismo e xenofobia até pornografia infantil. As imagens de adolescentes nuas são como troféus que garantem status a seus detentores.


CARTA-P1

CartaCapital

Petróleo e Crise

Petrobras: A má administração solapa um patrimônio destinado a ser a salvaguarda do Brasil.
Mundo: Uma nova tempestade financeira se avizinha e torna incerto o cenário em 2016.
Irã: A volta do país ao mercado deprime ainda mais o preço do produto.

Tags: CartaCapital Época Istoé Revistas semanais Veja
A+ A-