Veja destaca a turbulência nos mercados por causa dos ajustes na China

Gigante asiático passa por uma transição sujeita a solavancos – capazes de atingir o Brasil.

Da redação,

VEJA1Veja

A revista destaca “A face feroz da China”. A súbita e brutal queda das bolsas, a mudança nas regras do jogo e a manipulação de dados assustam um mundo totalmente dependente da economia chinesa. As especulações sobre a economia chinesa causam turbulência nos mercados de todo o mundo. O gigante asiático passa por uma transição sujeita a solavancos – capazes de atingir o Brasil.

Esporte

O jamaicano Usain Bolt continua imbatível – mas quem impressiona mesmo é o americano Justin Gatlin, de 33 anos, que inexplicavelmente ficou mais veloz ao envelhecer. Ou seria doping? As vitórias de Bolt na semana passada fazem sombra a outro capítulo das provas de velocidade que impõe indagações cuidadosas, porque as respostas podem ser incômodas. O nome desse capítulo é justamente Gatlin, o atual arqui-inimigo do homem mais rápido do mundo.

Confira mais em: veja.abril.com.br



epocaÉpoca

Documentos secretos mostram como Lula intermediou negócios da Odebrecht em Cuba. A visita de Lula aos irmãos Castro, naquele dia 31 de maio de 2011, é de conhecimento público. O que eles conversaram, não - e, se dependesse do governo de Dilma Rousseff, permaneceria em sigilo até 2029. Nas últimas semanas, contudo, ÉPOCA investigou os bastidores da atuação de Lula como lobista da Odebrecht em Havana, o país em que a empreiteira faturou US$ 898 milhões, o correspondente a 98% dos financiamentos do BNDES em Cuba.  A reportagem obteve arquivos sigilosos em que burocratas descrevem as condições camaradas dos empréstimos do BNDES à empreiteira.

Política

Rodrigo Janot, condutor da Operação Lava Jato, enfrentou dez horas de sabatina na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, frente a frente com alguns dos senadores que investiga na Lava Jato. Frustrou as expectativas de quem esperava um embate com o senador Fernando Collor (PTB-AL). Collor o hostilizava havia meses, desde que foi acusado de receber propinas de negócios na BR Distribuidora. Fez discursos nos quais só se referia ao procurador como “Janó” e chegou a xingá-lo da tribuna. Collor prometia questionamentos capazes de colocar em xeque a possibilidade de o procurador continuar no cargo.

Confira mais em: epoca.globo.com


ISTOE1Istoé

No editorial da nova edição de ISTOÉ: o massacre de reputações promovido pelo PT é algo sem precedentes na história do Brasil. Foram dias de massacre de reputações sem precedentes. Para se manter no poder, os articuladores da candidata Dilma Rousseff adotaram o que chamaram de estratégia de desconstrução do adversário cuja essência era um bombardeio de mentiras e calúnias, transformando essa na mais torpe eleição dos últimos tempos.

Economia

A cada minuto, quatro pessoas são demitidas no Brasil. Com a alta de impostos, que aniquila as finanças das empresas, há o sério risco de o desemprego aumentar ainda mais. Em julho, 157 mil trabalhadores foram demitidos no Brasil, o pior resultado para o mês nos últimos 23 anos. Sob qualquer ângulo, trata-se de um dado assustador. Significa que, a cada minuto, quatro pessoas acabaram dispensadas. É como se toda a população de uma cidade como São Caetano do Sul, na Grande São Paulo, perdesse o emprego. De acordo com o IBGE, quase meio milhão de vagas – ou uma Florianópolis inteira – desapareceram nos sete primeiros meses do ano.

Confira mais em: www.istoe.com.br


CARTACarta Capital

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva prometeu que vai atuar em defesa do Partido dos Trabalhadores e responder às "provocações da direita" de forma mais incisiva nos próximo período "para ver se eles dão sossego para nossa querida Dilma", em evento realizado no sábado (29), em São Bernardo. O líder petista informou que vai "viajar, falar e dar entrevistas" com mais periodicidade. 

Política

O senador mineiro Aécio Neves (PSDB) sonhou com a queda de Dilma Rousseff graças a um processo de impeachment, mas a falta de apoio no Congresso e no empresariado impôs uma mudança de planos. A aposta agora é cassar o mandato da presidenta no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), onde bastariam quatro votos, sob a inspiração de um magistrado de indisfarçáveis simpatias tucanas, Gilmar Mendes.

Confira mais em: www.cartacapital.com.br

Tags: Brasil revistas
A+ A-