Prisões na Operação Lava Jato abalam mundo político

Revistas semanais destacam as prisões do senador Delcídio do Amaral, do banqueiro André Esteves e do advogado Bumlai.

Kyberli Gois,
Istoé

Revista Istoé destaca o grupo político ligado ao atual governo federal envolvido nos desdobramentos da Operação Lava Jato. Com a chamada “Surreal”, a publicação aborda as recentes prisões de empreiteiros, políticos e empresários ligados ao grupo petista ou ao governo.

Esperança

O governador Geraldo Alckmin disponibilizou a rede hospitalar e os laboratórios de São Paulo para a realização de testes clínicos que comprovem a eficácia da substância fosfoetanolamina na cura do câncer. Inicialmente isso se dará em mil pacientes voluntários. Alckmin desprezou, assim, o vaivém de comentários meramente teóricos sobre tal princípio ativo – quem é portador de câncer, mais do que ninguém, sabe da importância dessa decisão.

O medicamento em questão foi desenvolvido e patenteado pelo professor aposentado do Instituto de Química da USP Gilberto Chierice, que o aplicou com sucesso em cobaias. Os testes serão coordenados e supervisionados por médicos internacionalmente conceituados: o secretário estadual da Saúde, infectologista David Uip, e Paulo Hoff, diretor-geral do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo. Sete tipos de cânceres serão estudados e, se a eficácia ficar comprovada, o número de voluntários gradativamente aumentará.

Prisão domiciliar

O que não falta para o ex-presidente da CBF José Maria Marin é motivo para rezar: um deles, e bastante forte, é agradecer o fato de não estar numa penitenciária, mas sim em prisão domiciliar nos EUA. Ele está sendo processado por suposto envolvimento em esquema de corrupção na Fifa. Na semana passada Marin foi autorizado a sair por algumas horas de seu apartamento no qual está preso, em Nova York, e seguir para a missa na Catedral de St. Patrick. 

Protegido

25 mil policiais, mais 3 mil militares, ficaram encarregados da segurança do papa Francisco na quarta-feira 25, na abertura de sua viagem à África. Para se ter ideia do significado de todo esse aparato, a COP 21, na Paris que acabou de ser sangrada pelo terrorismo do Estado Islâmico, conta com 11 mil seguranças. Diversas partes do continente vivem há anos sob ameaças do grupo jihadista somali Al Shabab por manterem tropas na Somália. O ponto mais perigoso da visita: a República Centro-Africana. Nela prossegue a guerra entre milícias cristãs e muçulmanas. 


Época

A edição da Época também aborda as mais recentes prisões, entre elas o destaque para a detenção do senador Delcídio do Amaral. Fato inédito no país. O periódico também abordou a prisão do banqueiro André Esteves e do advogado Bumlai.

PE e Recife decretam estado de emergência por surto de dengue e microcefalia

O governo do Pernambuco e a prefeitura de Recife assinaram neste domingo (29) decreto de emergência por causa do mosquito Aedes Aegypti, transmissor de dengue, chikungunya e zika vírus.

Pernambuco é o estado que mais registra casos de microcefalia no país, com 487. Neste sábado (28), o Ministério da Saúde confirmou que há relação entre o zika vírus e a microcefalia, quando bebês nascem com cabeças de diâmetro inferior ao saudável, de acordo com o Bem Estar. "Em análise inicial, o risco está associado aos primeiros três meses de gravidez", informou em nota.

Investigadores da Lava Jato acham que Lula se tornou alvo possível

Os procuradores da Lava Jato acreditam que o ex-presidente Lula se tornou um alvo possível na investigação. Há três meses, imaginavam que focar a investigação em Lula causaria tumulto excessivo. De lá para cá, no entanto, jorraram elementos que o aproximaram dos crimes investigados. Os mais importante deles foram os fatos apurados contra o pecuarista José Carlos Bumlai -- que, segundo o delator Fernando Baiano, agia em nome de Lula -- e acerca do dinheiro do petrolão nas campanhas do petista.

Arena Corinthians vende R$ 16,4 milhões em CIDs (todos para a própria Odebrecht)

O fundo que administra a Arena Corinthians arrecadou, até agora, R$ 16,4 milhões por meio da venda de Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento (CIDs), emitidos pela prefeitura de São Paulo em 2011 e cedidos ao Corinthians para financiar a construção do estádio. O valor corrigido dos papéis, quatro anos após a emissão, é de R$ 466 milhões, portanto ainda há cerca de R$ 450 milhões a levantar.



Veja

Na Veja desta semana não fugiu das demais publicações e destacou a prisão de Delcídio. Além dele, a revista fala da eleição de Mauricio Macri, na Argentina e as consequências da tragédia em Mariana, Minas Gerais.

Pagar dívidas é o melhor uso para o 13º, dizem especialistas

Habitualmente, os consultores financeiros recomendam que os trabalhadores guardem parte do décimo-terceiro salário para pagar as despesas que surgem no início do ano seguinte, como as com material escolar e IPVA dos veículos. Mas, em 2015, o cenário não é habitual. O aumento do desemprego tem puxado para cima o endividamento das famílias, como atestou pesquisa recente da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), segundo a qual três de cada quatro trabalhadores pretendem usar a remuneração extra para pagar dívidas.

Como o mais provável é que sobre pouco (ou nenhum) dinheiro para seguir as dicas recorrentes dos oráculos financeiros, qual a melhor opção? "Pague as dívidas, e primeiro as que têm juros mais altos", diz Mauro Calil, especialista em investimentos do Banco Ourinvest. "Nessas situações. não adianta: temos que ser conservadores."

Bom só para ele

Estando bom para ambas as partes..." O bordão criado nos anos 90 para um quadro de defesa do consumidor de um programa de TV ele repete até hoje. De lá para cá, no entanto, muita coisa mudou na vida de Celso Russomanno. Ex-office boy, ex-colunista social e apresentador de TV, ele entrou para a política, elegeu-se deputado federal pelo PSDB, candidatou-se a prefeito de Santo André pelo PPB, a governador de São Paulo pelo PP e, em 2012, a prefeito da cidade pelo PRB. Na ocasião, chegou a ocupar o primeiro lugar na disputa (terminou em terceiro, fora do segundo turno). Agora, tentará a sorte novamente como candidato à prefeitura de São Paulo, e, desta vez, larga como favorito, com 34% das intenções de voto, segundo o instituto Datafolha. A vida de Russomanno deu muitas voltas, mas certas práticas do deputado permaneceram imutáveis.

Na semana passada, uma reportagem do jornal Folha de S.Paulo revelou que ele mantém ao menos cinco servidores públicos, remunerados com verba parlamentar, como funcionários da entidade que preside em São Paulo, o Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (Inadec). Não é a primeira vez que o deputado recorre à prática de usar dinheiro do contribuinte para pagar seus empregados. Nem a segunda.

Tags: revistas
A+ A-