Istoé aponta que o ministro da Casa Civil pode ser o próximo indiciado na Lava Jato

Documentos mostram que Jaques Wagner, então governador da Bahia, encontrou-se com empreiteiros envolvidos no esquema do Petrolão.

Da redação,

istoeIstoé

O ministro e o petrolão: as relações perigosas de Wagner

A revista Istoé obteve documentos que apontam que o então governador da Bahia, o ministro-chefe da Casa Civil, Jaques Wagner, teve diversos encontros com o empreiteiro da UTC Engenharia, Ricardo Pessoa.

A descoberta do Petrolão levou Pessoa para a cadeia e hoje o empreiteiro cumpre prisão domiciliar por conta de um acordo de delação premiada. O momento atual é de apontar a participação dos políticos nos desvios feitos na Petrobras. É a proximidade do atual ministro-chefe da Casa Civil com empreiteiros que o arrasta cada vez mais para o centro da Lava Jato.

Nas próximas semanas, com o fim do recesso do Judiciário, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deverá pedir a abertura de inquérito para averiguar as denúncias contra Wagner.

O domínio do fato

Delatores apontam que Lula e Dilma sabiam do Petrolão e a conexão com o Mensalão poderá servir para denunciar o ex-presidente pelos mesmos critérios que condenaram José Dirceu.

No caso de Lula, os investigadores da Lava Jato e a própria Procuradoria Geral da República admitem já possuírem elementos suficientes para afirmar que o ex-presidente sabia que havia desvio de recursos da Petrobras pelo menos para saldar dívidas do PT e financiar campanhas políticas do partido e de aliados. Agora, se empenham para comprovar que o Petrolão financiou o Mensalão.


vejaVeja

A constelação Bowie

As influências e invenções de David Bowie que ditam o showbiz até hoje.

A revista traz um resgate do artista que morreu vítima de um câncer no último dia 11. Provocador, enigmático e inovador, David Bowie construiu uma das carreiras mais veneradas e imitadas da indústria do espetáculo, que o colocou no pedestal das lendas da música.

Não apenas na música, como também na moda e no comportamento, o músico inspirou gerações e protagonizou tendências e se manteve na vanguarda durante toda a carreira, lançando inclusive o último disco (Blackstar), que não por acaso foi no mesmo dia em que completou 69 anos.


epocaÉpoca

Na mira da Lava Jato

Como um dos empreiteiros do petrolão recorreu ao ex-marido de Dilma na tentativa de salvar seus negócios. José Antunes Sobrinho, um dos donos da Engevix, que negocia delação premiada, aproximou-se de Carlos Araújo. O empresário precisava destravar barreiras dos empréstimos oficiais.

A revista Época dedicou-se a uma investigação especial com o objetivo de descobrir se o plano do executivo da Engevix deu certo.

Hoje, a Engevix é uma das principais empreiteiras acusadas de participar do cartel do petrolão. Seus executivos, como Antunes, estão encalacrados junto à Justiça. Antunes e Gerson Almada, outro sócio da Engevix, negociam acordos de delação premiada – e a empresa, quase quebrada a esta altura, negocia um acordo de leniência junto ao Ministério Público Federal.


cartaCartaCapital

Em busca da esperança

Na estreia o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, anuncia a retomada do crédito pelos bancos públicos, primeiro passo que por si só não reverte a rota.

Mino Carta: conspiração policial

Vazamentos de informações sigilosas para a mídia nativa provam que a polícia trabalha a favor dos interesses da casa-grande.

Tags: CartaCapital Época Istoé Revistas semanais Veja
A+ A-