Papa Francisco realiza Via Crucis apenas com profissionais da saúde e ex-detento

Cerimônia normalmente é realizada no Coliseu, em Roma, mas local foi substituído pela Praça de São Pedro.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Vatican News
Papa Francisco durante cerimônia na Basílica de São Pedro nesta Sexta-Feira Santa, sem a presença dos fiéis católicos.

O Papa Francisco presidiu a procissão da Sexta-Feira Santa na presença de profissionais da saúde do Vaticano, diante de uma esvaziada Praça de São Pedro, já que a população não está autorizada a sair da quarentena. A cerimônia normalmente é realizada no Coliseu, em Roma, mas, para evitar a propagação do coronavírus, o local foi substituído.

Participaram da Via Crucis dois médicos, um ex-detento, um capelão da prisão de Pádua, um policial e enfermeiras. 

Durante a procissão, Francisco ouviu mensagens sobre sofrimento sendo lidas. Entre eles, reflexões de presos, de uma família que perdeu a mulher por violência doméstica, da mãe de um detento e da filha de um homem condenado à prisão perpétua.

PapaFrancisconaLiturgiadaPaixao

Em outra quebra de tradição, o papa não realizou uma homília no final da procissão de 90 minutos. Ao invés disso, ele rezou em silêncio durante alguns minutos com a cabeça baixa e mãos cruzadas diante de uma crucifixo que havia sido transportado em Roma durante o início do século XVI, quando a cidade estava sofrendo em decorrência de uma praga.

Sobre o coronavírus, Francisco se pronunciou mais cedo, a um programa de talk show italiano. Ele disse que a pandemia alertou as pessoas sobre o perigo de pensar em si mesmas como poderosas. Em sinal de obediência a Deus, Francisco se abaixou no chão da basílica.  


Confira o vídeo:


Tags: Igreja Católica Papa Francisco Religião Semana Santa
A+ A-