Sob pressão, Chico Rodrigues deixa Conselho de Ética que pode julgá-lo

Senador flagrado com R$ 33.150 mil escondidos na cueca é alvo de representação com potencial para cassar seu mandato.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Agência Senado
Vaga de Chico Rodrigues no Conselho de Ética pertence ao bloco Vanguarda, formado por DEM, PL e PSC no Senado.

Flagrado com R$ 33.150 mil escondidos na cueca e acusado de desviar recursos para combate da covid-19, o senador Chico Rodrigues (DEM) deixou o Conselho de Ética do Senado nesta segunda-feira (19). Ex-líder do governo Jair Bolsonaro, Rodrigues fazia parte do colegiado que agora pode julgá-lo. O senador é alvo de uma representação com potencial para cassar o seu mandato e, sob pressão, entregou a cadeira.

O Conselho de Ética está com as atividades paralisadas por causa da pandemia do coronavírus. Diante do escândalo envolvendo o senador, porém, alguns parlamentares pressionam o presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM), para reativar a comissão e abrir um processo contra Rodrigues. Até agora, Alcolumbre permanece em silêncio.

Empurrar o caso para o Conselho de Ética é uma estratégia que pode dar uma sobrevida ao senador, uma vez que muitos de seus pares pretendem derrubar possível decisão do plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) para afastá-lo do cargo.

Na semana passada, o ministro do STF Luís Roberto Barroso determinou o afastamento de Rodrigues por 90 dias, mas o caso ainda será submetido ao plenário da Corte. Além disso, o Senado também precisa se posicionar sobre essa decisão.

Rodrigues entregou o ofício em que comunica a saída do Conselho de Ética às 13h20 desta segunda-feira. “Com meus cordiais cumprimentos, solicito meu desligamento imediato do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar”, escreveu ele em documento endereçado ao presidente do colegiado, senador Jayme Campos (DEM).

A vaga de Rodrigues  no colegiado pertence ao bloco Vanguarda, formado por DEM, PL e PSC no Senado. Cabe ao grupo indicar um substituto para a cadeira. Na última sexta-feira, 16, o senador foi retirado da comissão mista do Congresso Nacional responsável por acompanhar os gastos do governo com a pandemia. Ele ocupava uma vaga de suplente na comissão formada para fiscalizar justamente os recursos sobre os quais é acusado de desvio.

Nesta segunda-feira, em nota, os advogados de Rodrigues afirmaram que os R$ 33 mil encontrados pela Polícia Federal nas vestes íntimas do senador se destinavam ao pagamento dos funcionários de uma empresa da família. Além disso, a defesa alegou que Rodrigues "está sendo linchado por ter guardado seu próprio dinheiro".

Tags: caso da cueca Chico Rodrigues Conselho de Ética saída Senado Federal
A+ A-