Ricardo Motta deve administrar R$ 500 milhões nos próximos dois anos

Caso seja eleito presidente da Assembleia Legislativa, deputado promete dar continuidade e avança nas conquistas da gestão Robinson Faria.

Túlio Duarte,
Foto: Elpídio Júnior
Deputado Ricardo Motta (PMN).
Até o momento candidato único e de consenso para ocupar a presidência da Assembleia Legislativa, o deputado Ricardo Motta (PMN) prometeu que, se eleito, avançará nas 'conquistas' do ex-presidente do poder Legislativo estadual, o atual vice-governador Robinson Faria (PMN).

A meta de Ricardo é expandir os projetos institucionais, culturais e a estrutura de comunicação da Casa. Questionado sobre mudanças administrativas, ele se esquivou e advertiu que ainda não foi eleito presidente.

Caso seja confirmado no cargo, Ricardo Motta, juntamente com os demais integrantes da nova Mesa Diretora, vai administrar um orçamento anual de cerca de R$ 250 milhões, ou R$ 500 milhões nos próximos dois anos. O gasto desse dinheiro deve ser descriminado no Portal da Transparência em tempo real, o que, aliás, não está acontecendo.

A eleição da nova administração será realizada nesta terça-feira (1). A partir das 16h, a atual presidenta da AL, deputada Márcia Maia (PSB), deve abrir a sessão solene e dar posse aos parlamentares eleito em 2010, inclusive a ela mesma.

Com a 60ª legislatura constituída, a sessão solene será encerrada e outra, esta preparatória para a Mesa Diretora, deve ser aberta. O plenário, então, irá eleger o presidente da Casa e, em seguida, os demais cargos da Mesa Diretora: primeiro e segundo vice-presidentes, primeiro, segundo, terceiro e quarto secretários.


Bate papo com o presidente virtual

Nominuto.com – Caso seja eleito presidente da Assembleia Legislativa, quais serão suas metas?

Ricardo Motta –
Nós queremos avançar nas conquistas já alcançadas pelo ex-presidente Robinson Faria (PMN). Precisamos aproximar ainda mais a sociedade da Assembleia Legislativa. Vamos aumentar a participar por meio dos nossos canais de comunicação, como a TV Assembleia, agora em canal aberto, e a rádio. Vamos intensificar a Assembleia Itinerante, levando [o poder Legislativo] ao interior do Rio Grande do Norte com mais frequência, Assembleia Cidadã e o instituto potiguar. Vamos promover audiências sobre grandes temas e trazer autoridades nacionais para debater.

Nominuto.com – O senhor falou do que vai continuar, mas já pensa em alguma mudança de diretriz na atual administração?

RM –
Não, ainda nem fui eleito.

Nominuto.com – O que esperar da nova legislatura?

RM – A partir de agora nós temos seis deputados de seis partidos diferentes. A participação dos partidos aumenta mais na Assembleia. Nós vamos integrar com os parlamentares através de blocos, para ter voz no colegiado de líderes.

Nominuto.com – Qual o Orçamento da Assembleia aprovado para 2011?

RM – Cerca de R$ 250 milhões.

Nominuto.com – E são quantos funcionários?

RM –
Pouco mais de mil, entre comissionados e efetivos.

Perfil

Nome civil: Ricardo José Meirelles da Motta
Aniversário: 24 / 11 – Profissão: Administrador
Partido: PMN – Posição política: situação
E-mail: [email protected]

Ricardo Motta, de 53 anos, é natural de Natal. Formado em Administração de Empresas pela UFRN, ocupou o cargo de chefe de gabinete da presidência do Banco do Estado (BANDERN). Também foi diretor da Companhia Habitacional do Rio Grande do Norte (COHAB) e do Grupo J. Motta.
Foto: Elpídio Júnior
Ricardo Motta, de 53 anos, é natural de Natal.

Integrante de uma tradicional família política, é filho de Clóvis Motta, falecido em 1979. Seu pai - cujo nome foi emprestado ao plenário da Assembléia Legislativa - exerceu os cargos de deputado estadual, federal e vice-governador. Seu avô João Motta foi vereador em Natal e seus tios Carlito Meirelles e Álvaro Motta foram, respectivamente, prefeito do município de Francisco Dantas e deputado (estadual e federal).

Ricardo Mota vai para seu sexto mandato parlamentar. Nas eleições de 2010, quando foi reeleito, obteve 49.881 votos, sendo o quarto mais votado. ‘Estradeiro’, tem suas bases políticas espalhadas pela Grande Natal, Trairi, Mato Grande, Agreste, Potengi, Oeste e Vale do Assu.

Como deputado, exerceu os cargos de primeiro vice-presidente, segundo, terceiro e quarto secretário da Mesa Diretora. É o primeiro secretário da atual legislatura, que se encerra este mês, e preside a Frente Parlamentar de Cooperativismo do estado.
A+ A-