Políticos de 6 cidades querem aumentar os próprios salários em meio à pandemia

Em Patu, Projeto de Lei já foi aprovado reajustando a remuneração do prefeito e dos vereadores.

Da redação,
Rubinaldo Maia
Na cidade de Patu, salários dos vereadores sobem para R$ 5,2 mil e o do prefeito, passa para R$ 10 mil.

Os prefeitos e vereadores de Patu, Acari, Angicos, João Câmara, Poço Branco e Guamaré, querem aumentar seus próprios salários em meio à pandemia do novo coronavírus (covid-19). As duas primeiras cidades citadas tiveram os Projetos de Leis autorizando o reajuste aprovados nas Câmaras Municipais e sancionados pelos prefeitos Rivelino (MDB) e Isaias Cabral (MDB), respectivamente.

Nas outras quatro cidades, a proposta de aumento salarial para o prefeito e os vereadores segue em tramitação nas Câmaras Municipais. Constitucionalmente, no último mandato de legislatura, os parlamentares podem reajustar o salário dos vereadores e do prefeito, que, caso aprovado, entra em vigor a partir do ano seguinte.

Porém, no caso de Patu – que já sancionou o aumento e das outras cinco cidades citadas, que também pretendem reajustar os salários, o que chama atenção e causa revolta da sociedade é o momento inadequado. Em meio à pandemia do coronavírus, onde várias cidades e estados estão com a economia bastante afetadas e sem recursos, os políticos locais ignoraram todo o contexto atual.

Com o aumento já aprovado em Patu, os vereadores, que atualmente ganham R$ 3.940 irão passar a receber R$ 5.200, enquanto o prefeito da cidade, que recebe R$ 10.000, vai passar a ganhar R$ 20.000. Já o salário do vice-prefeito subiu de R$ 5.000 para R$ 10.000.

A votação que aprovou o aumento em Patu contou a presença de seis dos nove vereadores da cidade. O reajuste foi aprovado na Câmara Municipal por 5 votos a 1. Apenas a vereadora Kaka de Bondim votou contra o aumento.

Em Acari, os vereadores passarão a receber R$ 4.5 mil a partir do próximo mandato. Nesta cidade, no entanto, a votação aconteceu no mês de março, antes da suspensão das atividades por causa do coronavírus.

Já no município de Poço Branco, o aumento foi aprovado na Câmara Municipal, mas a lei foi vetada pelo prefeito Waldemar de Gois (DEM).

Tags: Política
A+ A-