Municípios querem prorrogação de auxílio do governo para não atrasar salários

Presidente da Femurn, José Leonardo Cassimiro, disse que prefeituras precisam que recomposição do FPM continue até dezembro.

Da redação,
Fladson Soares/Nominuto.com
Presidente da Femurn cobra continuidade da reposição do FPM para que municípios potiguares tenham condições de pagar servidores.

Os municípios do Rio Grande do Norte querem que o governo federal prorrogue a recomposição do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) até o mês de dezembro, para evitar que as prefeituras possam atrasar salários dos servidores por falta de verba. Segundo o presidente da Federação dos Municípios do RN (Femurn), José Leonardo Cassimiro de Araújo, o Naldinho, a falta de recursos já começou a afetar os serviços públicos.

“A falta de recursos já está afetando os municípios de maneira geral e poderá afetar, principalmente a folha de pagamento dos servidores. Isso está acontecendo porque os recursos que serviriam para áreas diversas, está sendo empregado no combate à covid-19 e isso está gerando dificuldade financeiras”, disse Naldinho.

Diante do sufoco financeiro nos cofres municipais, o presidente Naldinho decidiu procurar a Confederação Nacional dos Municípios para solicitar a prorrogação dos repasses do FPM até dezembro.

“Precisamos da prorrogação da recomposição desses repasses até dezembro, caso contrário, as dificuldades financeiras dos Municípios devem aumentar ainda mais, piorando os serviços públicos e podendo provocar atraso no pagamento dos servidores”, comenta Naldinho.

Caso não seja prorrogado, o último repasse do FPM com recomposição do governo federal em 2020 será neste mês de julho. A União tem auxiliado os Municípios com a recomposição do FPM diante da frustração de arrecadação provocada pela pandemia do novo coronavírus (covid-19).

Tags: Política
A+ A-