Manifestação contra a corrupção atraiu centenas de pessoas em Natal

Protesto aconteceu no final da tarde do sábado (21) e também aconteceu em outras capitais do Brasil.

Lara Paiva,
Lara Paiva/Nominuto.com
Protesto aconteceu também nas outras capitais brasileiras.
A ‘Marcha Contra a Corrupção’ aconteceu no sábado (21) em várias cidades brasileiras. Em Natal, atraiu centenas de pessoas no calçadão da Avenida Engenheiro Roberto Freire, que estavam insatisfeitos com a questão política brasileira. O protesto aconteceu também nas outras capitais como em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Fortaleza, Belo Horizonte, Curitiba, Vitória, Belém, Salvador e Campo Grande.

Na manifestação, gente de todas as idades levantaram faixas com mensagens de protesto sobre diversos casos, tal como dos precatórios no Tribunal de Justiça no Rio Grande do Norte (TJ-RN).

Além disso, as pessoas reivindicaram o julgamento do mensalão, fim do foro privilegiado, a constitucionalidade da lei da Ficha Limpa, entre outras causas. Em Natal, o movimento foi organizado a partir de cinco estudantes, que o divulgaram através das mídias sociais.

Durante as manifestações, os curiosos só enxergavam mensagens de protestos, rostos pintados e ouviam apitos. Para os participantes, era uma forma simbólica de mostrar a sua indignação com problemas noticiados em jornais, revistas, rádios e sites.

Lara Paiva/Nominuto.com
Centenas de pessoas foram a Avenida Engenheiro Roberto Freire para participar da "Marcha Contra a Corrupção".

Um dos organizadores é Erick Guerra, estudante de Engenharia de Materiais. Ele explica que a movimentação começou, em 2011, com dois grupos chamados ‘Quero fim da corrupção’ e ‘Nas Ruas’, que se encontravam na internet para debater as questões políticas. Em 2012, os movimentos saíram às ruas. Ele disse que sem sair de casa, era impossível ter o apoio da população e mostrar as suas opiniões.

“Todo mundo reclama dos problemas nas suas casas, mas ninguém quer ir às ruas. Infelizmente, os brasileiros não tem a cultura dos protestos”, disse Guerra. Ele acredita que a população não tem essa cultura por comodismo. “Ninguém está satisfeito com a situação atual do país, isso é fato”, complementou.
Lara Paiva/Nominuto.com
Manifestantes seguram cartazes durante a "Marcha Contra Corrupção". Movimentação aconteceu em várias capitais do país.

Ele acredita que os movimentos tem que ser feitos por jovens, pois são eles que são responsáveis a levar opinião aos cidadãos. “O jovem é a força eletromotriz das questões sociais”, disse.

Como foi o caso da Raissa Medeiros, estudante de Direito, que conheceu a manifestação através da internet. Ela disse que está cansada de manifestações vindas somente na internet e que as ruas é uma ótima forma de mostrar a insatisfação com os políticos que representam a população. Medeiros acredita que os movimentos sociais estão crescendo cada vez mais.

Já Luiz Carlos, estudante de Ciências Atuariais, acredita que o advento das mídias sociais facilita a comunicação e a informação, através dela, se propaga para muitas pessoas em minutos. Por isso, ele acredita que isso possa ser utilizado para política. “Se as mídias sociais são usadas para muitos assuntos, por que ela não pode ser usada para política?”, disse. “As pessoas precisam sair das ruas não só para lazer”, adicionou.

O estudante Henrique Adriano acredita que o povo está mais consciente e por isso, que existe o aumento das manifestações políticas. “Se o povo não estivesse com consciência política, não viria tanta gente no movimento”, disse.
Lara Paiva/Nominuto.com
Professora Francisca Matos aderiu ao movimento contra a corrupção.


A professora Francisca Matos, que descobriu o movimento pela internet, fez questão de participar. “A internet é uma forma de fazer o mundo menor”, disse. Ela disse que está satisfeita com os jovens fazendo manifestos nas ruas, pois são responsáveis pela mudança do país. “O caminho é esse”, disse a professora em relação aos jovens.

O vendedor Makson Brito levou toda a sua família, inclusive o seu filho, para a manifestação, ele acredita que a conscientização e as manifestações são as únicas formas que ajudam a provocar mudanças no país.

A marcha não teve presença de policiais, mas foi bastante pacífico. No final, os participantes fizeram uma caminhada até o Praia Shopping e os motoristas que estavam trafegando na via, nessa hora, não ficaram insatisfeitos e apoiaram o projeto através de buzinadas.

“O pessoas tá de parabéns, precisa de protestos como esse”, disse o motorista João Neto, que estava também tirando fotos e filmando a manifestação enquanto passava por lá.
A+ A-