Iberê reafirma inconstitucionalidade de projeto do Gás Social

Veto do vice-governador a proposta de Robinson Faria vem gerando repercussão política.

Marcos Alexandre,
Gabriela Duarte
Iberê Ferreira: "Apenas cumpri o meu dever"
O vice-governador e secretário estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Iberê Ferreira de Souza (PSB), voltou a negar que tenha se movido por razões políticas ao vetar o projeto de lei elaborado pelo presidente da Assembléia Legislativa, Robinson Faria (PMN), que institui o "Gás Social". "Sou incapaz de utilizar uma determinada posição em favor de um projeto pessoal", destacou Iberê, que se disse "triste e indignado" com as interpretações feitas nessa direção.

Em entrevista ao Jornal 96, da 96 FM, na manhã desta segunda, o vice-governador reiterou que vetou o projeto do Gás Social por orientação da Consultoria Geral do Estado. O veto foi dado quando ele estava no exercício do Governo do Estado, durante recente viagem da governadora Wilma de Faria (PSB) à Europa.

Robinson queixou-se publicamente de não ter sido avisado do veto, antes que este fosse remetido para a Assembléia Legislativa. E articulou a sua derrubada no plenário da Casa, com o apoio de grande parte da bancada governista.

O episódio deu margem a especulações de que, por trás do gesto administrativo do vice-governador, estaria uma prévia da disputa eleitoral de 2010, em que tanto Iberê quanto Robinson têm os nomes cotados para disputar a sucessão de Wilma de Faria.

Iberê nega que a intenção tenha sido essa. "Nem converso sobre 2010", declarou ele, ao Jornal 96, acrescentando que seria "mesquinho" de sua parte se tivesse se portado dessa maneira em sua passagem pelo comando do governo. "Quem sugeriu isso ao deputado Robinson não me conhece".

O vice-governador reiterou também que o projeto do presidente da Assembléia, conforme entendimento da Consultoria Geral do Estado, é inconstitucional, por levar o Legislativo a criar despesas para o Executivo.

Questionado porque não se comunicou previamente com Robinson Faria, para explicar os motivos do veto antes que este fosse encaminhado para a apreciação da Assembléia, uma vez que os dois são aliados políticos, Iberê Ferreira assegurou que até tentou fazer isso. Não conseguiu, destacou ele, porque Robinson acompanhava a governadora na missão oficial à Europa.

Segundo Iberê, o episódio não provocará nenhum estremecimento nas relações política e pessoal entre ele e o deputado estadual. "Ele sabe que não tive nenhuma intenção, a não ser a de cumprir o meu dever".

O vice-governador garantiu ainda que não tomou conhecimento de um suposto acordo que teria sido firmado entre a governadora Wilma de Faria e o deputado Robinson Faria para a derrubada do veto, na semana passada. O acordo foi revelado pelo próprio presidente da Assembléia Legislativa.
A+ A-