Exoneração de Weintraub é publicada após ex-ministro viajar para os EUA

Pasta afirma que ex-ministro chegou aos EUA por Miami; viagem foi feita por meio de avião comercial e em classe econômica.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Marcelo Camargo/Agência Brasil
Weintraub desembarcou na manhã de hoje, nos Estados Unidos, onde deve assumir o cargo de diretor-executivo do Banco Mundial.

Dois dias depois de anunciar que deixaria o governo de Jair Bolsonaro, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, desembarcou, na manhã deste sábado (20), nos Estados Unidos, onde deve assumir o cargo de diretor-executivo do Banco Mundial. A informação foi confirmada pela assessoria do Ministério da Educação, na manhã deste sábado. Ele chegou a se apresentar como ministro ao desembarcar em Miami, e sua exoneração do cargo foi publicada no Diário Oficial da União no mesmo dia.

A pasta afirma que Weintraub chegou aos EUA por Miami. A viagem foi feita por meio de avião comercial e em classe econômica.

Apesar de ter anunciado a saída do Ministério da Educação, Weintraub continuava como ministro até a manhã deste sábado e acessou o país estrangeiro se apresentando como chefe da pasta no Brasil. Como ministro de Estado, Weintraub tinha direito a passaporte diplomático.

A assessoria do MEC não soube dizer qual é, neste momento, o paradeiro do ex-ministro, nem se ele continua em Miami depois de ter desembarcado na cidade. Informou apenas que, apesar das restrições impostas pelos EUA aos brasileiros por causa da pandemia da covid-19, Weintraub não foi impedido de entrar e que "comprou a passagem com dinheiro dele".

Na sexta, 19, o Banco Mundial informou ao Estadão/Broadcast, por meio de nota, que recebeu a indicação do governo brasileiro para que Abraham Weintraub passe a integrar os quadros da instituição. O banco disse ter recebido uma comunicação oficial das autoridades brasileiras indicando Abraham Weintraub para diretor-executivo, representando o Brasil e demais países do seu grupo (constituency) no Conselho de Diretores-Executivos do Grupo Banco Mundial.

O tempo de seu mandato, no entanto, não passaria de três meses. "Se eleito pelo seu constituency, ele cumprirá o restante do atual mandato, que termina em 31 de outubro de 2020", diz a instituição, ressaltando que, daqui a quatro meses, "será necessária uma nova nomeação e nova eleição."

O agora ex-ministro da Educação anunciou na tarde de quinta-feira sua saída do governo. Em vídeo publicado nas redes sociais, ao lado do presidente Jair Bolsonaro, Weintraub não revelou o motivo de estar deixando o MEC, mas disse que iria assumir uma representação brasileira na diretoria do Banco Mundial.

Segundo a assessoria do Banco, diretores-executivos são os representantes dos 189 países-membros no Conselho de Diretores do Banco Mundial e são indicados ou eleitos pelos acionistas.

Tags: Abraham Weintraub DOU EUA exoneração publicação
A+ A-