Delegado diz que acareação em Sid Fonseca e Adão Eridan foi “proveitosa”

Júlio Rocha ouviu vereadores na manhã desta sexta-feira.

Fred Carvalho,
O delegado de Defesa do Patrimônio Público (Dedepp), Júlio Antônio Rocha, avaliou como “proveitosa” a acareação entre o vereador Adão Eridan de Andrade e o suplente de vereador Sid Fonseca Marques, ambos do Partido Republicano (PR). A audiência foi realizada na na sede da Dedepp, no Centro Administrativo.

“Gostei muito da acareação. Foi muito proveitosa”, limitou-se a avaliar Júlio Rocha. Ele disse que, “como o caso corre em segredo de Justiça”, não iria mais comentar a audiência.

Assim que entraram na sala do delegado para a acareação, Sid Fonseca e Adão Eridam foram advertidos das penas do crime de falso testemunho. O primeiro a responder aos questionamentos de Júlio Rocha e do promotor público Afonso de Ligório Bezerra Júnior foi o suplente de vereador Sid Fonseca.

Ele ratificou as declarações dadas ao delegado Júlio Rocha no dia 12 de julho. Sid falou que conversou com Adão Eridan três ou quatro vezes antes da votação do Plano Diretor de Natal na Câmara e “que Adão disse, textualmente, que precisava receber em torno de R$ 30 mil”. Esse dinheiro, segundo depoimento de Sid, seria conseguido com a derrubada dos vetos do novo PDN.

Se acordo o depoimento de Sid Fonseca, “Adão Eridan disse que já havia um grupo de 15 vereadores para votar as emendas da primeira votação do novo PDN e que o voto de Sid seria o 16º”. Mesmo assim, Sid frisou que acredita “firmemente que Adão não tenha recebido vantagem financeira”.

Ainda na acareação, Sid Fonseca reafirmou “que no dia 3 de julho, dia da votação do PDN, por volta das 14h, teve uma nova conversa com Adão no gabinete dele e Adão pediu para Sid não comparecer à votação”. Mesmo assim, Sid disse que iria e que iria votar pela manutenção dos vetos e Adão respondeu que “tudo bem”.

Sid confirmou que Adão disse que estava em dificuldade financeira e que disse ao vereador que “se eu [Sid] pudesse faria um empréstimo para você [Adão]”. Sid disse que Adão deu a entender que esse processo de derrubada dos vetos estava sendo coordenado pelo vereador Emilson Medeiros, havendo inclusive “comentários” na Câmara.

Adão também mantém versão
O vereador Adão Eridan também ratificou as integralmente o teor do interrogatório prestado no dia 10 de julho. Segundo o depoimento do vereador republicano, “quando foi perguntado em que circunstância aconteceu a conversa em que Sid falou para ele sobre um esquema articulado pelo vereador Emilson Medeiros com empresários, e principalmente com Sílvio Bezerra, presidente do Sinduscon, Sid disse que era uma ‘quadrilha de ladrões’, fazendo essa acusação de forma ‘alterada’”.

Eridan também explicou o que quis dizer quando falou a Sid que teria um “negócio bom para os dois”. “Só quis dizer Sid que ele estava liberado para votar pela derrubada do veto”.
A+ A-