CPI da Covid no Senado retoma os trabalhos e ouve o ex-ministro Mandetta

Na tarde desta terça-feira será vez de Nelson Teich ser ouvido pela comissão.

Da redação,
Reprodução
Trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito foram retomados hoje; abertura da sessão foi feita pelo senador Omar Aziz.

Com pouco mais de uma hora de atraso, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado abriu na manhã desta terça-feira (4) a sessão em que irá ouvir o ex-ministro da Saúde da gestão Bolsonaro Luiz Henrique Mandetta (DEM). Na parte da tarde, também está programado o depoimento de Nelson Teich, que ocupou o posto após a saída de Mandetta.

A convocação dos ex-ministros da Saúde atende requerimentos aprovados na semana passada de autoria do relator, Renan Calheiros (MDB), do vice-presidente do colegiado, Randolfe Rodrigues (Rede) e do senador Alessandro Vieira (Cidadania). Os três consideram que os depoimentos devem ajudar a esclarecer se o Brasil poderia ter tomado outro rumo no enfrentamento a pandemia do novo coronavírus e para diminuir o número de mortes causadas pela doença.

Luiz Henrique Mandetta é o primeiro a ser ouvido. Já o depoimento de Teich está previsto para iniciar às 14h, de acordo com a pauta da reunião da CPI.

Mandetta foi demitido do cargo no dia 16 de abril de 2020, no início da crise da pandemia no Brasil. Naquela data o Brasil registrava 1.924 mortes. Hoje, o país tem mais de 400 mil óbitos por covid-19. Seu substituto, Nelson Teich, permaneceu menos de um mês no cargo.

A opção do ex-ministro de manter as orientações da pasta a favor do isolamento social enquanto o Bolsonaro já se colocava contrário a essas medidas estremeceu a relação, afetada ainda pela a defesa do presidente ao uso da cloroquina em pacientes da covid-19.

Segundo Randolfe, a constante troca de ministros da Saúde em meio à pandemia é, por si só, um enorme problema para a gestão do ministério e  “pior ainda são os motivos para essas trocas”.

“O senhor Luiz Henrique Mandetta foi exonerado do cargo de ministro da Saúde justamente por defender as medidas de combate à doença recomendadas pela ciência. O presidente defendia mudanças nos protocolos de uso da hidroxicloroquina no tratamento do novo coronavírus, mas o Nelson Teich era contra. Infelizmente, sabemos o rumo que a gestão da pandemia tomou no país”, aponta Randolfe nos pedidos. 

Amanhã (5) será a vez de Eduardo Pazuello, ministro que comandou a pasta por mais tempo durante a pandemia do novo coronavírus. Ele será o único ministro ouvido pelos senadores na sessão.

Pazuello, entretanto, comunicou à CPI da Covid que não deve comparecer presencialmente ao seu depoimento no Senado, marcado para esta quarta-feira, sob a alegação de ter tido contato no final de semana com pessoas diagnosticadas com a covid-19.


Confira o vídeo ao vivo:


Tags: CPI da Covid depoimentos Luiz Henrique Mandetta Nelson Teich
A+ A-