Servidor do ITEP é preso pela Polícia Civil por falsificação de identidades

Documentos falsos eram emitidos para criminosos foragidos da justiça.

Rafael Araújo,
Rafael Araújo / ITEP
Servidor do ITEP foi preso pela Polícia Civil suspeito de falsficar identidades para criminosos foragidos da justiça.

Um servidor do Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep),  foi preso na manhã desta quarta-feira (27) pela Polícia Civil suspeito de falsificar identidades para criminosos foragidos da justiça. Além dele, outras duas pessoas também foram detidas.

O esquema foi descoberto pela Polícia Civil através de uma operação de policiais da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (Deicor), que tem como objeto reprimir a confecção de identidades ideologicamente falsas.

Foram presos Roberto Alves Pereira dos Santos, de 74 anos (funcionário do Itep), Manoel Antônio da Costa Neto, conhecido como “Bel”, de 47 anos, e seu filho Breno Marcílio Gonçalves da Costa, de 26 anos. As prisões aconteceram em Natal e Parnamirim.

De acordo com a Polícia Civil, a investigação, que teve a cooperação do Itep, durou um ano e descobriu que diversas pessoas que haviam sido autuadas pela Deicor em outras investigações estavam de posse de cédulas de identidade em que o papel era verdadeiro, entretanto, os dados inseridos nos documentos eram falsos. Foi descoberto que existia no ID/Itep, um prontuário com os dados falsos.

Além disso, a investigação descobriu que os investigados também confeccionam outros documentos como certidão de nascimento, CPF e reservista. Os interessados admitiram que pagavam valores que variavam de R$ 3 a R$ 10 mil. para obterem os documentos falsos.

Ainda segundo a Polícia Civil, na casa de Roberto Alves, em Natal, foram encontradas várias identidades já confeccionadas, tinta e material para coleta de digitais, cópias de certidão de nascimento, a quantia de R$ 15 mil em espécie, várias folhas de cheques, além de um revólver calibre 38, com cinco munições intactas e um rifle calibre 44. Roberto Alves também foi autuado em flagrante delito por posse ilegal de arma de fogo.

Durante o interrogatório, o funcionário do Itep confessou que há muitos anos tem a prática de confeccionar RG's para alguns conhecidos, desde que os interessados apresentassem uma cópia da certidão de nascimento.

Na casa de Manoel Antônio e Marcílio, em um condomínio de luxo de Parnamirim, foram apreendidos cadernetas com anotações, aparelhos celulares e dois veículos. Os dois já foram presos pela Polícia Federal de Pernambuco, em 2019, acusados de falsificarem CPFs, tendo ficado presos no Estado, por mais de um ano.

O Itep, através do Instituto de Identificação, é o órgão responsável pela confecção do documento de identidade no Estado. Procurada pela reportagem, a assessoria de comunicação do órgão informou que, além do processo criminal, será instaurado um procedimento administrativo na corregedoria contra o servidor e destacou ainda que a entidade está em processo de adoção para começar a produzir a identidade biométrica - que irá dificultar a produção de documentos falsos.

Confira a nota do ITEP:

O Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP) informa que tomou ciência, na manhã desta quarta-feira (27), da prisão de um servidor de seu quadro, investigado em um esquema de falsificação de documentos de identidades. Diante do fato, além de responder criminalmente, também será instaurado um procedimento administrativo na corregedoria contra o servidor, que terá direito ao contraditório e ampla defesa.

O Itep também destaca que está em processo para inaugurar a adoção da identidade biométrica, que irá dificultar ainda mais a produção de documentos de identidade falsos. Essa iniciativa sofreu um atraso mediante o momento de pandemia do coronavírus.

O instituto ainda afirma que está disponível para colaborar com as autoridades policiais e que sempre prega que os seus servidores atuem dentro da legalidade.

Tags: Polícia
A+ A-