Acusado de vários assaltos é preso pela PM

Robson Medeiros é apontado pela polícia como chefe de uma quadrilha que realizou diversos assaltos em Natal. Ele foi preso nesta tarde por policiais da Rocam.

Thyago Macedo,
Reprodução/Thyago Macedo
Depois de quase ser solto, Robson foi encaminhado para a Deprov.
Os policiais da Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (Rocam) prenderam no início da tarde desta quarta-feira (5), Robson Medeiros da Silva, de 31 anos. Ele é acusado de comandar uma quadrilha que realizava diversos assaltos em Natal. Robson foi preso depois que a polícia montou campana em frente à sua casa, no loteamento Aliança, em Nova Natal.

De acordo com o coordenador da Rocam, capitão Marlon de Góis, desde as 13h da terça-feira (4), policiais estavam escondidos à espera dos acusados. “Inclusive, eles estavam em um carro Fox vermelho roubado. Quando foi por volta da meia noite de hoje, eles chegaram lá e houve uma intensa troca de tiros, mas, os acusados conseguiram fugir”, explicou.

No entanto, o capitão informou que nesta quarta-feira, por volta das 13h, os homens da Rocam viram Robson chegar na casa e efetuaram a prisão. Ele foi levado para o 6° Distrito Policial, no Pajuçara, onde algumas vítimas o reconheceu. Enquanto a reportagem do Nominuto.com estava na delegacia, o delegado Getulio Torres chegou a assinar a liberdade de Robson.

“Nós não temos prova contra ele e, como o advogado pagou a fiança ele deverá ser solto”, destacou. Porém, alguns policiais militares que participaram da campana em frente a casa do acusado informaram ter visto ele com o Fox roubado. Por esse motivo, Robson de Medeiros foi encaminhado para a Delegacia de Propriedade de Roubo de Veículos (Deprov).

O capitão Marlon disse que Robson comandava uma quadrilha com pelo menos três assaltantes. “Uma menina veio aqui e o reconheceu como sendo o autor de um roubo em janeiro deste ano. Quando ela saia de uma agencia bancária, o acusado teria levado R$ 4.500”, frisou.

Além disso, Robson é acusado de ter dado suporte ao grupo de assaltante que na segunda-feira (3), invadiu uma empresa em Lago Nova. “Uma das minhas funcionárias saiu desesperada e, por coincidência entrou no Celta preto, em que ele esperava os comparsas, para pedir ajuda. Nesse momento, ele mandou a moça descer e fugiu”, contou o proprietário da empresa, que não quis se identificar.

"Totô" foi identificado por vítimas. Ele conseguiu fugir da polícia.
A funcionária da empresa também reconheceu o acusado. O proprietário do local, que teve seu celular roubado, chegou a ligar depois e homem que atendeu foi o próprio Robson. Na ligação, a vítima afirma que populares viram um Celta preto. Nesse momento, o acusado teria ficado nervoso e ameaçado o empresário.

“Se você continuar falando em Celta preto eu vou lhe colocar em um caixão preto”, ameaçou na gravação. Além de Robson, os policiais da Rocam tentaram pegar outro acusado de fazer parte da quadrilha. Cláudio Luciano, o “Totô” teria trocado tiros com a polícia, mas conseguiu fugir na madrugada desta quarta.

Diante da foto do segundo acusado, o empresário vítima de assalto na segunda-feira reconheceu o criminoso. “Ele entrou na minha sala com uma arma e me rendeu”, afirmou. A polícia investiga também se Robson teve participação no assalto a casa de um patrulheiro da Polícia Rodoviária Federal, na noite desta terça-feira (4).
A+ A-