Maia diz que passa a negociar com Ramos porque Guedes proibiu diálogo com secretários

Presidente da Câmara, que recebeu reforma administrativa do governo, diz que tomou decisão ‘para não criar constrangimento mais para ninguém’.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Najara Araujo/Agência Câmara
Rodrigo Maia recebeu a proposta encaminhada pelo líder do governo na Câmara e pelo ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quinta-feira (3), que passará a negociar com o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, porque o ministro da Economia, Paulo Guedes, proibiu o diálogo dele, Maia, com os secretários da área econômica.

Procurado, o Ministério da Economia informou que não vai comentar o assunto.

Maia deu as declarações em entrevista à GloboNews, logo após ter recebido a proposta de reforma administrativa do governo. A entrega foi feita pelo ministro Jorge Oliveira (Secretaria-Geral) e os líderes do governo. “O senhor tem conversado com a equipe econômica? Por que a ausência do ministro da Economia?”, indagou o jornalista.

“Eu não tenho conversado com o ministro Paulo Guedes, ele tem proibido a equipe econômica de conversar comigo. Ontem, a gente tinha um almoço com o Esteves e com o secretário do Tesouro para tratar do Plano Mansueto, e os secretários foram proibidos de ir à reunião”, respondeu Maia.

“Então, decidi que a relação da presidência da Câmara será com o ministro Ramos, e o ministro Ramos conversa com a equipe econômica, para não criar constrangimento mais para ninguém. Mas isso não vai atrapalhar os nossos trabalhos, de forma nenhuma”, acrescentou.

Questionado, então, se está encerrada a interlocução com Guedes, Maia respondeu: “Foi encerrada a interlocução”.

Tags: Poder Reforma administrativa Rodrigo Maia
A+ A-