Advogado que abrigou Queiroz estava na cerimônia de posse do ministro Fábio Faria

Frederick Wassef defende o senador Flávio Bolsonaro no caso do suposto esquema de 'rachadinha'.

Da redação,
Reprodução/GNews
Advogado da família Bolsonaro, Frederick Wassef, participou sem máscara da cerimônia de posse de Fábio Faria como ministro das Comunicações.

O advogado Frederick Wassef, que defende o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e o presidente Jair Bolsonaro, estava na cerimônia de posse do ministro das Comunicações, Fábio Faria, realizada na quarta-feira (17), no Palácio do Planalto, em Brasília.

Wassef é dono do imóvel situado no município de Atibaia (SP) onde o ex-assessor de Flávio Bolsonaro, o policial militar Fabrício Queiroz, foi preso na manhã desta quinta-feira (18), em operação da Polícia Civil e do Ministério Público de São Paulo. O advogado criminalista comanda a defesa de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) no caso Queiroz.

Ele também defende o presidente Jair Bolsonaro no caso Adélio Bispo, que atingiu com uma facada o então candidato à Presidência em 2018 em Juiz de Fora, Minas Gerais. O advogado participou na quarta-feira (17), da cerimônia de posse do ministro das Comunicações, Fábio Faria, em Brasília.

Integrante do círculo mais próximo da família Bolsonaro, Wassef é o que se pode chamar de bolsonarista “raiz”. Crítico do que chama de “indústria dos radares”, defensor de “ações mais efetivas da polícia” no combate à violência, católico praticante, adversário da esquerda, Wassef costuma fazer rondas de carro pela madrugada paulistana, nas quais grava em vídeo flagrantes de desperdício de dinheiro público ou suspeita de corrupção.

O primeiro contato entre Jair Bolsonaro e Fred, como é conhecido, foi por acaso. Wassef ganhou de presente um smartphone quando estava internado para tratamento de câncer, clicou no ícone do Youtube e caiu sem querer em um discurso do atual presidente sobre controle de natalidade. A identificação foi imediata. No dia seguinte Fred telefonou para o gabinete de Bolsonaro na Câmara. Com seu temperamento intenso, convenceu a secretária a passar a ligação ao então deputado. Depois de mais de uma hora de conversa, marcaram um encontro pessoal. Isso foi em 2014.

Desde então, Bolsonaro e a primeira-dama, Michelle, passaram a frequentar a casa de Fred e sua ex-mulher, a empresária Cristina Boner, em Brasília. Em 2015, Bolsonaro comprou por R$ 50 mil uma Land Rover de uma das empresas de Cristina. Wassef gosta de dizer que foi o primeiro a incentivar o então deputado do baixo clero a disputar a Presidência. Quando a ideia não passava de um devaneio, Fred, nascido e criado em bairro nobre de São Paulo, levou o capitão para circular nos salões da elite paulistana.

Além da amizade, Wassef passou a orientar Bolsonaro juridicamente. “Conheço a família desde 2014 e tive uma atuação de consultoria jurídica e advocacia. Sempre no sentido do restabelecimento da verdade. Bolsonaro é, há tempos, vítima de crimes como denunciação caluniosa, calúnia e difamação. Ele foi vítima de uma insana perseguição contra um homem que é um verdadeiro herói”.

Tags: Fábio Faria Operação Anjo
A+ A-