Morre aos 76 anos o jornalista Clóvis Rossi

Ele estava em casa, onde se recuperava de infarto tido na semana passada.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Alice Vergueiro/Abraji
Colunista e membro do Conselho Editorial da Folha de SP, Rossi publicou seu último texto na quarta-feira, intitulado “Boletim Médico”.
O jornalista Clóvis Rossi morreu na madrugada desta sexta-feira (14), aos 76 anos. A família comunicou a morte na conta dele no Facebook.

Clóvis Rossi nasceu em São Paulo no dia 25 de janeiro de 1943 e foi editor-chefe do Jornal Estado de São Paulo. Atualmente, ele era colunista da Folha de S.Paulo.

Nascido em 25 de janeiro de 1943 no bairro do Bexiga, em São Paulo, filho de seu Olavo, vendedor de máquinas pesadas, e dona Olga, artesã de grinaldas e buquês de flores, ele se formou em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero.

Rossi começou no jornalismo em 1963. Trabalhou nos jornais Correio da Manhã, O Estado de S. Paulo e Jornal do Brasil. Teve ainda passagens pelas revistas Isto É e Autoesporte e pelo Jornal da República e manteve blog no espanhol El País. Estava desde 1980 na Folha de São Paulo.

Ganhou vários prêmios jornalísticos, entre eles o Maria Moors Cabot, da Universidade de Columbia, e o da Fundação Nuevo Periodismo Ibero-Americano, criada por Gabriel García Márquez.

Clóvis Rossi fez coberturas de eventos históricos, viagens de vários presidentes brasileiros, Copas do Mundo e Olimpíada. Foi correspondente da Folha em Buenos Aires e Madri e era presença frequente no Fórum Mundial de Davos.

O jornalista deixa mulher, com quem estava havia mais de meio século, três filhos e três netos.

O velório e o enterro do jornalista ocorrerão no Cemitério ​Gethsêmani, em São Paulo. O início do velório será às 15h e o enterro será neste sábado (15), às 11h.

Tags: Clóvis Rossi morte
A+ A-