Morre a escritora e tradutora Anna Maria Martins

Membro da Academia Paulista de Letras, Anna começou sua carreira no Suplemento Literário do 'Estadão' e traduziu obras de Agatha Christie e Aldous Huxley.

Da redação, Estadão Conteúdo,
ivulgação/Academia Paulista de Letras
Escritora e tradutora Anna Maria Martins ocupava uma cadeira na Academia Paulista de Letras há 28 anos, desde 1992.

A escritora e tradutora Anna Maria Martins morreu neste sábado (26), aos 96 anos, de acordo com a Academia Paulista de Letras, instituição da qual era membro. O velório se deu neste domingo, na sede da Academia no centro de São Paulo.

Martins se iniciou nas letras como tradutora, e publicou seus primeiros contos no Suplemento Literário de O Estado de S. Paulo.  A escritora venceu o Prêmio Jabuti e o Prêmio Afonso Arinos, da Academia Brasileira de Letras, pelo livro A Trilogia do Emparedado e outros contos (1973).

Entre os nomes que Martins traduziu ao longo da carreira estão Agatha Christie, Aldous Huxley, Ray Bradury e Herman Melville.

Sobre sua obra, escreveram, entre outros, Nilo Scalzo, Antônio Cândido e Cremilda Medina. 

Além da profissão nas Letras, Martins se envolveu ao longo da vida com a atuação no setor cultural, sendo vice-presidente da União Brasileira de Escritores (UBE), assessora de governos estaduais e diretora da Casa Mário de Andrade.

Segundo a Academia, sua morte não está relacionada à covid-19.

Tags: Anna Maria Martins morte obituário
A+ A-