"Qualidade da água em Natal está inadequada", destaca diretor da Arsban

Fábio Góis falou sobre a concentração de nitrato, PH da água, cor, nitrato e coliformes fecais.

Marília Rocha,

Os natalenses estão ingerindo água com níveis elevados de nitrato, coliformes fecais e falta de cloro. Esse é o relatório descrito pelo diretor técnico da Agência Reguladora de Serviços de Saneamento Básico do Município do Natal (Arsban), Fábio Góis.

"Qualidade da água em Natal está inadequada. A ausência de cloro na água - importante para a desinfecção antes da distribuição - provoca preocupação com os padrões de potabilidade de água para o consumo humano", conta. 

O trabalho da Arsban segue as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) que indica índices como a concentração de nitrato (que se torna prejudicial à saúde humana quando supera os 10 mg/l) e a quantidade de PH da água, cor, nitrato e coliformes fecais. 

Hoje, a Arsban apresentou um relatório do último quadrimestre em 180 pontos da cidade, principalmente em escolas, hospitais, postos de saúde e creches onde há maior movimentação de pessoas. 

"Em Natal, no bairro de Lagoa Azul na zona Norte encontramos contaminação da água por falta de cloro. O consumo da população na comunidade do cavaco chinês é feito através de poço de consumo de água direto", detalhou Fábio Góis. 

Na zona Sul, o relatório da Arsban apontou que dos 15 poços avaliados na Via Costeira, dois poços estavam com nível alto de nitrato. 

O problema com a qualidade da água desperta outras preocupações como a questão do sanitarismo e falta de saneamento. Em Natal, cerca de 70% da população natalense consomem água oriunda de poços tubulares. Os 30% restantes são abastecidos com as águas das lagos do Jiqui e de Extremoz.

A população pode denunciar problemas com a qualidade da água, vazamento, falta de água e qualidade através do telefone 0800 281 5613.

Tags: agua qualidade
A+ A-