Estácio oferece rede de apoio e orientações para cuidadores familiares

Pesquisa aponta cansaço excessivo e piora na saúde mental dos cuidadores durante a pandemia.

Da redação,
Pexels
Projeto desenvolvido por faculdade natalense oferece atendimento e orientações em uma rede de apoio para os cuidadores.

As clínicas do departamento de Saúde da Estácio, unidade Ponta Negra, estão oferecendo atendimento e orientações em uma rede de apoio para os cuidadores não profissionais. Em geral, pessoas próximas de parentes que, por conta da pandemia, tiveram uma sobrecarga na demanda.

As atividades oferecidas pelo projeto de extensão "Cuidador familiar de idosos: rede de apoio integrada para o bem estar" envolvem palestras, orientações, suporte para autocuidado, atendimento fisioterápico, cuidados estéticos, além de suporte psicológico e nutricional. 

A coordenadora do curso de Fisioterapia e responsável pelo projeto, Ana Luiza Teixeira, conta que são comuns os casos em que pessoas com vínculo afetivo ou familiar precisam de suporte após assumir a responsabilidade por um ente doente ou idoso. 

“Esses cuidadores familiares são sobrecarregados, porque além de dar conta das demandas da casa, da família, dos filhos, precisam cuidar com atenção extra de quem é dependente para realizar suas atividades cotidianas, de higiene, alimentação ou de cuidados com a saúde, e isso leva a uma sobrecarga física e emocional”, conta a fisioterapeuta. 

De acordo com pesquisa realizada pelo Embracing Carers TM, programa global apoiado pela farmacêutica alemã Merck, a pandemia teve impactos negativos na saúde física e mental dessas pessoas.

O estudo foi realizado em 12 países e envolveu 9.000 cuidadores não profissionais e os resultados no Brasil são de alto impacto: 68% afirmaram que a pandemia tornou mais difícil o papel de cuidador por aumento nas horas de trabalho e a necessidade de novas habilidades com ferramentas online; 83% disseram que o cansaço aumentou de forma excessiva e 70% alegaram uma piora na saúde mental.

Segundo Ana Luiza, o foco do projeto é cuidar de quem cuida. “Muitos podem ter dores na lombar, por exemplo, por transferir o familiar da cama para a cadeira ou por carregar ou apoiar a pessoa para alguma atividade. Alguns trazem problemas como ansiedade e estresse, então vamos identificar as fragilidades de cada um e direcionar para os serviços oferecidos pela instituição”, explica. 

O atendimento é realizado em encontros remotos e, quando for permitido, presenciais. As inscrições podem ser feitas por meio dos telefones 98749-5139 ou 988230-9013.

Tags: cuidadores familiares Faculdade Estácio orientações projeto suporte para autocuidado
A+ A-