CMN debate retomada e restauração do Juvenal Lamartine

Vereador Hugo Manso defende que recuperação do estádio aconteça com debate envolvendo a sociedade.

Da redação,
Marcelo Barroso
Procuradores do Patrimônio do Estado explicaram a necessidade de realizar levantamentos no estádio para elaboração do Termo de Referência.
A discussão em torno da retomada do estádio Juvenal Lamartine pelo Estado chegou à Câmara Municipal de Natal através de uma audiência pública, proposta pelos vereadores Paulo Freire (PROS) e Hugo Manso (PT). A audiência realizada na manhã de hoje (17), reuniu vereadores, procuradores do estado, presidentes e representantes de times de futebol, jornalistas e populares buscando esclarecer a intenção do Governo em determinar que a Federação Norteriograndense de Futebol (FNF) desocupe o espaço que administra há décadas. Também participaram o Deputado Estadual, Hermano Moraes (PMDB) e Secretário Estadual de Esportes, George Câmara (PC do B).

O impasse está no fato de que a FNF se recusa a deixar o imóvel. "A Federação não vai atender e será judicializado. Não conhecemos qual o projeto do governo e o que discutimos é esse imediatismo do ato em retirar de lá uma entidade que acolhe os times da cidade. Nunca recebemos recursos públicos para manter aquela estrutura. Queremos integrar o Juvenal Lamartine à sociedade", declarou o presidente da Federação, José Vanildo. Na ocasião ele apresentou um projeto elaborado pela federação para recuperação do estádio, mas sem recursos para executar. Por isso defendeu a junção de ideias para se chegar a um consenso.

Os procuradores do Patrimônio do Estado explicaram que é necessário realizar diversos levantamentos no estádio para elaboração do Termo de Referência, mas a Procuradoria enfrenta resistência para entrar lá, dificultando o processo, e que ainda será necessário entrar no imóvel mais vezes. Por esta razão o Governo determinou que em 30 dias, contados desde o dia 7 de agosto passado, a FNF desocupe o estádio. "O Governo está cumprindo uma decisão do Tribunal de Justiça. Está sendo projetada a recuperação de toda a parte histórica, a fachada original e a arquibancada de honra feita de madeira. Nada será demolido. O gramado será mantido e a parte de baixo das arquibancadas, onde ficavam bares e vestiários ainda será discutido. A prática esportiva continua, equipada para outros esportes. Será um estádio multiuso, inclusive para atividades culturais. Todas estas ideias estão sendo concebidas", explicou a procuradora Marjorie Madruga.

camara2

Para o vereador Paulo Freire, o debate conseguiu esclarecer o que será feito do estádio histórico de Natal e sugeriu que, até que se inicie a restauração, a FNF continue no local. "Conseguimos esclarecer o destino daquela praça esportiva que não pode ser retomada pelo governo sem um objetivo claro. Também queremos que o governo seja ágil em devolver para a comunidade o mais rápido possível", diz.

O vereador Hugo Manso defende que a restauração do estádio aconteça com um amplo debate envolvendo a sociedade, de forma a fazer com que aquela praça esportiva seja aberta para a população. "É importante lembrar que Natal carece de equipamentos públicos de lazer abertos de forma gratuita. Essa pode ser uma oportunidade de propiciarmos isso para a população, preservando e mantendo uma estrutura histórica na nossa cidade, mas deve haver o amplo debate político com a participação da sociedade", disse Hugo Manso.
Tags: Natal Política
A+ A-