Talebã liberta últimos sete reféns sul-coreanos

Coréia do Sul diz ter fechado acordo com Talebã para libertar reféns.

BBC Brasil,
BBC Brasil
Reféns foram liberados em dois grupos na província de Ghazni.
A milícia Talebã libertou nesta quinta-feira (30) os últimos sete sul-coreanos de um grupo de 23 pessoas que foi seqüestrado no Afeganistão em julho.

Os sul-coreanos, que pertencem a uma organização assistencial cristã, foram liberados em dois grupos na província de Ghazni, no sul do país, onde haviam sido seqüestrados.

Os grupos – o primeiro com duas mulheres e dois homens e o segundo com duas mulheres e um homem – foram entregues com horas de diferença aos cuidados da Cruz Vermelha, que juntamente com líderes tribais intermediou a libertação.

Na quarta-feira, o Talebã já havia libertado outros 12 reféns.

Pagamento

Os reféns foram beneficiados por um acordo fechado entre o governo da Coréia do Sul e o Talebã, anunciado pelo governo sul-coreano na terça-feira.

A Coréia do Sul concordou em retirar seus 200 soldados do Afeganistão até o final do ano, como já era planejado, e afirmou que vai encerrar todo o trabalho missionário no país e impedir que seus cidadãos sigam para a região.

Aparentemente, o Talebã abriu mão de uma exigência anterior de que membros do grupo fossem soltos de prisões afegãs.

Acredita-se que o acordo possa ter incluído o pagamento de um resgate, de acordo com o correspondente da BBC em Cabul, Alastair Leithead.

Separados

Os 23 sul-coreanos haviam sido seqüestrados em 19 de julho, quando viajavam na principal estrada que liga as cidades de Kandahar e Cabul.

Depois de uma primeira rodada de negociações, o Talebã acabou matando dois dos reféns e libertando duas mulheres.

Acredita-se que os sul-coreanos foram mantidos em locais separados na província de Ghazni.

O governo sul-coreano havia enviado cerca de 200 funcionários ao Afeganistão para ajudar no processo de reconstrução do país.
A+ A-