Talebã liberta 12 reféns sul-coreanos no Afeganistão

Coréia do Sul e Talebã dizem ter chegado a um acordo.

BBC Brasil,
Militantes da milícia Talebã libertaram nesta quarta-feira mais 12 sul-coreanos que estavam sendo mantidos reféns há mais de um mês no sul do Afeganistão.

Dez mulheres e dois homens foram libertados em três grupos separados. Eles fazem parte de um grupo de 23 sul-coreanos, funcionários de uma organização assistencial cristã, que havia sido seqüestrado em julho.

Do grupo original, apenas sete continuam sendo mantidos em cativeiro, mas um representante do Talebã, o mulá Basheer, disse que todos seriam libertados "passo a passo" nos próximos dias.

A libertação dos 12 sul-coreanos ocorre um dia depois de o governo da Coréia do Sul ter afirmado que chegou a um acordo com o Talebã.

Resgate

"Uma de nossas principais exigências não foi aceita, mas as outras foram. Todos os coreanos serão liberados em menos de uma semana", disse Basheer.

A Coréia do Sul concordou em retirar suas tropas do Afeganistão como planejado até o final do ano e afirmou que vai pôr fim a todo o trabalho missionário no país e impedir que seus cidadãos sigam para o país asiático.

Aparentemente, o Talebã abriu mão de uma exigência anterior de que membros do grupo fossem soltos de prisões afegãs em troca da libertação.

Acredita-se que o acordo possa ter incluído o pagamento de um resgate, disse o correspondente da BBC em Cabul, Alastair Leithead. No entanto, o Talebã e a Coréia do Sul negam isso.

Líderes locais

A liberação dos reféns, que foram levados para a cidade de Ghazni, ao sul de Cabul - onde se encontraram com representantes do governo sul-coreano - foi conseguida com a intermediação de líderes locais.

O diretor do braço afegão do Comitê Internacional da Cruz Vermelha disse à BBC que o mais recente grupo de sul-coreanos foi libertado na mesma região onde eles foram seqüestrados.

Segundo ele, os ex-reféns mostraram grande alívio em estarem livres e parecem estar bem.

Os sul-coreanos haviam sido seqüestrados em 19 de julho, quando viajavam na principal estrada que liga as cidades de Candahar e Cabul.

Depois de uma primeira rodada de negociações, o Talebã acabou matando dois dos reféns e libertando duas mulheres.

Acredita-se que os sul-coreanos foram mantidos em locais separados na Província de Ghazni.

O governo sul-coreano mantém cerca de 200 funcionários no Afeganistão para ajudar no processo de reconstrução do país.

A+ A-