Secretário de Justiça de Bush renuncia ao cargo

Alberto Gonzales era um dos aliados mais próximos de Bush.

BBC Brasil,
O secretário de Justiça dos Estados Unidos, Alberto Gonzales, anunciou formalmente a sua renúncia ao cargo nesta segunda-feira (27).

Em um rápido pronunciamento, Gonzales disse que entregou sua renúncia ao presidente George W. Bush no domingo e que deixará o cargo no dia 17 de setembro.

Membros do Congresso americano acusavam Gonzales de abuso de poder por seu envolvimento na demissão de oito promotores federais em 2006.

A polêmica sobre as demissões, que críticos no Congresso afirmaram ter sido politicamente motivadas, colocou o secretário de Justiça sob forte pressão nos últimos meses.

Gonzales, a maior autoridade no setor judiciário americano, enfrentou uma série de pedidos pela sua renúncia por causa das demissões.

Acusações

Opositores alegam que Gonzales demitiu os promotores federais por razões políticas e, depois, mentiu a respeito do motivo das demissões.

O secretário de Justiça deu depoimento perante um comitê em ambas as casas do Congresso, mas senadores afirmaram que ele mentiu sob juramento. Gonzales afirmou várias vezes que não fez nada de errado.

Amigo de longa data do presidente George W. Bush, Gonzales é a mais recente autoridade de alto escalão a deixar a Casa Branca no momento em que o presidente está mais próximo do fim de seu segundo mandato.

Karl Rove, estrategista e assessor de confiança de Bush, anunciou no começo de agosto a renúncia ao seu cargo.

Em maio, Paul Wolfowitz, presidente do Banco Mundial, renunciou em meio a uma polêmica causada pela contratação de sua namorada.

No ano passado, Donald Rumsfeld, um dos mais importantes defensores da Guerra no Iraque, renunciou ao cargo de ministro da Defesa após a derrota do Partido Republicano, de Bush, nas eleições parlamentares americanas de novembro.
A+ A-