Reino Unido quer que estudantes voltem para casa no Natal

Autoridades estão preocupadas com necessidade de novas restrições.

Da redação, Agência Brasil,
Reuters
Para conter número crescente de casos do novo coronavírus, governo britânico quer retorno de estudantes para casa no Natal.

O governo britânico quer que os estudantes universitários voltem para casa no Natal, disse o ministro da Cultura, Oliver Dowden, nesse domingo (27), em meio a preocupações de que novas restrições à movimentação sejam necessárias para conter o número crescente de casos do novo coronavírus.

Surtos da doença forçaram algumas instituições a pedir aos alunos - muitos dos quais estão longe de casa e pagando milhares de libras em taxas por acomodação e ensino - que se isolassem em seus quartos e acompanhassem as aulas online.

O ministro da Saúde, Matt Hancock, disse na quinta-feira (24) que não poderia descartar um pedido aos estudantes para que fiquem no campus durante o Natal, como forma de evitar que o vírus se espalhe.

"Eu quero muito que os alunos possam voltar para casa no Natal", disse Oliver Dowden à Sky News. "Faltam três meses para o Natal. Anunciamos uma série de medidas. Estamos constantemente mantendo essa situação sob análise."

O governo enfrenta a inquietação de alguns de seus próprios congressistas, que pressionam para que o Parlamento tenha mais voz sobre as restrições relacionadas à covid-19, inclusive por meio de uma emenda apresentada pelos congressistas Graham Brady e Steve Baker. O Partido Trabalhista, de oposição, indicou que poderia apoiar esse movimento.

Novas medidas locais de lockdown devem entrar em vigor em partes do País de Gales na noite desta segunda-feira (28), disse o primeiro-ministro Mark Drakeford, na sequência de restrições adicionais decretadas na capital Cardiff.

Enquanto o governo de Londres tenta evitar novo lockdown nacional, milhões de britânicos vivem sob regras mais rígidas destinadas a limitar atividades que possam gerar contatos entre diferentes famílias.

Tags: covid-19 estudantes universitários novo coronavírus pandemia Reino Unido
A+ A-