Carnaval impede usuário da Unimed de fazer cirurgia em data marcada

Procedimento precisava de assinatura de auditor, mas todos do plano de saúde estavam de folga.

Maiara Felipe ,
Quem disse que pagar um plano de saúde é garantia de bom atendimento? A crise que alastra o setor público parece ter atingido o bom senso dos profissionais que trabalham no setor privado. José Severiano da Câmara Filho, diabético, transplantado renal, 72 anos, associado à Unimed, passou dias esperando uma cirurgia. Durante o carnaval não tinha ninguém que autorizasse uma angioplastia.

Milena Câmara, filha do paciente, explicou como aconteceu o processo de internamento do pai. No último dia 20, sexta-feira, véspera de carnaval, João Câmara precisou ser internado para fazer um cateterismo e foi levado ao Hospital da Unimed. Feito o procedimento, o médico comunicou que seria necessária uma angioplastia. “Meu pai ficou se preparando (tomando medicamentos) desde o sábado para fazer a cirurgia na segunda-feira (23)", contou Milena.

Na manhã do dia 23, depois de passar por um jejum total, os problemas começaram. “Ele já estava preparado para entrar na sala de cirurgia, quando recebemos a notícia que o médico ligou. Por falta de auditores na Unimed não poderia ser feita a cirurgia”, salientou Milena.

Segundo Milena, quando o pai soube que não faria a angioplastia no dia marcado, a pressão subiu, a insulina foi de 125 para 206. Ela ligou para o 0800 da Unimed e pediu informações, porque no hospital ninguém esclareceu o caso e a auvidoria estava fechada. Por telefone, a pessoa teria informado que voltasse a ligar na quarta-feira (25) de cinzas, depois do meio-dia.

“O plano dele é aquele que ele tem direito até a UTI no ar. Tudo isso por causa de uma assinatura de um auditor que estava viajando no carnaval”, disse Milena afirmando que os pais (inclui a mãe) pagam R$ 1.450 pelo plano de saúde.

Quando João Câmara conseguiu marca a cirurgia para o dia 25, o aparelho da hemodinâmica estava em manutenção e não havia previsão para término naquele dia.

A solução foi esperar até a quinta-feira (26), mas o aparelho não voltou a funcionar. O médico sugeriu a transferência para o Hospital São Lucas, onde, no final da noite, a angioplastia foi realizada.

João Câmara conseguiu fazer a angioplastia no último dia 26, quinta-feira após o carnaval.

Unimed

A assessoria de impressa do plano de saúde Unimed informou que nenhum procedimento, inclusive cirurgias, deixou de ser autorizado durante o carnaval.

Existiam auditores de plantão.

De acordo com a cooperativa, a angioplastia do paciente João Câmara foi solicitada na segunda-feira de carnaval (23) e autorizada na mesma data.

A cirurgia do paciente dependia do resultado desse exame. A Unimed informa que, se foi realizada ou não, não depende da cooperativa.
A+ A-