Pequim 2008: COI quer barrar atletas pegos em doping

A proposta foi anunciada na véspera do Campeonato Mundial de Atletismo em Osaka, no Japão.

BBC Brasil,
O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Jacques Rogge, propôs nesta sexta-feira (24) que todos atletas que foram proibidos de competir por mais de seis meses por terem sido flagrados no exame de doping não possam competir nas próximas Olimpíadas, em Pequim.

A proposta foi anunciada na véspera do Campeonato Mundial de Atletismo em Osaka, no Japão.

Rogge também manifestou que apóia uma proibição obrigatória de quatro anos para crimes envolvendo drogas em todos os esportes.

Os atletas envolvidos em doping só teriam alguma chance de terem suas penas reduzidas se colaborassem com informações sobre como se envolveram com drogas.

"Se um atleta revelar quem deu a ele (a droga usada para aumentar o desempenho) EPO, por exemplo, quem estava por trás disto, seja o médico ou treinador, etc. Se ele contar sobre outros casos, se a informação for muito valiosa então podemos considerar a redução da pena", disse Rogge.

Junto com o presidente da Organização Mundial de Atletismo, Lamine Diack, Rogge afirmou que o compromisso do COI é acabar com o doping nos esportes.

"A luta contra o doping no esporte é uma batalha diária que deve ser lutada junto com as autoridades esportivas, equipes esportivas, atletas, treinadores e governos", disse.

"As medidas que anunciamos hoje visam reforçar a política de tolerância zero do COI", acrescentou.

O campeonato mundial de atletismo começa no sábado, com atletas inclinados a limparem a reputação que foi atingida recentemente em escândalos de doping, incluindo o escândalo envolvendo o campeão nos cem metros rasos, Justin Gatlin, que foi flagrado no exame de doping.
A+ A-